Alsácia: Colmar e Strasburg

A alsácia é uma região muito fofa e cheia de história. Será que na escola você ouviu falar da Alsácia-Lorena e da guerra Franco-Prussina?  Então, a Alsácia já foi da França, da Alemanha, da França de novo, e da Alemanha novamente e por fim da França (e eu nem sei se teve mais alternâncias).

Novo trecho da viagem

Novo trecho da viagem

A região faz fronteira com a Alemanha e com a Suíça. E foi por esta última que eu entrei na Alsácia. Peguei um trem em Basel e fui passear por duas das seis cidades da Alsácia: Colmar e Strasburg. Mas se eu soubesse do Parque do Pequeno Príncipe que tinha acabado de inaugurar, teria visitado Mulhouse também.

Por conta dessas mudanças frequentes de domínio, a Alsácia tem uma cultura muito própria que se mistura com características tanto francesas, quanto alemãs. Mas eles fazem muita questão de falar que são da Alsácia, um pequeno “nacionalismo”.

Casal com trajes alsacianos típicos, e a cegonha (que mais parece um pato) símbolo da região.

Casal com trajes alsacianos típicos, e a cegonha (que mais parece um pato) símbolo da região.

Colmar

Minha primeira parada foi Colmar. Eu não fazia ideia do que tinha por lá, então fui atrás de um mapa. DICA: sempre veja antes se tem mapa grátis no atendimento ao turista. Com meus mapas na mão (eu comprei um de 4.9 euros antes de descobrir que eles ofereciam um com todos os pontos turísticos de graça =/) fui explorar a cidade.

Estação de Trem de Colmar

Estação de Trem de Colmar

Até me entender com o mapa, fiquei meio sem saber o que fazer, mas depois me pus em uma caça aos pontos turísticos super divertida! A maioria são prédios antigos ou igrejas. A cidade é bem pequena, mas muito turística. Tem lojinhas de souvenires para todos os lados. Eles gostam de beber por  lá, então você também vai encontrar vinhos e cerveja da região!

Prédio, poço, chafariz... teve de tudo na minha caçada!

Prédio, poço, chafariz… teve de tudo na minha caçada!

Das coisas que dá pra fazer? Passear pela cidade a pé, de trenzinho ou de barco.

Petite Venise - a Veneza de Colmar

Petite Venise – a Veneza de Colmar

Para comer, tem cafés e restaurantes em volta do rio. E tem o mercado municipal com comidas típicas e bem mais em conta. Comi no mercado (Marché Couvert), tem de tudo lá. Coisas para levar, coisas para comer na hora.

Entrada do mercado

Entrada do mercado

E tem muitas praças simpáticas para ver e descansar. Saindo na estação de trem já tem uma linda! E no meio da cidade tem uma bem interessante com toques futuristas, que tem o nome em homenagem ao dia da libertação da cidade.

Praça 2 de Fevereiro, com o antigo hospital ao fundo

Praça 2 de Fevereiro, com o antigo hospital ao fundo

E também tem museus para visitar.  Museus de história natural, museus de brinquedos e trens e outros. Parece pequena, mas tem muito o que fazer e ver em Colmar!

Entrada do Museus Bartholdi, casa do escultor Auguste Bartholdi

Entrada do Museus Bartholdi, casa do escultor Auguste Bartholdi

Strasburg (em português, Estrasburgo)

Strasburg é a maior cidade da região da Alsácia. É uma cidade histórica onde muitos eventos importantes para o mundo aconteceram. Por exemplo, foi lá que Gutemberg inventou a prensa móvel e fez o primeiro livro.  E também foi lá que Maria Antonieta, vinda da Áustria, trocou suas roupas alemãs por roupas francesas, no filme da Sofia Coppola tem essa cena.

Para a Europa, Strasburg também é uma cidade importante, que é sede de Parlamento Europeu, do Conselho da Europa e da Corte Europeia de Direitos Humanos. Infelizmente não consegui visitar.

Palais du Rhin

Palais du Rhin, ou Palácio do Reno. Antigo residência oficial do Kaiser Prussiano, quando a Prússia dominou a região.

