Conhecendo o Edifício Martinelli

Alguns edifícios são verdadeiros tesouros da arquitetura, outros, são históricos por terem sido palco de eventos de grande relevância. Há ainda aqueles que se tornam renomados por personalidades que vivem ou viveram em suas dependências. E o Edifício Martinelli é famoso por tudo isso e muito mais. Saiba tudo sobre um dos edifícios mais famosos de São Paulo e programe sua visita ao “Bolo de Noiva”.

zeppelin martinelli

Veja esta e outras imagens no site do Edifício Martinelli.

Algumas imagens ficam para sempre na memória. Uma imagem que carrego comigo desde que consigo lembrar é a do Edifício Martinelli, no centro de São Paulo, com um enorme dirigível Zeppelin passando atrás dele.

edificio-Martinelli-A-Bussola-Quebrada

O Martinelli, visto a partir de sua entrada turística, na Avenida São João.

 

obelisco-Altino-Arantes-Martinelli-A-Bussola-Quebrada

A vista do alto. Os obeliscos de decoração do Martinelli e o topo do edifício Altino Arantes.

Giuseppe Martinelli era o nome do imigrante italiano, com título de nobre, mas já sem riqueza alguma, que chegou ao Brasil no final do século 19, aliás, em 1899, e fez fortuna. E conheceu novamente a pobreza, perdeu tudo, começou a reconstruir seu patrimônio e teve seus bens confiscados pelo governo brasileiro durante a Segunda Guerra Mundial. Ao morrer, deixou para os herdeiros de dois casamentos imensa quantia e bens, incluindo edifícios, casas, empresas e navios.

vista-libero-badaro-Martinelli-A-Bussola-Quebrada

Vista de quem está na Rua Líbero Badaró.

Edifício Martinelli é um dos primeiros arranha-céus da América Latina. Com seu tamanho total pensado originalmente para 30 andares, o prédio chegava no momento em que São Paulo começava a crescer e se tornar a enorme metrópole que viria a ser durante todo o século 20 e continua crescendo.

edificio-Martinelli-vista-anhangabau-A-Bussola-Quebrada

Edifício Martinelli, na esquina da Avenida São João com rua Líbero Badaró.

Entrando no prédio logo no começo da Avenida São João, o Edifício Martinelli teve vários momentos. Período de conturbada construção, era de grandes tragédias, criminalidade e abandono, reformas, retomada de sua beleza e importância na cidade e hoje, patrimônio e ponto turístico.

Atualmente, o trajeto de visita é acompanhado pelo guia Edson Cabral. É ele quem conta a história desde a construção do prédio até a reforma que foi feita para devolver ao Martinelli toda sua majestade, e também para devolver esta peça de arte gigante à cidade de São Paulo.

guia-apresentador-Martinelli-A-Bussola-Quebrada

O guia Edson Cabral. Sua trajetória de vida se mescla com a história do Edifício Martinelli.

Quem visita o Edifício Martinelli descobre uma estrutura de cores vivas e formas curiosas. O estilo é eclético. Sem definição específica, o Martinelli inclui estilos arquitetônicos como Barroco Francês, Barroco Italiano, Gótico, neoclássico, Art Noveau e Rococó.

Fachada-Martinelli-A-Bussola-Quebrada

A mistura de estilos faz do Martinelli uma verdadeira obra de arte da arquitetura.

O Conde Martinelli tinha na tradição da família gerações de construtores, sendo que chegava até a tomar ferramentas das mãos dos operários da construção e ensinar a fazer da forma que ele queria. Martinelli era também proprietário de uma empresa de navios. E quem olha para a arquitetura única do prédio, verá, nas janelas dos andares mais altos, peças arredondadas de ferro fazendo decoração. São na verdade escotilhas de navios, que foram incorporadas à construção de um prédio que além de misturar estilos, inventou técnicas para embelezamento e fez da ousadia uma atração.

janelas-navio-martinelli-a-bussola-quebrada

As escotilhas de navio na Mansão Martinelli. São 5 andares no alto do edifício.

