Viajando nas Exposições

Em dezembro, entre uma viagem e outra, entre o lado de cá e o de lá do Atlântico, fomos visitar alguns lugares bem legais. Algumas visitamos no RJ, outras em SP, e uma nas duas cidades. Atualmente todas estão em São Paulo.

 

Começando pelas exposições mais viajadas, tenho algumas imagens de nossa ida a exposição de Ron Mueck, feita em abril de 2014 no MAM do Rio de Janeiro e que agora está na Pinacoteca de São Paulo.

E o melhor de tudo: É TUDO FREE!!

A enorme cabeça de Ron Mueck

Trabalhos de Ron Mueck e abertura do site da Pinacoteca.

Trabalhos de Ron Mueck e abertura do site da Pinacoteca.

 

 

O trabalho desse artista é em partes incômodo, devido a seu estilo hiperrealista de retratar momentos humanos, pessoas animais. E pior ainda, ele amplia pessoas, partes do corpo, animais.

Pode ser um pouco desconfortável olhar para uma enorme cabeça humana sem nenhum corpo. Se bem que faltou um pouco de sangue, não acham?

Trabalho duro. Uma imagem destas feita com 3 metros de altura deve dar trabalho.

Trabalho duro. Uma imagem destas feita com 3 metros de altura deve dar trabalho.

 

 

Isto é uma exposição e esta galinha morta com o pescoço cortado é uma escultura de 4 metros.

Isto é uma exposição e esta galinha morta com o pescoço cortado é uma escultura de 4 metros.

 

A gratuidade na Pinacoteca tem dia e horário. Consulte nossas dicas de viagem e saiba dias e horários para entrar sem ter que acordar aquele grande escorpião que dorme dentro do seu bolso.

Além de Ron Mueck, a Pinacoteca tem seu acervo permanente e mais exposições temporárias. Há muito para se ver!

Depois disso, seguimos viagem em mais exposições.

 

 

Vamos ver um pouco de Salvador Dalí.

Meu pintor favorito. A fase surrealista é a que mais gosto.

Vimos no Rio de Janeiro, no CCBB, em julho. Pouca gente, muito o que ver, tranquilidade para olhar à vontade. Confesso que fiquei triste com a exposição de São Paulo. Talvez um quarto das obras, gente demais, uma hora para entrar. Ao menos a escultura do rosto está lá. Este é no Instituto Tomie Ohtake, ao lado da Av. Brigadeiro Faria Lima.

Entrada para a exposição de Salvador Dalí. Instituto Tomie Ohtake.

Entrada para a exposição de Salvador Dalí. Instituto Tomie Ohtake.

 

Mestre do Impressionismo.

Mestre do Impressionismo.

 

 

Este você terá que ver no ângulo certo. Olhando direito você verá nos móveis os detalhes de um rosto feminino.

Este você terá que ver no ângulo certo. Olhando direito você verá nos móveis os detalhes de um rosto feminino.

 

O Espelho convexo ajuda a ver melhor. Mas continuo evitando selfies.

O Espelho convexo ajuda a ver melhor. Mas continuo evitando selfies.

 

 

Quadros, desenhos, pinturas, esculturas. Dalí era mesmo fantástico.

Quadros, desenhos, pinturas, esculturas. Dalí era mesmo fantástico.

 

 

Vá de Metrô. Ao redor há vários bares legais para visitar depois da exposição.

Vá de Metrô. Ao redor há vários bares legais para visitar depois da exposição.

 

 Agora vamos ver duas em uma:

A Caixa Econômica Federal também tem um Centro Cultural. Fica até bem perto do CCBB de São Paulo. Os dois são no Centro da Cidade. Dá pra fazer um belo tour.

 

Hoje, Centro Cultural da Caixa, com exposição fotográfica e Vinícius de Moraes.

Chegando no Centro Cultural da Caixa – quantas palavras começadas com “C” – o visitante já vê uma espécie de chuva de plástico, amarrada com fios, vi uma centena ou mais de pequenos visualizadores de fotos. Os mais velhos saberão que basta olhar dentro do que parece um dedal, mirando contra a luz, para ver uma única imagem. Era o jeito de se ver fotos especiais quando revelar era caro, ampliar tinha preços absurdos, quase ninguém tinha uma câmera fotográfica e o filme vinha com 12, 24 ou 36 chapas. Os preços eram impeditivos para a maioria da sociedade, logo, era preciso valorizar cada click.

Não faço ideia de como isso se chama. Mas olhe dentro e você vai entender

Não faço ideia de como isso se chama. Mas olhe dentro e você vai entender

A exposição de autoria do fotógrafo Paulo Pampolin leva o título de

São Paulo Dentro e Fora

Começou em 06 de dezembro de 2014 e vai até 01 de março de 2015.

