Conheça o Museu Sherlock Holmes em Londres

Criminosos, pistas, sustos e todo tipo de presentes temáticos em nossa visita ao Museu Sherlock Holmes. Fã ou não do personagem, conhecer a atração é pular dentro dos livros e ter vontade de conhecer mais estórias. Conheça agora o Museu Sherlock Holmes, em Londres.

metro-baker-street-station-londres-a-bussola-quebrada

A estação Baker Street, com imagens que remetem ao Museu Sherlock Holmes.

Londres, a capital da Inglaterra é famosa por todas as atrações turísticas que oferece. A cultura é eternizada em várias formas. E como os ingleses são bem espertos, é claro que eles aproveitaram para capitalizar todo este acervo histórico, cultural e pop. Em todas as atrações tem uma lojinha de presentes, os famosos souvenirs, em cada esquina uma loja, no térreo dos prédios, lojas, restaurantes e lanchonetes. Vamos ver um exemplo rápido de comércio ligado a uma atração turística.

detalhe metro baker street a bussola quebrada

Detalhe sobre Sherlock Holmes na estação Baker Street.

Este é o Sherlock Holmes Museum em Londres.

Todos sabem que Sherlock Holmes é um personagem fictício, criado no começo do século 20 por Sir Arthur Conan Doyle, que também escreveu sobre fadas, sobre o um mundo perdido cheio de dinossauros, entre outros contos e novelas.

estatua de Sherlock Holmes Marylebone Road estacao baker street

A estátua de Sherlock Holmes, bem em frente à estação Baker Street.

O Museu Sherlock Holmes foi construído exatamente no endereço que tanto aparece nos livros da série, em que o maior detetive de todos os tempos mora com o Dr. John Watson. Vá de Metrô à estação Baker Street e vire à direita e direita de novo. Você irá ao final da rua, a famosa rua Baker, até o número 221 B.

Precisa de mais informações sobre o Metrô de Londres? Veja aqui.

Ao chegar ao Museu de Sherlock Holmes, você verá as aias, ou serviçais, ou, como dizemos aqui no Brasil, as empregadas domésticas, com seus trajes de época, e um guarda, vestido o mais parecido possível com o uniforme da época dos livros.

fachada-sherlock-holmes-museu-museum-londres-a-bussola-quebrada

O guarda e as aias, todos vestidos como na época. A casa era sede do Corpo de Bombeiros antes de virar museu.

O ideal é comprar os ingressos por internet. A casa é pequena e o número de acessos por vez é limitado. Aos poucos as pessoas entram e vêem os três pavimentos, decorados como era no final do século 19 e começo do século 20.

cachimbos-sherlock-holmes-museu-museum-londres-a-bussola-quebrada

A imagem de Sherlock Holmes está sempre associada ao cachimbo.

Cada cômodo da casa faz referência a um livro. Fico imaginando o trabalho de ler cada um dos volumes, entender os detalhes, reconstruir item a item as cenas de ação, ou de mistério, ou construir os rostos de criminosos, pessoas, ou mais difícil ainda, criar um rosto para o personagem Sherlock Holmes e um para o Dr. Watson, mas rostos que fossem convincentes, que parecessem verdadeiros, com ares de nobreza, inteligência, com uma verdadeira face inglesa.

cao-dog-cachorro-sherlock-holmes-museu-museum-londres-a-bussola-quebrada

Acho que este deve ser o Cão dos Baskervilles.

Adoraria pode dizer que li todos os livros de Sherlock Holmes, mas a verdade é que nunca tinha assistido nem mesmo um filme até que o Homem de Ferro fosse escalado para o papel. E só vi o primeiro filme.

lareira-sherlock-holmes-museum-museu-londres-a-bussola-quebrada

Olha a decoração caprichada!