Exemplo dessas técnicas é o uso de sangue de boi para dar a cor avermelhada à construção, misturado ao cimento. Outra técnica foi usar cimento importado e materiais mais leves para garantir que a estrutura não sofreria abalos, mesmo com as constantes mudanças de ideia sobre a altura do Edifício Martinelli.

Vidro e pedras brilhantes, marmorita, cimento rosa, materiais semipreciosos e cores vivas, fazem do Martinelli ainda hoje uma peça única na paisagem de São Paulo. O prédio se destaca. Tanta beleza e estilos diferentes misturados harmonicamente, renderam ao edifício o apelido de Bolo de Noiva, dado pelo mítico escritor Oswald de Andrade. E apesar de ser um apelido em desuso, o guia Edson Cabral faz questão de citar este título em suas narrativas para fazer o público prestar ainda mais atenção ao que está vendo durante a visita.

Centro-Sao-Paulo-Martinelli-A-Bussola-Quebrada

Entre tantos edifícios, o Martinelli ainda se destaca.

Tantas diferenças aparecem desde a concepção do edifício. A altura foi pensada originalmente para trinta andares. O Martinelli seria o maior edifício da América Latina. Mas à medida em que a construção subia, o Sr. Giuseppe Martinelli mudava sua ideia de andares. Uma hora eram 18 andares, na outra, 20, em outra ocasião, 28 andares com direito a salão de festas, casa de hóspedes, visão de 360 graus da capital paulista e uma competição com um prédio argentino para mostrar qual era o edifício mais alto.

Para dar uma ideia do tamanho da história do Edifício Martinelli, este é apenas um dos vários vídeos feitos sobre o prédio. Vocês vão assistir ao Edson Cabral contanto a história do edifício de um jeito só dele.

É legal ver o vídeo, mas ouvir a narrativa pessoalmente é muito melhor!

Durante o tour pela Mansão Martinelli, no alto do edifício, o visitante poderá ver a cidade de São Paulo em um giro completo. Alguns dos pontos que serão vistos são partes do Vale do Anhangabaú, olhando para o lado oeste. E para o norte, será possível ver o Largo do Paissandú, e o edifício Mirante do Vale. Este sim, o maior de São Paulo.

Mirante-do-Vale-Martinelli-A-Bussola-Quebrada

Sentido Zona Norte. O Mirante do Vale e o viaduto Santa ifigênia.

Quem olhar para o lado Leste verá o Parque Dom Pedro II, bem ao lado da Zona Cerealista, o Palácio das Indústrias e o Mercado Municipal.

Catedral-da-Se-Martinelli-A-Bussola-Quebrada

A Catedral da Sé também pode ser vista por quem olha para o Sul, envolta entre prédios.

A Karina e eu já visitamos o Edifício Martinelli. Ela apenas uma vez, eu, além de trabalhar ao lado do prédio quando adolescente, também tenho a oportunidade ir ao Centro de São Paulo e fazer visitar sempre que quiser. E acaba sendo um privilégio poder ver o que há de novo na cidade, olhando para tudo do alto. Vale a visita!

parapeito-martinelli-a-bussola-quebrada

A Mansão Martinelli é para quem voa alto. Enfeitada de obeliscos e com vista 360° da cidade de São Paulo.


Dicas de Viagem:

A entrada para a visita ao Edifício Martinelli é pela Avenida São João, 35. As visitas são em horário marcado.

Você pode chegar ao Edifício Martinelli por vários caminhos. As estações Anhangabaú, na linha vermelha está bem próxima e a estação São Bento fica a um quarteirão do Edifício Martinelli.

Quer visitar o Edifício Martinelli? Aqui está o site – http://www.prediomartinelli.com.br/

Veja os croquis dos arquitetos, fotos históricas da construção e imagens raras  do Edifício Martinelli – http://www.prediomartinelli.com.br/fotos/fotos.htm

Anúncios