Ilha Grande

Como o nome já diz, Ilha Grande é uma ilha bem grande do litoral fluminense. E essa ilha é uma pequena reserva natural que preserva a exuberância da Mata Atlântica brasileira. Indicada para crianças e adultos, para quem gosta de relaxar na praia e pra quem gosta de fazer trilhas no meio mato. Venha comigo relembrar minhas experiências nessa linda ilha.

mapa_ilha_grande

Mapa com os principais pontos turísticos da ilha.

Eu fui à Ilha Grande em três situações diferentes, com pessoas diferentes (uma amiga repetiu uma vez) e em anos diferentes. Em cada uma dessas vezes eu fiquei acampada em um lugar diferente da ilha – acampar foi a única coisa que se repetiu todas as vezes – e por isso pude conhecer um monte de praias diferentes.  E olha que ainda faltou muita coisa para conhecer.

A Ilha Grande

A Ilha Grande fica no litoral oeste do estado do Rio de Janeiro, região também conhecida como Costa Verde, e pertence ao município de Angra dos Reis. O principal acesso à ilha é pelas barcas, que saem de Mangaratiba e de Angra dos Reis para a Vila do Abraão, que é o principal porto da ilha.

ilha grande

Prefiro tons de azul e de verde.

Ilha Grande tem como seus principais atrativos as belezas naturais. E por conta do grande fluxo de turistas, partes da ilha foram mantidas como reserva de proteção ambiental e só podem ser acessadas com autorização prévia.

ilha grande

Pôr do sol no mar.

A história da colonização da ilha é similar à do resto do litoral brasileiro. Até metade do século XIX, os índios já haviam sido expulsos e dizimados e na ilha só tinham fazendas de cana-de-açúcar e café, que utilizavam trabalho escravo. Posteriormente, foi instalado e, Ilha Grande um asilo para doentes “leprosos” – o termo não se usa mais, e a doença hoje é facilmente tratável, mas na época não tinha cura e as más condições de higiene facilitavam a transmissão da doença – e depois, um presídio, que ficou em funcionamento durante muitos anos, sendo utilizado para presos políticos desde a Era Vargas até meados da Ditadura Militar.

Pequena galeria de fotos que não sei exatamente de onde são:

Voltando à parte boa, Ilha Grande é obviamente toda cheia de praias, mas também tem cachoeiras, lagoas, montanhas, além de outras ilhas pertinho que podem ser visitadas nos passeios de escuna.  Como não tem automóveis na ilha, as únicas formas de chegar às praias são de barco ou andando.  Seja você um amante dos esportes radicais, seja você alguém que só quer relaxar e fugir da agitação da cidade grande, a Ilha Grande vai te conquistar.

Minha primeira vez

Da primeira vez que fui à Ilha Grande, era um feriado de finados. Como sempre, previsão de chuva. O que afastou muita gente. Não me lembro de ter chovido, mas lembro que um dos dias teve um arco-íris lindo. Deve ter chovido no mar.

Arco-íris e pôr do Sol. A natureza dá o filtro.

Arco-íris e pôr do Sol. A natureza dá o filtro.

Encontrei uns amigos na rodoviária ainda bem cedo pela manhã, acho que nem tinha Sol ainda. Para ir de barca para Ilha Grande, precisa chegar bem cedo, pois os horários não são muitos. De qualquer jeito, quando chegamos em Mangaratiba, não tinha barca e eu não lembro o porquê. O cais estava cheio e queríamos ir para a Praia de Palmas. Fechamos um barco de pesca com outras pessoas e fomos. Isso é bem comum por lá.

Piscininha natural. O rio que corre para o mar.

Piscininha natural. O rio que corre para o mar.

Eu baixei a cabeça e dormi. Foi estratégia para não enjoar. Todas as minhas amigas passaram mal durante o trajeto, que durou cerca de 40 minutos.

