Circuito das Artes

Esse final de semana visitamos o 19º Circuito das Artes do Jardim Botânico, um evento que já virou tradição no bairro. Um dia com muita arte e gastronomia em um dos bairros mais charmosos do Rio de Janeiro – eu acho!

Muitas indicações para ninguém se perder.

Muitas indicações para ninguém se perder.

A gente já falou aqui sobre as atrações do bairro do Jardim Botânico, o parque que dá nome a ele e o Parque Lage. A natureza é o ponto forte desse bairro que fica a alguns passos da Lagoa Rodrigo de Freitas e que tem vista privilegiada para o Cristo Redentor. Mas as artes também são uma atração desse bairro cheio de ateliês  espalhados por lojas, garagens, casinhas e casarões.

Escondidinho, mas cheio.

Escondidinho, mas cheio.

O Circuito das Artes durou dois finais de semana, fomos, eu e minha mamis, no último dia. Começamos pelo ateliê de número 1, onde pegamos um livreto com o mapa de todos os participantes. Tudo muito bem organizado.

Na frente de todos os participantes tinha um banner como esse, inclusive nos restaurantes participantes do circuito gastronômico.

Na frente de todos os participantes tinha um banner como esse, inclusive nos restaurantes participantes do circuito gastronômico.

Por ser espalhado pelo bairro, o circuito contava com uma van para levar as pessoas entre os ateliês.  Mas como conhecemos o bairro e sabemos que ele é pequeno, preferimos ir andando.  Subimos a Rua Lopes Quintas, e lá já tinham algumas lojas. Essa rua passou por transformações ao longo dos anos e se tornou um dos centros do pólo gastronômico do Jardim Botânico.

As lojas participantes também eram bem artísticas.

As lojas participantes também eram bem artísticas.

O fluxo de pessoas era bem grande, e dava pra ver bem quem estava ali para o circuito: todos com seus mapinhas. Os ateliês participantes também eram muitos, 37 no total, muito deles com exposições de mais de um artista. As artes eram variadas, pintura, joias, cerâmica, móveis e fotografia.

Descemos a rua Corcovado, onde fica a obra social O Sol, que pela sua trajetória de incentivo ao desenvolvimentos humano por meio do artesanato, não podia estar de fora do circuito.

Há 50 anos O Sol transforma a vida das pessoas pela arte.

Há 50 anos O Sol transforma a vida das pessoas pela arte.

E então fomos para a Rua Pacheco Leão. Essa rua é uma graça. De um lado o Jardim Botânico, quase aberto com suas grades verdes que se confudem com as plantas. Do outro casas. Uma parte da rua com casas grandes em condomínios, outra parte da rua, casas que eram de operários das fábricas têxteis que o bairro tinha até a década de 1960.

Nos encantamos com as peças que a Heloisa faz. Figurinos super detalhados e máscaras incríveis.

Nos encantamos com as peças que a Heloisa faz. Figurinos super detalhados e máscaras incríveis.

No mesmo processo de transformação da Rua Lopes Quintas, a Rua Pacheco Leão também se restruturou, as casas dos operários foram revitalizadas, muitos restaurantes abriram e a região é um dos principais centros gastronômicos da Zona Sul do Rio de Janeiro.

Arte dentro e fora, numa das casas da ex-vila operária.

Arte dentro e fora, numa das casas da ex-vila operária.

O Circuito da Artes é tanto para os artistas mostrarem suas peças, quanto para incentivar o comércio. Todas as peças expostas estavam à venda. Para muitos, aquela era uma oportunidade de ganhar novos clientes. Um dos ateliês que fomos, que ficava, ao que me pareceu, na sala de estar da casa, escutei a mocinha falando que elas só vendiam sob encomenda fora do Circuito, pois não tinham uma loja física.

Uma garagem também pode ser galeria de arte.

Uma garagem também pode ser galeria de arte.

Voltamos para a Rua Lopes Quintas, já no final da tarde, para ver as exposições e ateliês do lado que ainda não tínhamos ido. Em uma escola de dança, muitos expositores. Tinha um pouco de tudo lá. Já era noite e muita gente visitando e comprando.

A arte estava em todos os lugares.

A arte estava em todos os lugares.

Andamos mais umas ruas. Já estava perto das 19h. – Hora em que os ateliês fechariam. Decidimos que já estava bom pra gente!

Não vimos tudo, por causa da hora e por causa do cansaço. Pra quem gosta de artes e quer passar um dia diferente, pode aproveitar o dia inteiro. Do Horto, parte do bairro que fica depois da saída do Jardim Botânico na Rua Pacheco Leão, ao Parque Lage, muita coisa para ver e admirar. Ano que vem tem mais!


Dicas de viagem:

Site do Circuito das Artes: http://www.circuitodasartes.com.br/2015/index.html

O Sol: http://www.osolartesanato.org.br/

Anúncios