Exposições em São Paulo

Dando uma pausa em nossa viagem pelos 4 estados da região sudeste, nesta terça-feira, 09/09/2014 Karina e eu estivemos em São Paulo visitando duas manifestações importantes de cultura e arte.

A primeira, a 31 Bienal de Arte de São Paulo, no Parque do Ibirapuera, prédio da Bienal.

A segunda, a exposição do Castelo Rá-Tim-Bum, no MIS.

Esta nossa parada rápida é porque a Exposição do Castelo Rá-Tim-Bum era para acabar em setembro, mas o sucesso foi tão grande, tanta gente quis ver, que a organização do evento esticou até 16 de novembro, mas está acabando! Corra!

Sobre a 31ª Bienal, vai até dezembro. Dá tempo mas não deixe para a última hora.

Primeiro, pegamos os ingressos na bilheteria do MIS para 20h. Estava cheio. O horário marcado é ótimo para se organizar e funciona. Parabéns à organização!

O valor é de R$ 10,00 por pessoa, estudante paga meia e às terças-feiras é grátis.

Para chegar, o MIS fica na Avenida Europa, continuação da Rua Augusta.

Com os ingressos na mão, e com horário de sobra, seguimos para o Parque do Ibirapuera. Quem gosta de caminhar pode ir andando. Deve dar pouco mais de 3 quilômetros até o prédio da Bienal. ônibus é o que não falta, mas ande dois quarteirões até a avenida Brasil e lá é caminho reto até o parque.

Seguimos para a Bienal.

Sobre a 31ª Bienal, há muito o que ver e percorrer, mas esta edição fala de costumes, sexualidade, pobreza, transgressão. E explora o papel de cada um destes temas de maneira pesada às vezes, portanto, vá preparado, algumas abordagens lá podem ser incômodas para alguns.

Há muito o que ver, muito a discutir, e como sou professor, é o tipo do lugar a que gostaria de levar meus alunos.

Bienal de São Paulo

Este aqui foi o ponto de vista da Karina sobre uma das primeiras obras que vimos. Fala de obediência, leis, ordens e a liberdade tolhida do povo.

Se você não entender algo logo no começo, não se preocupe, há visitas monitoradas e se você visitar a Bienal com calma, aos poucos você vai entendendo a maioria dos temas e a proposta.

Bienal de São Paulo

Noções de pobreza e riqueza e a função de cada uma na sociedade.

Fique atento pelo parque para ver placas e faixas relacionadas à Bienal. E fora do prédio há muito mais para ver.

Claro que saindo do Parque do Ibirapuera, é impossível não parar para ver o Monumento às Bandeiras.

Mas seja civilizado. Não suba no Monumento.


Mas seja civilizado. Não suba no Monumento.

Paramos para comer numa das muitas lanchonetes da Brigadeiro Luis Antônio. Eu prefiro o lado da subia para o Centro.

Chegamos de ônibus ao parque, mas voltamos a pé para o MIS. Foi rápido. Sem pegar trânsito, sem esperar ônibus e como já era noite, sem sofrer com o calor.

Placas, faixas e esculturas por todo o parque. Fique atento.


Placas, faixas e esculturas por todo o parque. Fique atento.

Agora, falando de uma coisa mais leve, vamos pensar no Castelo Rá-Tim-Bum.

Castelo Rá-Tim-Bum

Castelo Rá-Tim-Bum

Quem for visitar as duas exposições num dia, como nós fizemos, consegue fácil. Só ter um pouquinho de ânimo.

Tivemos que fazer isso porque a Karina mora no Rio de Janeiro, e com a exposição do Castelo Rá-Tim-Bum prorrogada e acabando, era agora ou nunca. Foi agora!

Crianças vão adorar. A Karina adorou.

Maquete do Castelo Rá-Tim-Bum

Maquete do Castelo Rá-Tim-Bum

Ela que não gosta de tirar foto, fez pose, sorriu muito, riu de quase tudo, fez o papel de guia turística e foi contando sobre o Castelo, os personagens, as roupas e suas memórias de infância.

A Karina respondendo à Charada do Porteiro.

A Karina respondendo à Charada do Porteiro.

Eu, que já era maiorzinho na época, atentei para os figurinos, o processo de construção dos personagens, a riqueza de detalhes do material cenográfico, as cores vivas, necessárias para a televisão, as boas ideias e os conceitos criativos.

Na casinha do João de Barro.

Na casinha do João de Barro.

Para mim, foi especialmente divertido ver de onde a produção do Castelo Rá-Tim-Bum tirou ideias para montar o programa. Vi referências à cultura brasileira, música estrangeira, como David Bowie e sua fase Ziggy Stardust, contos de fadas e histórias de cavaleiros e reis. Um trabalho muito rico, e mais um motivo para gostar de ler e estudar. Conhecimento é riqueza.

Karina abduzida pelo Etevaldo.

Karina abduzida pelo Etevaldo.

E os personagens, claro, acabaram me lembrando de programas de TV que eu gostava quando criança.

O Mau, feliz em seu esgoto.

O Mau, feliz em seu esgoto.

A sorridente Celeste (SSSSSCe-lesssss-te).

A sorridente Celeste (SSSSSCe-lesssss-te).


Dicas de Viagem:

31ª Bienal de Arte de São Paulo

31ª Bienal de Arte de São Paulo

  • Fuja do trânsito, use o Metrô.
  • Desça na estação Consolação e siga pela Rua Augusta, lado Jardins. A av. Europa é continuação.
  • Aproveite e conheça a Igreja Nossa Senhora do Brasil, de estilo português colonial.
  • Ou siga pela Av. Brasil até a Igreja.
  • Para a Bienal, vá de ônibus. Ou faça como nós e caminhe um pouco.
  • Link para o site da 31ª Bienal www.31bienal.org.br/
  • Link para o site do MIS www.mis-sp.org.br/
  • E para quem quer ver mais, um e-book completo sobre o Castelo Rá-Tim-Bum neste link: http://issuu.com/mis_sp/docs/folder_web

Anúncios