Eu passei pelo centro de Strasburg, que é uma ilha contornada pelo Rio Iii. Imagino que a cidade começou ali e foi crescendo em volta. Tanto que os prédios importante do século XX, os que citei acima, ficam fora desse centro. Mas os prédios e pontos turísticos antigos ficam todos concentrados ali.

Monumento aos mortos de Estrasburgo, na Praça da República

Monumento aos mortos de Estrasburgo, na Praça da República

Fui andando, olhando e aproveitando o passeio. Acabei não tirando muitas fotos. Fiquei mais aproveitando o clima agradável. Uma cidade agitada, mas onde as pessoas param para almoçar no banquinho em frente ao rio.  Carros modernos passando, em rua de casas suntuosas e antigas.  Gente simpática me perguntando se eu queria informação no meio da rua.

Margem do Rio Iii

Margem do Rio Iii

Como dei toda volta, fui procurando lugares do meu interesse. O primeiro era o Museu Tomi Ungerer. Não lembro exatamente o porquê quis ir lá. Acho que vi uma propaganda de uma exposição que parecia legal. Infelizmente era bem no dia que o museu estava fechado. =/

Bruxinhas no jardim do Museu Tomi Ungerer

Bruxinhas no jardim do Museu Tomi Ungerer

Continuei andando e fui até a Notre Dame de Strasburg. Bom, vale esclarecer que é normal ter várias “notre dame” na França, pois é literalmente “nossa senhora”. Então Essa é a Igreja de Nossa Senhora de Estrasburgo.

Não é a toa que ela já foi a maior igreja da mundo. Atualmente é a 4ª.

Não é a toa que ela já foi a maior igreja da mundo. Atualmente é a 4ª.

Place du château e lateral da igreja

Place du château e lateral da igreja

E por falar na Place du Château, ou praça do castelo (sei lá, não gostei da tradução), nela estão situados uma dúzia de pontos turísticos. Além da Igreja de Nossa Senhora, Tem o Palais Rohan, que abriga três museus (Museu de Belas Artes, Museu de Arqueologia e Museu de Artes Decorativas). Também tem outros dois museus, o museu de artefatos do Notre Dame (minha tradução livre, para Musée de Ll’oeuvre Notre Dame) e o Museu de Estampas e Desenhos.

E por algum motivo, tem  um demônio saindo das profundezas na Place du Château

E por algum motivo, tem um demônio saindo das profundezas na Place du Château

Eu não fui em nenhum desses, fui em um mais escondidinho, mas ali perto também. Fica na Rue du Vieux Marché Aux Poissons (ou Rua do Velho Mercado de Peixes), e é o Museu Histórico de Strasburg.

Foi baratinho, 3 euros (mais barato que o mapa) e pude usar minha carteira de estudante internacional, eles não implicavam com a idade!! Esse valor dava direito também a um áudio-guia que ia te acompanhando durante a visita, explicando a história da cidade e comentando fatos interessantes. Não tinha muitas línguas disponíveis, apena francês, inglês e alemão.

Soldadinhos souvenires

Soldadinhos souvenires

Eu realmente adorei. É super interativo, divertido, enorme e lindo. E no final você pode mandar um postal por email. Mandei um para o Fabiano, e ele viu no spam e jogou fora… AMO!

Já estava quase na hora do meu trem, passei pela Petite France. Um pequeno patrimônio mundial da humanidade, título dado pela Unesco para esse bairro antigo. De seus principais atrativos, fui ver as pontes cobertas, do século 14.

Dá pra ver a ponte lá trás?

Dá pra ver a ponte lá trás?

Agora dá!

Agora dá!

Por fim, estação de trem. Um prédio que se destaca por sua modernidade no meio de prédios antigos. Não destoa, ele se incorpora. Dentro também é muito moderno, tem por exemplo, estações onde as pessoas pedalam para gerar energia para carregar seus celulares.

Estação de trem de Strasburg

Estação de trem de Strasburg


Dicas de Viagem

Anúncios