A imagem com a Karina como referência de tamanho explica melhor o conceito de dentro e fora da exposição. Os olhares são trocados e confundidos. Nem sempre fica claro o que é objeto de observação e quem afinal está observando. Muitas pessoas que aparecem nas imagens são fotografadas encarando a lente e por consequência o observador. Para alguns isto poderá parecer incômodo. Para outros, vale bem a reflexão.

E aqui temos uma janela para a poluição de São Paulo. Mas olhe melhor. Não é bem isso.

E aqui temos uma janela para a poluição de São Paulo. Mas olhe melhor. Não é bem isso.

 

 

Reprodução de moeda de época na proteção das escadas.

Reprodução de moeda de época na proteção das escadas.

Tome um tempo para olhar para a arquitetura e decoração da época. É uma exposição histórica caprichada em detalhes.

Entre as comemorações do Centenário de nascimento de Vinícius de Moraes, o Centro Cultural Caixa apresenta:

O Haver – pinturas e músicas para Vinícius

Desenhos, fotos, quadros, instrumentos e partituras de músicas de Vinícius de Moraes comemoram o centenário de nascimento do famoso músico carioca.

A vida documentada de Vinícius de Moraes

A vida documentada de Vinícius de Moraes

 

E a vida poética tratada em imagens surrealistas.

E a vida poética tratada em imagens surrealistas.

 

MAC-USP – Sinta-se na terra dos gigantes

Voltando ao tema de esculturas gigantes, corra ao MAC antes que acabe a exposição Transarquitetônica e as atuais. Gatos gigantes, árvores que ocupam prédios inteiros, galerias sem fim de madeira, tijolos e papelão. Você vai se sentir um Smurf andando por lá.

Lembre-se de que o MAC agora está no antigo prédio do DETRAN, em frente ao Parque do Ibirapuera.

Quero ver este segurança jogar uma bola de lã para este gatinho.

Quero ver este segurança jogar uma bola de lã para este gatinho.

 

 

Cristais, esculturas, desenhos, quadros. Vá com tempo, com calma. Também tem muita coisa para as crianças verem. Vimos várias delas no MAC.

Cristais, esculturas, desenhos, quadros. Vá com tempo, com calma. Também tem muita coisa para as crianças verem. Vimos várias delas no MAC.

 

Achou que eu estava brincando? O gato é realista e grande como um ônibus.

Achou que eu estava brincando? O gato é realista e grande como um ônibus.

 

 

Veja o vídeo da construção dessa obra e visite o local. Entre, não tenha medo.

Veja o vídeo da construção dessa obra e visite o local. Entre, não tenha medo.

 

 

As crianças vão adorar! Mas quem tem medo pode ficar acariciando o gatinho.

As crianças vão adorar! Mas quem tem medo pode ficar acariciando o gatinho.

O MAC tem vários andares de acervo permanente, mas a maior parte das obras tem tempo de permanência, ficando três meses em média.

 Museu da Diversidade Sexual.

A parte menos exuberante de nossa viagem nas exposições de São Paulo foi a visita ao Museu da Diversidade Sexual. A Karina estava cheia de expectativas e eu mesmo achei que seria algo grande. O espaço fica dentro da Estação República do Metrô de São Paulo, linha vermelha. Você terá que sair da estação e seguir para a saída da Rua do Arouche. Dentro do espaço de uma das antigas lojas, está uma área pequena, bem iluminada e aproveitada para, desta vez, falar da vida e obra de Frida Kahlo de um jeito diferente. A fotógrafa Camila Fontenele de Miranda escolheu pessoas para vestir como Frida, para parecerem Frida e para serem fotografadas como Frida.

É um espaço pequeno e comportado para nossas expectativas

É um espaço pequeno e comportado para nossas expectativas

 

 

Gostei das cores fortes

Gostei das cores fortes

Quando ouvimos o nome “Museu da Diversidade Sexual” imaginamos coisas mais chocantes que apenas a sobrancelha de Frida Kahlo. Mas as imagens estão bem legais, muito bem feitas e a iluminação e ambientação foram tratadas com cuidado.

E se o tema tem a ver com sexo, o casal estava no clima certo.

E se o tema tem a ver com sexo, o casal estava no clima certo.

Finalmente, Da Vinci.

A cerejinha do bolo de nossa viagem cultural ficou por conta do mítico mestre renascentista italiano Leonardo da Vinci.

Pintor, escultor, inventor, desenhista, maluco e lendário, este engenheiro, arquiteto, multi-instrumentista facetado e inquieto fez máquinas de guerra, máquinas voadoras, tratados científicos sobre biologia, anatomia de homens e animais, fortificações, prédios, fortalezas militares, efeitos especiais para teatro, contribuiu para a ciência como nenhum outro e está com uma exposição na FIESP, na avenida Paulista, 1.313. Vá de Metrô.