Em Palmas tem muitos campings, queríamos um mais afastado, para não ter muito barulho à noite, mas que estivesse na beira da praia. Conseguimos. E bem do lado ainda tinha um barzinho que servia café da manhã por um preço bem em conta!

Palmas vista de dentro do barco.

Palmas vista de dentro do barco.

Revezamos os dias entre ficar relaxando em Palmas e fazer trilhas para praias próximas. E de noite, um barzinho que tocava música e servia cerveja gelada – acredite, quando se está em uma ilha cuja energia vem de geradores domésticos, cerveja gelada é privilégio.

Praia de Palmas.

Praia de Palmas.

Outro privilégio é pagar com cartão de crédito, o sinal pode não cooperar. E como não tem banco, leve sempre dinheiro suficiente para a viagem inteira. Mesmo que nesta parte da ilha tenha restaurantes, não tem mercado. Pode ser bom também levar algo de comida. Especialmente se quiser economizar.

Em algum lugar no meio da trilha para Lopes Mendes.

Em algum lugar no meio da trilha para Lopes Mendes.

A trilha mais fácil para quem está em Palmas é a que vai para a praia de Lopes Mendes. Lá não tem muita coisa, o atrativo é a praia, que é muito boa para surfistas. Nesta praia não pode acampar, e também não tem construções. Então, o máximo que você vai encontrar lá são algumas barraquinhas que vendem sanduíches. A parte boa é que mesmo cheia, ela é uma praia vazia.

Lopes Mendes

Praia de Lopes Mendes

Depois de três dias de sombra e água fresca, voltamos. Dessa vez de barca porque ninguém queria passar mal de novo.

Segunda vez

Da segunda vez, também era feriado. Mas fomos de carro até Angra dos Reis, onde pegaríamos um barco particular para ir até a Praia de Aventureiro, uma vila de pescadores dentro de uma reserva de proteção ambiental. O barco era de uma amiga de um amigo de amiga… Ou seja, eu era quase penetra. Dessa vez o grupo era gigante, mas no fim, mesmo a praia sendo minúscula, não ficamos o tempo todo com o grupão.

Palmeira do cartão postal.

Palmeira do cartão postal.

Na Praia do Aventureiro precisa de autorização para entrar, pois está em uma das reservas ambientais. Essa autorização é necessária para o controle do número de pessoas. Atualmente só são permitidas 560 pessoas por dia na praia. Para conseguir a autorização é fácil, mas chato, pois é apenas pessoalmente no Centro de Informações Turísticas em Angra dos Reis.

Praia do Demo, de cima da pedra que só pode ser do Demo mesmo porque quase me matou.

Praia do Demo, de cima da pedra que só pode ser do Demo mesmo porque quase me matou.

Acho que essa é a Praia do Sul. Nem preciso dizer que estava vindo chuva, né?!

Acho que essa é a Praia do Sul. Nem preciso dizer que estava vindo chuva, né?!

 Diferente de Palmas, na Praia do Aventureiro você não vai ter restaurante, então é imprescindível que você leve comida. Mas pode esquecer o celular em casa porque lá não pega. Ou melhor, se você subir numa pedra sei lá onde, ele até pega.

Acho que aqui em cima o celular pegava.

Acho que aqui em cima o celular pegava.

O clima desta vez não estava dos mais favoráveis. Muita chuva e muito vento. Por sorte o camping que ficamos tinha cobertura, embora não tivesse água quente. E o casal dono do camping, muito humildes, desligavam a energia depois da novela das 21h. Por outro lado, muito solícitos, nos emprestaram a própria cozinha para nossos cafés da manhã.

Onde o mangue encontra o mar.

Onde o mangue encontra o mar.

Um dos nossos objetivos era fazer uma trilha que passava por dentro de um mangue e nos levaria até a Praia do Leste, passando pela Praia do Sul. Fizemos parte do caminho, pois o céu anunciava uma chuva gigante, e não queríamos pegar a parte mais perigosa da trilha no meio da chuvarada.

