Ouro Preto além do Barroco

Ouro Preto é uma cidade histórica, um museu a céu aberto, mas nem tudo lá é barroco. Vamos ver uns passeios pelo centro de Ouro Preto que não passam por igrejas e nem arte sacra.

Feira-RClaudio-Manoel- Ouro Preto

Artesanato em pedra sabão. Típico de Ouro Preto.

Ouro Preto é uma cidade que a gente gosta muito. O Fabiano então, ama! Mas chega uma hora, depois de dias visitando igrejas e museus de arte barroca que bate uma overdose e não dá mais para ver carinhas de anjinhos “fofinhos” e santos carecas.

E por isso vou te contar de uns lugares bem legais para você que não gosta de barroco ou você que vai ter uma santa overdose. Vamos falar de lugares onde você vai poder ver coisas diferentes e aproveitar bem a sede da cidade.

Vamos lá!

Um lugar que ficamos encantados foi a Casa dos Contos. O nome pode enganar, a casa não tem nada de contos de fadas. Esse nome vem das funções do imóvel que foi sede da administração e contabilidade pública da capitania de Minas Gerais ainda no período colonial. Durante o período da Inconfidência, a casa serviu de prisão política.

Maquete da Casa dos Contos. Rica em detalhes.

Maquete da Casa dos Contos. O nome “contos” vem dos contos de réis, moeda em circulação na época.

Atualmente, a casa serve como galeria para exposições nacionais e internacionais. Também tem uma exposição de moedas brasileiras – ela já serviu como casa da moeda – e guarda mobiliário e espaços preservados desde a época colonial.

Logo atrás da casa tem o Parque dos Contos, concebido como Horto Botânico de Vila Rica. Alguns chamam de Vale dos Contos, mas oficialmente é Parque Horto dos Contos.  Hoje o parque tem uma área de 360 metros quadrados no centro de Ouro Preto, tem atividades culturais, de educação e de saúde.

ouro-preto-parque-dos-contos-a-bussola-quebrada

Caminhos pelo Parque dos Contos.

O Museu Casa Guignard guarda o acervo do artista contemporâneo mais famoso de Ouro Preto (e um dos mais importantes do Brasil), o pintor Alberto da Veiga Guignard. São obras e documentos sobre a vida de um artista que amava a região e escolheu aquela casa como moradia. A casa em si é uma graça, com um jardim interno e um chafariz atribuído a Aleijadinho. Ps. A gente tinha fotos daqui, mas o Fabiano perdeu quase tudo da HD ;(

Com vista privilegiada para a Praça Tiradentes, o Centro Cultural e Turístico SESI/FIEMIG tem uma galeria de arte onde sempre tem exposições bem bacanas. Como é espaço turístico, tem espaço de informações, é parada do caminho da Estrada Real e venda de passem de passeio de trem. Para completar, no centro cultural tem uma cafeteria incrível, com cafés, docinhos e cachaças da região.

É que no local também funciona um hotel-escola, um restaurante e o prédio é também um centro de eventos. Multiuso e bem funcional. Dentro é moderno, fora é barroco de quase trezentos anos.

Nós e a Milagre de Minas, cachaça da região, no bar da FIEMIG

A foto não é das melhores, mas só para mostrar o charme do bar da FIEMIG.

Depois do café, bem do ladinho tem o Museu Ciência e Técnica da Escola de Minas da UFOP. Ele começou pelo Museu de Mineralogia em 1877, e atualmente tem nove setores: Astronomia, Desenho, Eletrotécnica, História Natural, Metalurgia, Mineração, Mineralogia, Siderurgia e Topografia. Tá, o setor de Mineralogia é o mais legal, ele tem cinco salas repletas de amostras de pedras preciosas, semipreciosas e minerais da região. Tem até pedras de brilham no escuro!!! Nunca achei que ficaria tão feliz lembrando das aulas que química.  O setor de História Natural também é divertido. Quando fomos lá, o setor de Astronomia estava fechado para obras… uma pena!

A Universidade Federal de Ouro Preto também tem o Museu da Pharmácia, que não fica longe.

ufop-ouro-preto-a-bussola-quebrada

Museu Ciência e Técnica da Escola de Minas, na Praça Tiradentes.

