Navegar e Conquistar

A Bússola Quebrada

“Navegar e conquistar
Nós partimos à primeira luz
Buscando por metal com poder e força
Por inúmeros dias nós viajamos os oceanos
A batalha pela frente
Nossa vinda faz temer
Nós levantamos a bandeira preta
E preparamos nosso ataque
Disparar os canhões, invadir as barreiras.
Nós veremos essa cidade cair
Não mostraremos piedade na batalha
O céu queimará com sangue essa noite
Navegar e conquistar – Em uma missão para terras distantes”

Alestorm – Set Sail and conquer – http://pt.allreadable.com/218e8VRx

 

Cavaleiro, pirata, soldado carniceiro da Legião Estrangeira. Brincadeiras de criança que em comum têm as terras distantes, o canônico de Fernando Pessoa:  “Navegar é preciso”, a necessidade do movimento e da descoberta.

Por que viajamos?

Ecdemomania

Para quê serve uma bússola? Orientar o caminho.
Para quê serve então uma bússola quebrada? Se está quebrada, aponta para todos os lados, logo, qualquer caminho é bom para quem está perdido.

Quando criança eu fantasiava escalar as montanhas mais altas, descer às profundezas dos oceanos, embrenhar-me pelas matas e desafiar as mais tenebrosas e escuras cavernas. Já a Karina sonhava em viajar pelo mundo conhecendo cidades bonitas e culturas diferentes, de preferência dormindo em camas quentinhas e sem comidas exóticas.

E vamos fazendo cada uma dessas coisas, pouco a pouco, enfrentando o clima, as estradas ruins, a comida doída de estrada, os impeditivos preços brasileiros e a falta constante de grana. Aproveitando as oportunidades que o trabalho oferece e os sofás nas casas dos amigos e parentes que moram pelo mundo.

Tempo passa e não diminui nosso encanto por lugares novos, culturas, rostos e paisagens novas.

Claro que não somos piratas como na canção acima, mas acho mesmo que esta tal de ecdemomania até que é uma boa coisa, afinal! E acho mesmo que temos. E para falar sobre isso e outros caminhos seguidos, nasce hoje A Bússola Quebrada. Para orientar os perdidos e desorientar quem acha que sabe o caminho.

Neste blog, vamos visitar, ora juntos, ora nem tanto, lugares que poucos foram, que muitos vão todos os dias, que nem todos veem e que a maioria simplesmente não enxerga. Vamos trazer imagens, textos, curiosidades e belas imagens. E quem sabe a gente até conta algo que você não sabia.

Somos um casal que nem sempre concorda, que quase sempre discorda, mas que adoramos viajar. Vem viajar com a gente!

A Bússola Quebrada nasce de uma viagem que fizemos juntos esse ano. A primeiras postagens serão sobre essa viagem. Atravessamos os quatro estados da região sudeste, começando quando eu saí de São Paulo para encontrar a Karina, que é carioca. De lá fomos por várias cidades do Espírito Santo e Minas Gerais. Voltamos para São Paulo, onde a Karina me deixou seguiu para casa, no Rio de Janeiro.

A viagem toda durou de 17 a 30 de julho.

Mapa

De São Paulo para o Rio de Janeiro e seguindo para o Espírito Santo e Minas Gerais.

Como primeira parada, segui de São Paulo ao Rio de Janeiro, de ônibus.

Como prefiro viajar à noite, saí de minha cidade cinzenta próximo de meia noite; chegando à dourada Rio de Janeiro com o sol me saudando em vagarosos acenos.

O destino inicial era encontrar a chefinha em Botafogo.
Como cheguei bem cedo, parei na praia e esperei o sol.

E ele veio.
Meu rei. Explosivo, majestoso. Em toda a sua pompa e glória, aclarando a noite e separando medos e festejos.

Sol Nascente

Nascer do Sol na Praia de Botafogo

Da primeira vez que tive o privilégio de ver este espetáculo, foi na foto de uma conhecida, que acordou cedo e de seu quitinete num prediozinho antigo ao lado do Botafogo Praia Shopping que, com uma máquina digital bem simplesinha, capturou o Pão de Açúcar com o astro-rei a seu lado esquerdo, com a cor laranja intensa das sete da manhã.

” – Posso até morar em outro apartamento melhor, mas com uma vista dessas, não quero sair daqui.” – Danadinha sortuda.

Aqui da minha janela, em casa, amanheço de costas para o sol, mas vejo o poente de camarote, especialmente quando subo no telhado para ver mais e melhor.

Voltando ao Rio:
Pude ver a cena da praia do Botafogo e da marina pessoalmente, após uma boa estadia na casa de meu irmão, na época, feliz morador do Flamengo, logo ao lado.

Jantamos num Japa bem arrumado, no shopping de Botafogo. Claro que como bom paulistano (todos os outros estados do Brasil nos chamam de paulistas), fiquei encantado com a vista noturna da baía.

– Você tem que ver isso de dia. – Disse meu irmão.
– Até parece que vai ser melhor que isso. – Eu sempre incrédulo. Ele se limitou a um meio sorriso.