Sherlock Holmes também deu tema para séries de TV, como Elementary e Sherlock, cada uma com um foco diferente, com atores famosos ou não, mas fazendo o maior sucesso com o detetive que persegue os piores monstros da humanidade. Mas não sei mais nada sobre o assunto. Talvez um dia eu leia os livros, mas o museu vale muito a visita.

Além da ambientação, da casa, das pessoas vestidas como na época, da decoração e da preservação da estrutura da construção, para dar um ar bem vitoriano, as estátuas são de cera, feitas para impressionar pela vivacidade, pelos detalhes, pelas expressões, como a face de um criminoso, psicopata ou não, enjaulado e com camisa de força, como em um sanatório.

sherlock-holmes-museum-museu-londres-a-bussola-quebrada

Vilões, estátuas bem feitas… Alguém sabe se este careca é o Dr. Moriarty?

Ou a idosa embalada em um caixão, como uma múmia, assassinada em um caso descrito nos livros.

Cada canto da casa tem uma história cheia de suspense e está bem detalhada com coisas simples, como quadros, papel de parede, estátuas de cera, roupas, e claro, as pistas que Sherlock Holmes ia encontrando e catalogando para solucionar os casos e dizer a famosa frase: “Elementar, meu caro Watson!” – O que foi? Eu não li os livros mas não sou ignorante de tudo.

museu-museum-sherlock-holmes-londres-a-bussola-quebrada

Algumas imagens são tão reais que podem assustar.

Uma das mais desconcertantes estátuas na casa é a do menino que espera do lado de fora da sala. Ele está vestido como mensageiro. Nada incomum. Na época, se a criança soubesse andar, falar, e contar até três, já tinha que procurar emprego. Então, ver um menino de 10 anos vestido de uniforme de trabalho era coisa bem comum para a época. Essa coisa de infância é invenção do século 20.

museu-sherlock-holmes-museum-londres-a-bussola-quebrada

Todo museu de detetive que se preze tem que ter algum criminoso psicopata.

O detalhe deste menino é que ele está lá, parecendo vivo, mas parado, com uma expressão estranha, incômoda. E eu lá pensando, olhando para o menino, incomodado com algo que não sei o que era, e outra estátua se move ao meu lado. Leve ataque cardíaco depois, falei com a funcionária, fantasiada de serviçal, que eu achei que fosse uma estátua.

menino-boy-sherlock-holmes-museu-museum-londres-a-bussola-quebrada

Ou um menino assustador, como em “O Iluminado”.

Ao sair, claro, tem a lojinha do Museu Sherlock Holmes, cheio de pratos, canecas, camisetas, brinquedos e até chocolates e doces. Os ingleses sabem capitalizar com todas as atrações turísticas.

loja-sherlock-holmes-museu-museum-londres-a-bussola-quebrada

E tem que ter lojinha! Compre um quebra-cabeças se você é fão de mistérios.

E como o Museu Sherlock Holmes atrai muitos visitantes, ao lado do museu existem mais duas lojas interessantes. Uma loja temática dos Beatles, com todo tipo de coisas com o nome, a marca ou as fotos dos Beatles, incluindo brinquedos e até discos de vinil, e a livraria Alef, com alguns livros que você só vai encontrar lá, por serem de arte, ou difíceis de encontrar, ou pela raridade do tema. Prepare o bolso ou prepare-se para dizer não aos seus impulsos.

loja-beatles-backer-street-londres-a-bussola-quebrada

E siga pela mesma calçada e veja a loja dos Beatles.

 

livraria-alef-londres-baker-street-a-bussola-quebrada

E aqui, uma livraria cheia de coisas bem bacanas para quem gosta de ler, de cultura – aliás, a Inglaterra ainda tem muitas livrarias. Alguém ainda gosta de cultura!

Dicas de Viagem:

Visite o Museu Sherlock Holmes e veja no site como comprar ingressos antecipados – www.sherlockholmes.co.uk/

E se precisar achar seu caminho, aqui tem o mapa do Metrô de Londres https://tfl.gov.uk/maps/

 

Anúncios