Da Alemanha ao Brasil: fim da viagem

Os finais de viagem, sempre um misto de tristeza e felicidade. Fazer as malas, despedidas, aeroportos, correria, longas horas de vôo, reencontros, desfazer as malas. E aquele grande gosto de quero mais!

Antes de voltar para o Brasil, dei uma passada rápida em duas cidades Alemãs que ficam pela fronteira com Basel, na Suíça.  Primeiro Freiburg, a cidade da Floresta Negra, que inclusive deu nome a uma torta deliciosa. Freiburg também é conhecida como uma das cidades mais ecológicas do mundo, onde as pessoas preferem bicicletas a carros!

Patinhos na rua. Quando chove, eles nadam...

Patinhos na rua. Quando chove, eles nadam…

Não lembro que dia era, mas Freiburg estava bem agitada.  Fomos à Catedral de Nossa Senhora de Freiburg. Bom, tecnicamente é a Notre Dame da cidade, e o tamanho e a arquitetura representam isso muito bem. A catedral começou a ser construída em 1200, e mistura o estilo romanesco e o estilo gótico, cada estilo representa uma fase da construção.

Nossa Senhora de Freiburg

Nossa Senhora de Freiburg

Alguns detalhes da Catedral. Estava bem cheio lá dentro.

Alguns detalhes da Catedral. Estava bem cheio lá dentro.

Na praça da catedral tem uma feirinha de comidas, com barracas, foodtrucks e bares-bicicleta, ou barcicletas (não faço ideia como é o nome disso na verdade). Esse último é realmente interessante, você está andando em uma avenida e do nada vê uma mesa de bar passeando pela rua, com pessoas super animadas bebendo e pedalando.

Nos prédios históricos a volta, tem restaurantes e adegas. Ali você pode comer comidas típicas alemãs, como salsinha com mostardas muito boas!!

Barcicleta. As pessoas sentam no bar, pedalam e ele sai andando pela rua. JURO!

Barcicleta. As pessoas sentam no bar, pedalam e ele sai andando pela rua. JURO!

Armazém histórico, ainda em funcionamento, em frente a Catedral.

Armazém histórico, ainda em funcionamento, em frente a Catedral.

Perto da Catedral, na rua Kaiser-Joseph, um comércio intenso nos lindos prédios de arquitetura alemã típicos. Lojas chiques, lojas populares, lojas e ruas cheias!! No dia que fui, tinha uma obra gigante, o que deixava as calçadas bem estreitinhas. Nessa rua tem o famoso Martinstor, uma fortificação medieval onde ficava os portões da cidade. A cidade já cresceu, mas a torre continua lá!

Torre do relógio, na rua Kaiser-Joseph. O ângulo está ruim, mas por causa da obra (o

Martinstor, na rua Kaiser-Joseph. O ângulo está ruim, mas por causa da obra (o “muro” do lado esquerdo delimitava a rua).

Essa era uma das ruas que passava carro.

Essa era uma das ruas que passava carro.

Andando pelas ruas de Freiburg, entre o moderno e o antigo, tudo muito simpático e cheio de detalhes nos mais diversos lugares: chão, paredes, bancos na rua, placas de ruas, bebedouros e especialmente nos prédios!

No chão ou nas paredes, em Freiburg tudo tem toque de arte.

No chão ou nas paredes, em Freiburg tudo tem toque de arte.

Um novo jeito de sentar no touro.

Um novo jeito de sentar no touro.

Na volta para Basel, paramos em Lörrach, bem na fronteira. Paramos numa praça, bebemos uma pequena cerveja gigante (é que a menor tem uns 500 ml, e como tava calor, senti falta de um chopp estupidamente gelado), andamos um pouco para ver a cidade e fomos embora.

Voltando para o Brasil

Uma das minhas preocupações em voltar ao Brasil era sobre quem faria a final da Copa do Mundo, porque eu ia chegar bem no dia, no horário do fim do jogo. E tudo que eu não queria era pegar um mega trânsito de boas-vindas!

Outra das minhas preocupações era onde me encostar no Porto, entre meu voo vindo de Basel (ou Freiburg, não sei se vocês se lembram, mas no post de Basel, eu disse que o aeroporto servia para Basel, Milhouse e Freiburg) e o voo indo para Madri (minha corrida conexão). Sem dinheiro e com o tempo corrido, dormi no aeroporto. Nada de conforto e muito custo para achar uma tomada para carregar o celular… Nada que 9 horas de sono no avião não recuperassem.

Mapa do fim da viagem

Mapa do fim da viagem

Balanço geral

A viagem durou 28 dias, passando por 13 cidades diferentes, em 5 países. Fiquei em hotel 4 estrelas, em hostel, em casa de amigos/família, em quarto alugado. Deslocamentos entre um país (ou cidade) e outro foi feito de trem ou de avião, dependeram muito do valor.

Os gastos financeiros também foram consideráveis. É importante programar e juntar. Fazendo tudo com antecedência é mais fácil conseguir descontos em praticamente tudo. E também é bom para ficar de olho no melhor momento para trocar seus euros.

Mas o mais importante de tudo é que vale muito a pena. E que você vai ter muita história para contar e experiências que vão deixar sua vida muito mais rica!


Dicas de viagem:

Eu só dei uma andada rápida, mas por lá tem algumas coisas interessantes para fazer, como museus de bonecas, museu arqueológico, e o parque da Floresta Negra.

  • Catedral de Freiburg: http://www.freiburgermuenster.info/
  • Como está tudo em alemão, vou dar uma ajudinha (“inha” mesmo, porque meu alemão é abaixo do básico):
    • O horário para visitas é de 10h às 17h, de segunda a sábado. Domingos e feriados, é de 13h às 19h30.
    • Torre: segunda a Sábado:  09h30 às 16h45. Domingos e feriados: 13h às 17h.
    • Coro e capelas: Segunda a Sexta de 10h às 11h30 e 12h30 às 16h. Sábados, 10h às 11h15 e de 12h30 às 15h30. E domingos e feriados, de 13h às 16h.
Anúncios