Piscininha natural depois do mangue, no que eu acredito ser o começo da Praia do Leste. Fomos só até aqui.

Piscininha natural depois do mangue, no que eu acredito ser o começo da Praia do Leste. Fomos só até aqui.

Voltei dessa viagem com um cotovelo roxo e com o pé infeccionado por espinhos. Só amor!

Terceira vez

Eu e uma amiga tivemos a brilhante ideia de fugir dos agitos carnavalescos em Ilha Grande. Uma daquelas ideias que se tem em cima da hora, sem muita preparação.  A gente não contava que no carnaval a Ilha Grande ficava superlotada e que as festas e blocos também iam até lá.

E ainda ficamos na parte mais cheia, a Vila do Abraão. Que é o centro de Ilha Grande. Ali não tem problema com cartão de crédito e é onde tem as agências de passeios, por exemplo, padarias, mercadinhos, restaurantes de vários tipos. Tem basicamente de tudo na Vila do Abraão – só não sei se tem caixa eletrônico.

A vantagem é que conheci praias e lugares que ainda não tinha ido.

Uma vista de longe da Vila do Abraão.

Uma vista de longe da Vila do Abraão.

Fizemos a trilha para a Praia da Feiticeira, que fica na Enseada das Estrelas. No caminho, tem a trilha para a Cachoeira da Feiticeira, mas preferimos não ir. A subida era grande e nessa época eu fazia tratamento nos joelhos. Voltamos de táxi-barco. Já era final da tarde, a trilha era muito deserta e fechada, resolvemos não arriscar.

Quase certeza que essa aí é a Praia da Feiticeira.

Quase certeza que essa aí é a Praia da Feiticeira.

No caminho entre a Vila do Abraão e a Praia da Feiticeira, tem várias pequenas prainhas. Algumas bem vazias. Algumas que só aparecem quando a maré está baixa. Aproveite bem o caminho. Eu tinha certeza que tínhamos passado pelas ruínas, mas não encontrei nas minhas fotos. Vou ter que voltar lá.

Surpresinhas no caminho. Não sei exatamente qual praia é essa.

Surpresinhas no caminho. Não sei exatamente qual praia é essa.

No outro dia, pegamos um barco para Palmas – no carnaval estava ainda mais cheio do que da primeira vez que tinha ido lá – e fomos para Lopes Mendes. Minha amiga queria ir numa praia que parecia perto, se não me engano era Santo Antônio. A trilha para essa praia fica no caminho de Lopes Mendes, mas não tem sinalização. Não encontramos a trilha, entramos num mato cheio de lagartos. Eu tenho pavor de lagartos – desde lagartixas anãs bebês até crocodilos gigantes adultos – e dei fim na aventura pela trilha.

Lopes Mendes por outro ponto de vista.

Lopes Mendes por outro ponto de vista.

* As fotos são minhas, da Vivian e da Juliana.


Anuncio-retangulo

Dicas de viagem:

Esses dois sites sãos os oficiais de turismo em Ilha Grande (não sei qual é o mais oficial). Neles tem explicações de como chegar, sobre as praias, hotéis e acampamentos. Enfim, tudo que você precisar para organizar sua viagem!

Fique atento ao tempo, porque se chover muito, pode atrapalhar seus passeios.

Não esqueça de verificar se onde você vai se hospedar precisa de autorização.

E respeite a natureza. Recolha seu lixo; não incomode os animais. Ajude a preservar!

Centro de Informações Turísticas de Angra dos Reis (TurisAngra):

  • Endereço: Av. Ayrton Senna, 580. Praia do Anil – Angra dos Reis – RJ.
  • Telefone: (24)3369-7704
  • E-mail: cit@angra.rj.gov.br

O CIT funciona todos os dias, a partir das 8h. Como as autorizações são dadas em ordem de chegada, o ideal é chegar bem cedo.

Anúncios