Inconfidência Mineira

A história de Ouro Preto é marcada pela Inconfidência Mineira, e assim como a Casa dos Contos, que serviu de prisão sendo cenário dessa trama, as casas que serviram de ponto de encontro e esconderijo para os inconfidentes foram preservadas e podem ser visitadas.

A Casa de Tomás Antônio Gonzaga foi onde o ‘Dirceu de Marília’ morou quando ocupou o cargo de ouvidor geral. Acredita-se que nesta casa os inconfidentes se reuniam. Da sacada dela é possível ver a casa de ‘Marília de Dirceu’ amada do poeta.

O Museu da Inconfidência fica no prédio que tinha grande importância no período colonial, era Casa da Câmara e Cadeia. O museu reúne objetos do período colonial e documentos referentes à Inconfidência. No Panteão dos Inconfidentes, encontram-se os despojos (ou seja, os restos, não necessariamente, mortais. Embora tenha sido projetado para parecer que eles estão enterrados ali). Você pode fazer uma visita virtual guiada nele agora mesmo pelo Era Virtual.

praca-tiradentes-ouro-preto-a-bussola-quebrada

Museu da Inconfidência e a estátua de Tiradentes.

Uma ressalva: os andares superiores do Museu a Inconfidência são todos dedicados à arte sacra e barroca, com salas inteiras dedicadas a Aleijadinho.

 Outro museu que faz referência ao fato histórico é o Museu Casa dos Inconfidentes. Dizem que muitas reuniões dos inconfidentes foram realizadas nesta Chácara, cuja construção data de 1770. Ela fica afastada do centro, mas é possível vê-la por uma luneta, no último piso da Casa dos Contos, e dizem que era dali que as autoridades da época vigiavam as atividades da Chácara.

ouro preto nossa senhora do pilar casa dos inconfidentes

Tá vendo aquela casa em cima do morro?? É a chácara onde fica o Museu Casa dos Inconfidentes.

Desde 2010 o museu serve para mostrar como era uma casa típica do século 18. E tem um acervo sobre os inconfidentes.

Este post foi para contar dos museus e centros culturais na sede de Ouro Preto, que é a parte mais conhecida e visitada da cidade. Em outra oportunidade contaremos sobre outros passeios não menos interessantes nas outras partes da cidade!

.


Dicas de Viagem:

Museu Casa dos Contos:

Endereço: Rua São José, 12 – Centro (sede).

Horário de Funcionamento: Terça a sábado, das 10h às 17h; Domingos e feriados, das 10h às 15h. (alguns sites dizem que abre segunda, das 14h às 18h).

Parque dos Contos: http://www.hortodoscontos.com.br/

Parece que o parque tem 4 entradas, mas no momento apenas duas estão em funcionamento para o público.

Rua Padre Rolim – Entrada Rodoviária

Horário: Todos dos dias, das 7h às 17h.

Rua São José – Entrada Casa dos Contos

Horário: Terça a sábado, das 11h às 16h; Domingos e feriados, das 11h às 14h.

Museu Casa Guignard: http://www.museuguignard.mg.gov.br/

Centro Cultural e Turístico SESI/FIEMIG: http://www7.fiemg.com.br/sesi/centro-de-cultura/ouro-preto

Museu Ciência e Técnica da Escola de Minas: http://www.museu.em.ufop.br/museu/

Museu da Pharmácia:

Endereço: Rua Costa Sena, 171 – Centro (sede).

Horário de Funcionamento: Terça a sexta, das 10h às 17h.

Casa de Tomás Antônio Gonzaga:

Endereço: Rua Cláudio Manoel (Rua do ouvidor), 61 – Centro (sede).

Horário de Funcionamento: Segunda a sexta, de 8h às 18h; Fins de semana e feriados, de 8h às 17h.

Museu da Inconfidência: http://www.museudainconfidencia.gov.br/

Museu Casa dos Inconfidentes: https://www.facebook.com/MuseuCasaDosInconfidentes/

Endereço: Rua Engenheiro Correia, s/n – Vila Aparecida (sede).

Anúncios