Ouro Preto!

Chegamos em Ouro Preto de manha, eu não fazia ideia de onde estava e o Fabiano foi andando em uma direção qualquer (ele tem uma péssima mania de não me informar das coisas). Depois entendi que ele já tinha um lugar pra gente ficar: um hostel bem perto da rodoviária, e que também é relativamente perto do centro da cidade.

DSC05917b

Vista da parte baixa da cidade. Atrás dessa igreja, está a casa onde viveu Aleijadinho.

Arrumamos as coisas no hostel, que felizmente tinha um quarto vago, e fomos para a cidade. Já era quase meio dia e a fome começou a bater.

StaIfigenia

Vista que temos da varanda do Hostel

Perto do nosso hostel, fica a igreja histórica de São Francisco de Paula, que inclusive dá nome ao hostel. E de lá tínhamos uma vista privilegiada da Igreja de Santa Ifigênia e do Pico do Itacolomy (que fica no parque homônimo).

Ladeira em frente à Igreja de São Francisco de Paula

Ladeira em frente à Igreja de São Francisco de Paula

 

Igreja de São Fransisco de Paula visto do pátio do Museu do Oratório.

Igreja de São Fransisco de Paula visto do pátio do Museu do Oratório.

Logo que descemos a ladeira do hostel para o centro, demos de cara com a Casa dos Contos. A Casa dos Contos atualmente é um museu que tem um enorme acervo da época colonial (e de moedas brasileiras, das mais antigas, às recentes). A casa em si já é um monumento histórico que foi cenário de vários  eventos da inconfidência mineira (por exemplo, alguns inconfidentes ficaram escondidos lá, mas depois a casa serviu de prisão para inconfidentes abastados). Um detalhe interessante: Usando uma luneta, da casa há visão privilegiada da casa dos inconfidentes, que atualmente também é um museu. Neste, não fomos.

Peça da exposição na Casa dos Contos.

Peça da exposição na Casa dos Contos.

 

Maquete da Casa dos Contos. Rica em detalhes.

Maquete da Casa dos Contos. Rica em detalhes.

Depois que saímos da Casa dos Contos, fomos dar uma volta para o Fabiano se reambientar e para eu conhecer a cidade.

Fomos então, em um restaurante indicado pelo Fabiano, onde almoçamos todos os dias que ficamos em Ouro Preto. A comido era ótima, o visual da varanda era lindo e tinha uma grande variedade de Bäckers (a melhor parte de MG é que a Bäcker é muito barata!!!). E antes que eu esqueça, Ouro Preto tem uma cervejaria que faz a deliciosa Ouropretana.

Descanso de copo da Ouropretana.

Descanso de copo da Cerveja Ouropretana.

Após o almoço, fomos passear pelas lojinhas. Em torno da Praça central, tem várias lojas de presentinhos. Inclusive um rua inteira de lojas (essa é uma rua bem principal, tanto que seu nome original era Rua Direita. Atualmente recebe o nome de Rua Conde de Bobadela). E mais para a esquerda tem uma feirinha de artesanato, basicamente com artes em pedra sabão e pedras brasileiras.

Igreja de São Francisco de Assis, em frente a feira de artesanato

Igreja de São Francisco de Assis, em frente a feira de artesanato.

Fizemos um reconhecimento, enchemos a cara de gelatina de cachaça e fomos tomar cachaça e café no bar da FIEMG. Como não podia faltar, na FIEMG estava tendo uma exposição de fotografias, do acervo do Instituto Moreira Salles.

Nós e a Milagre de Minas, cachaça da região, no bar da FIEMG

Nós e a Milagre de Minas, cachaça da região, no bar da FIEMG.

Ai ficamos sem saber se íamos beber ou voltávamos para o hostel para fazer hora. Eu não queria beber naquela hora, e nem queria subir a ladeira (pra depois descer) pra ir no hostel. Então, o Cine Vila Rica “chamou” a gente! Estava em cartaz o novo filme do X-men (por acaso vimos o anterior em Vitória, no hotel, na TV a cabo).

