Pokémon Go aliado do turismo

Pokémon Go chegou ao Brasil cheio de dúvidas e questões sobre segurança e privacidade. Uma febre que está sendo mais comentada que as Olimpíadas do Rio de Janeiro. Mas o que Pokémon Go tem a ver com viagens? Continue lendo que eu te conto!

pokemon_go_logo

Para quem anda desinformado, Pokémon Go é  um jogo de celular que usa uma tecnologia supermoderna de realidade aumentada. No jogo, o usuário captura Pokémons – bichinhos fofos que tem poderes – virtuais que aparecem em lugares reais. É como se o celular fosse uma lente que serve para ver o virtual, e os Pokémons podem estar em qualquer lugar, até em cima da sua cama!

Apesar das muitas críticas das pessoas sobre a “inutilidade” e do tempo perdido com o jogo. E das polêmicas sobre segurança e privacidade dos dados. O jogo tem mostrado aspectos muito interessantes.

Além de fazer as crianças (e adultos) terem que sair de dentro de casa pra caças os bichinhos, o que faz o jogo ter uma proposta de incentivo a exercícios físicos. Outras notícias pelo mundo falam dos benefícios para crianças com autismo e para crianças internadas em hospitais.

O HemoRio garante que quem for doar sangue vai com certeza sair com Pokémons novos!

Pokémon Go também está fazendo com que as pessoas conheçam e frequentem novos lugares.  Amigos meus que estão usando, já disseram que, graças ao jogo, descobriram espaços culturais perto de suas casas. Nos EUA, parques e museus viram a frequência do público aumentar por causa dos Pokémons.

A publicidade do jogo e a possibilidade de capturar um número maior de Pokémons fazem as pessoas irem a lugares que antes eram desconhecidos do grande público.  Pontos turísticos, estabelecimentos comerciais e centros culturais usam os Pokémons para atrair visitantes. A tecnologia pode ser uma aliada da cultura.

pokemon-go-no-brasil

Eles também vieram para as Olímpiadas, e tem muito turista caçando Pokémon no Rio. (Foto: MdMulher)

Até museus famosos como o MoMA – Museum of Modern Art , em Nova York, e o British Museum, em Londres, entraram na brincadeira e escondem muitos Pokémons entre obras de artistas famosos e hospedam Pokéstops (locais virtuais dentro do jogo onde os caçadores podem obter itens importantes) para atrair mais visitantes.

O Museu da Vida, no Rio de Janeiro, também aderiu ao Pokémon Go. E espera novos visitantes para caçar Pokémons e conhecer mais sobre ciência.

Embora alguns museus pelo mundo estejam pedindo para serem retirados do jogo – mais por conta de se sentirem desrespeitados ou por terem sido vandalizados por jogadores – eles são minoria.

Do ponto de vista turístico, Pokémon Go tem muitos benefícios.

 Contando com o potencial de atrair turistas, a cidade suíça de Basel fez uma propaganda super bem humorada, em que apresenta a cidade e faz uma vingança dos Pokémons.

Mas por favor, não deixe de aproveitar as visitas! Casse seus Pokémons, mas depois guarde o celular, deixe a realidade virtual de lado e viva a realidade “real”.

Anúncios