Vista da praia de Botafogo

Vista da praia de Botafogo

Em outra visita, parei para um chopp no mesmo shopping. Desta vez durante o dia. E cara, meu irmão estava como de hábito, com a razão que só quem conhece de verdade tem propriedade para falar.

Uma vista de deixar qualquer cético vendo milagres. E olha que eu nem tinha bebido ainda!

Os barcos brancos no azul escuro da água, a praia de areias claras, as cores e bandeirinhas por toda a parte e o vermelho vivo dos bombeiros ao lado, combinando em perfeito acordo com um sol amarelo-alaranjado de verão carioca.

E agora, o sol nasce à minha frente, como quem diz jocoso: “Olha paulista, o que você está perdendo!”
Fotografei, apreciei, cantei e segui adiante. Enfiei-me pelas ruazinhas do Botafogo para encontrar a Karina.

Praia de Botafogo. Há sempre tanto para ver!

Praia de Botafogo. Há sempre tanto para ver!

No caminho, ainda fotografei a entrada do Morro Dona Marta. As cores são boas para ajudar aquelas pessoas a gostarem ainda mais de casa.

Entrada do Morro Dona Marta.

Entrada do Morro Dona Marta.

Como a Karina tinha curso, e só estaria livre na hora do almoço, sai para conhecer tudo que podia naquela manhã. E vi igrejas, muros grafitados, lojas, e claro, cerveja!

Grafite na Rua Sorocaba.

Grafite na Rua Sorocaba.

 

Street Art próximas à Estação Botafogo do Metrô.

Street Art próximas à Estação Botafogo do Metrô.

E como diz a canção, “… uma cerveja antes do almoço é muito bom para pensar…”.

Eisenbahn Red Ale - Para quem gosta de cervejas com sabor. Indústria brasileira, de Santa Catarina.

Eisenbahn Red Ale – Para quem gosta de cervejas com sabor. Indústria brasileira, de Santa Catarina.

 

Tomei cerveja vendo as pessoas passarem por este grafite.

Tomei cerveja vendo as pessoas passarem por este grafite.

Almoçamos juntos. Ela volta para o curso, eu, volto a fotografar.
Ela, quer ir para casa. Precisa arrumar a mochila, preparar nossa viagem. O caminho nos espera numa viagem que vai tirar o nosso fôlego e vai limpar as traças e ferrugens que sempre tomam conta de pessoas que ficam tempo demais no mesmo lugar.

O plano era simples. Ajeitar tudo na sexta, seguir para um bar no sábado à noite e estar na rodoviária às onze e meia para embarcar num ônibus noturno para o Espírito Santo.

Prefiro viajar à noite. Durmo e quando acordo estou em outro lugar, numa espécie de teletransporte. Além de ser mais produtivo, já que uma hora vou ter que dormir e vou perder a vista, é mais barato, porque economizo no quarto de hotel.

A Karina prefere viajar de dia, não para apreciar a paisagem, porque uma vez dentro do ônibus, ela vai passar a maior parte do percurso dormindo, mas ela diz que se dorme no ônibus, o corpo dói. Mas será que só dói se dormir de noite? Quem sou eu para criticar? Há que amar!

Noite cai. Sábado que vai. E ônibus que sai. Amanhã, acordar em outro lugar. No próximo post nós contamos.
E como diziam os Rolling Stones, pedra que rola não cria limo.

Boa viagem!!

P&B Praia de Botafogo

P&B Praia de Botafogo

 

P&B Pão de Açúcar

P&B Pão de Açúcar

 

O shopping é o prédio da esquerda

O shopping é o prédio da esquerda

 

Volto logo!!

Volto logo!!

 

Igreja da Matriz - Rua Voluntários da Pátria, em frente à rua da Matriz, Botafogo.

Igreja da Matriz – Rua Voluntários da Pátria, em frente à rua da Matriz, Botafogo.

 


Dicas de Viagem (Só do bairro de Botafogo):

  • Botafogo Praia Shopping – De frente para a Praia de Botafogo.
  • Kotobuki – Restaurante Japonês no 7º piso.
  • Informal – Chopp honesto e mirante. De noite é legal mas de dia é melhor.
  • Mirante do Dona Marta – O visitante chega pela Rua São Clemente, na praça de entrada para a comunidade, que conta com um ponto de informação turística. Daí e só ir até o último ponto do elevador que tem no morro. Também tem caminho pra quem for de carro.
  • Mais lugares próximos:
  • Casa de Ruy Barbosa – Na rua São Clemente. É um museu e tem um jardim simpático cheio de miquinhos. http://www.casaruibarbosa.gov.br/
  • Baixo Botafogo – Uma grande região entre o Metrô de Botafogo e a Praia de Botafogo cheia de bares e restaurantes pra todos os gostos.
  • Casa da Matriz, Pista 3 e Bukowski – Pra quem gosta de dançar!!

Gostou das fotos?
Siga-nos no Instagram – fabianogozzo e k_carrasqueira

Dúvidas? Críticas? Sugestões? Comente!

 

Anúncios