O cinema é um charme (antes de ser cinema era teatro, e guarda toda aquela áurea de teatro antigo) e a entrada muito barata. Foi uma boa escolha. O Cine Vila Rica fica na Praça Reinaldo Alves de Brito, mesma praça da Casa dos Contos e do principal chafariz (pra mim é um bebedouro) da cidade.

Nota do Fabiano: O nome do Chafariz é “Chafariz dos Contos”. Ponto de encontro de Tropeiros. Hoje eles não passam mais com gado, burros, ouro e joias, apenas vão a cavalo para festividades, como Páscoa, Dia de Reis e feriados cívicos.

Fechando o primeiro dia, fomos beber mais um pouco. Depois, hostel e cama!

Praça Reinaldo Alves de Brito. Casa dos Contos ao fundo, Cine Vila Rica à esquerda.

Praça Reinaldo Alves de Brito. Casa dos Contos ao fundo, Cine Vila Rica à esquerda.

Para o segundo dia, o plano era passar nas minas que ficam mais afastadas do centro e passear pelo parque Vale dos Contos, do ladinho do hostel. Mas a chuva atrapalhou os planos, fomos apenas à Mariana e depois nos dedicamos aos museus e a bebida.

No Museu da Inconfidência, há uma gigante coleção de arte barroca. Este estilo não é meu preferido, e depois de passarmos mais da metade da viagem só vendo barroco, desistimos de ir visitar outros museus de arte barroca.

Museu da Inconfidência

Museu da Inconfidência.

Mas para quem gostar, do lado do Museu da Inconfidência, tem o Museu do Oratório. Como o nome diz, o acervo do museu é de oratórios. Tentamos ir lá para assistir um concerto no sábado à noite, mas já estava lotado.

Não tinha música no museu, mas tinha na praça!

Não tinha música no museu, mas tinha na praça!

Mas o que não falta é museu em Ouro Preto!!

O museu que mais nos encantou foi o de Ciência e Tecnologia da  universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). São várias salas com todos os tipos de pedras (amei as que brilham no escuro), na parte de geologia. Tem a parte de química, de história natural, de metalurgia… Tem a parte de física que é ótima, com várias experiências para serem realizadas pelo público. Totalmente indicado para crianças.

Praça Tiradentes, com a UFOP ao fundo

Praça Tiradentes, com a UFOP ao fundo.

 

Estátua de Tiradentes em detalhe

Estátua de Tiradentes em detalhe.

 

Lateral da UFOP

Lateral da UFOP.

No segundo dia, enquanto tomávamos café, fomos presenteados com uma apresentação no meio da Praça Tiradentes Um grupo de gaitistas, tocava de tudo. Do hino de Minas Gerais, a axé, passando por Asa Branca e Anunciação. Só um detalhe, não era qualquer gaita, eram gaitas de fole! E todos os integrantes, homens ou mulheres, estavam devidamente trajados com as vestimentas tradicionais escocesas.

Apresentação de Gaita de Fole

Apresentação de Gaita de Fole.

 

O gato e os gaitistas

O gato e os gaitistas.

Se no primeiro dia mapeamos a lojinhas, no seguinte, fomos mesmo às compras. E entre uma loja e outra na Rua Conde de Bobadela, encontramos o Museu Casa Guignard, que reúne obras de Alberto Guignard, um importante artista local.

Ouro Preto é uma cidade encantadora, apesar das ladeiras infinitas. Tudo na cidade é histórico, e eles definitivamente sabem aproveitar bem isso. O serviço é muito bom e é uma cidade muito preparada para receber os turistas.

No próximo post o Fabiano conta de Mariana e um pouco mais de Ouro Preto!!


Dicas de Viagem :


Gostou? Curta! Compartilhe!

Dúvidas? Críticas? Sugestões? Comente!

Anúncios