O privilégio de enxergar.

Ver é ser capaz de captar imagens com os olhos. Quem tem boa saúde e boa visão, faz isso. Mas enxergar de fato, é um privilégio que a maioria das pessoas jamais terá. Entenda a diferença viajando com A Bússola Quebrada.

Skyline de São Paulo, Avenida Paulista, visto do terraço do Hotel Unique.

Skyline de São Paulo, Avenida Paulista, visto do terraço do Hotel Unique.

“Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe.” Oscar Wylde.

Você está no meio da cidade grande e não vê nada de belo, atrativo, colorido, bonito ou elegante. Apenas vai de um lado para o outro fazendo seu trabalho, seguindo para o escritório, indo almoçar, voltando para casa. Nada chama sua atenção. As pessoas passam na janela, os carros passam ao lado do seu, as estações do metrô passam com aquela monotonia de sempre, no ônibus você dorme, porque afinal, já está cansado de ver tudo aquilo.

nascer-do-sol-botafogo

Nascer do sol em Botafogo

Tenho uma má notícia para você. Você apenas vê. Você não enxerga!

Aqui em A Bússola Quebrada costumamos dizer que adoramos ser turistas em nossa cidade. E isso é muito verdadeiro. Um parque, uma exposição, uma praça, um local novo ou pouco visitado, museus, teatros, arquitetura, ou até um passeio por ruas que não fazem parte de nosso cotidiano.

Tudo isso é viajar, tudo isso é viver. Tudo isso é mais que ver, é enxergar. É mais que meramente existir, como disse Oscar Wylde, é viver. E viver de verdade. Apesar dos problemas, apesar das dificuldades. É olhar para algo e enxergar, seja com óculos de grau ou óculos escuros.

parapeito-martinelli-a-bussola-quebrada

Parapeito do edifício Martinelli. O “bolo de noiva” de São Paulo.

Foi assim que enxergamos prédios bonitos, como o Martinelli, em São Paulo. Foi assim que enxergamos o sol nascer em Botafogo, no Rio de Janeiro. Foi assim que pudemos perceber a briga de passarinhos João de Barro em Paranaguá, no Paraná, foi sabendo enxergar que pudemos perceber o espetáculo do dia a dia seja em lugares altos, seja com os pés bem firmes no chão.

Ir a um lugar turístico, ver a praia e fazer selfies é bom, gostoso, faz bem. Mas olhar pela sua janela e enxergar as flores no canteiro do outro lado da rua é enxergar. Em um, você vai a um lugar diferente, turístico, incomum para você. Você vê algo novo e bonito. Mas se você é capaz de captar a beleza na sua região, no seu dia a dia, então você aprendeu a enxergar. E está vivendo mais feliz e mais intensamente que a maioria das pessoas.

Tartaruga marinha em Ubatuba

Tartaruga marinha em Ubatuba.

Quando fomos ao casamento de um casal de amigos em Ubatuba, pudemos ver a praia. Mas parar para esperar as tartarugas do projeto Tamar aparecerem no canal do rio, nas rochas perto de nós, isso sim foi enxergar! Foi mais que ir à praia. Foi viver uma experiência única, nova e empolgante. Mas tivemos essa sorte porque fomos enxergar além do que as pessoas apenas são capazes de ver. A praia bonita, o mar azul, as pessoas se bronzeando, as barracas de cerveja.

Enxergar é viver mais. É ter mais para contar. É viver a vida com mais profundidade. É amar estar vivo e ser capaz de saborear todos os momentos. Inclusive os mais comuns.

Briga de João de Barro

Briga de João de Barro no Centro de Paranaguá.

Nós gostamos de viajar. Porque nos enriquece, anima, alegra, alivia dores, traz bons momentos e boas recordações. Mas também gostamos de viver com vontade, mesmo quando não estamos viajando. E isso não depende de dinheiro. Ao contrário! Enxergar de verdade ao invés de apenas ver, pode custar até mais barato do que gastar muito indo aonde todo mundo vai e fazendo o que todo mundo faz.

Viva mais! Enxergue mais. Viva melhor. Viaje com a gente!!

borboleta-88-caverna-jeremias

Borboleta 88, em Iporanga, São Paulo.

Anúncios