Entrada da Exposição Da Vinci.

Entrada da Exposição Da Vinci.

 

Acima de tudo, a arte de observar o mundo à sua volta, a atenção ao que acontecia ao seu redor fez com que Da Vinci tivesse tantas ideias fantásticas.

Mestre Leonardo não conhecia esta obra-prima!

Mestre Leonardo não conhecia esta obra-prima!

 

 

Maquete de um carro de guerra blindado. É maior do que parece.

Maquete de um carro de guerra blindado. É maior do que parece.

 

Uma representação da cidade com luzes, cores e efeitos especiais. Seres fantásticos aparecem em hologramas. Sim, no século XVI Da Vinci já sabia fazer hologramas.

Uma representação da cidade com luzes, cores e efeitos especiais. Seres fantásticos aparecem em hologramas. Sim, no século XVI Da Vinci já sabia fazer hologramas.

 

O gênio de Leonardo da Vinci é popularmente conhecido pela pintura. O que não é pouco. Foram os renascentistas que começaram a compor seus quadros usando matemática. Cada coisa nesta tela segue uma complicada equação.

O gênio de Leonardo da Vinci é popularmente conhecido pela pintura. O que não é pouco. Foram os renascentistas que começaram a compor seus quadros usando matemática. Cada coisa nesta tela segue uma complicada equação.

 

 

Uma ave robô. Leonardo a desenhou baseado em observação e dissecação. Vídeos na exposição podem mostrar o funcionamento de muitas das obras de Da Vinci.

Uma ave robô. Leonardo a desenhou baseado em observação e dissecação. Vídeos na exposição podem mostrar o funcionamento de muitas das obras de Da Vinci.

 

 

Painéis ajudam a contar a história e a entender melhor a exposição e as obras.

Painéis ajudam a contar a história e a entender melhor a exposição e as obras.

 

Além de ver e se encantar, o visitante/turista/viajante pode tocar em algumas peças, reproduzindo o trabalho de Da Vinci no ritmo que preferir e tendo uma experiência bem mais interativa com muitas das peças.


Dicas de Viagem:

Em todos estes lugares, o melhor jeito de ir é de transporte público. Acredite, você vai odiar ir de carro até o centro de São Paulo.

 

  • O Centro Cultural da Caixa fica ao lado da estação Sé do Metrô;
  • São Paulo Dentro e Fora de Paulo Pampolin vai de 06 de dezembro de 2014 até 01 de março de 2015.
  • O Haver pinturas e músicas para Vinícius vai de 18 de outubro de 2014 a 11 de janeiro de 2015. Outro que você não pode deixar para depois.
  • Dia 16/12 começam novas exposições no Centro Cultural da Caixa. Uma delas é “Poster 4 Tomorrow“. A Karina falou dela aqui: https://abussolaquebrada.wordpress.com/2014/10/01/caixa-cultural/
  • A Caixa tem exposições permanentes, mas a maior parte tem prazo para acabar.

 

  • A Pinacoteca está em frente à Estação da Luz, linha amarela, sentido Tucuruvi;
  • A Exposição de Ron Mueck na Pinacoteca fica de 20 de novembro de 2014 a 22 de fevereiro 2015. Mas você sabe que se deixar para a última hora, vai acabar esquecendo, não é?
  • A entrada custa R$6,00 mas toda quinta após 17h e aos sábados a entrada é gratuita.

 

  • A Exposição Da Vinci está na sede do SESI, na Av. Paulista e você ainda pode ver a decoração de Natal que está entre o MASP e o Parque Trianon. Desça na estação Trianon, linha verde;
  • A exposição começou em 11 de novembro de 2014 e vai até 10 de maio de 2015.

 

  • O Museu da Diversidade Sexual fica numa das lojas da Estação República. É só sair das catracas e procurar a saída da Rua do Arouche;
  • Frida Kahlo de 12 de novembro de 2014 a 28 de fevereiro de 2015 e nos dias 15, 16, 22, 23, 29 e 30 de novembro e 6, 7, 13 e 14 de dezembro, entre 14h e 19h o visitante poderá ser maquiado e fotografado por Camila Fontenele de Miranda. mas tem que assinar um termo de cessão de uso da imagem.

 

  • Salvador Dalí está no Instituto Tomie Ohtake, a dois quarteirões da Estação Pinheiros, linha amarela;
  • No Rio de Janeiro já acabou, mas http://culturabancodobrasil.com.br/portal/salvador-dali/
  • Em São Paulo a exposição começou em 19 de outubro de 2014 e vai até 11 de janeiro de 2015. Corra! http://www.institutotomieohtake.org.br/programacao/exposicoes/salvador-dali/

 


 

 

Anúncios