Orla Conde e as maravilhas do Centro do Rio de Janeiro

Entre dilemas e contradições, uma coisa é inegável: as reformas no centro do Rio de Janeiro deram ao carioca um novo espaço de lazer com acesso a muitos espaços culturais. Veja as maravilhas que estão na Orla Conde e planeje seu passeio.

estaleiro-a-bussola-quebrada

A Orla Conde releva paisagens belíssimas.

O centro do Rio de Janeiro, apesar de pouco preservado, é rico em história. A cidade que foi capital do Brasil do período imperial até metade do século XX, guarda na sua arquitetura e no seu urbanismo a riqueza e a decadência, o desenvolvimento e a desigualdade que são o retrato do Brasil.

A história da cidade vai ter que ficar para outra hora. =(

Praça Mauá reformada.

Durante os Jogos Olímpicos, a região central da cidade foi um dos principais palcos de atração cultural, tendo sido reformado para a ocasião.

Toada a área agora é ponto turístico, e vamos contar para você tudo o que tem por lá – e não é pouca coisa, não.

Orla Conde

A Orla Luiz Paulo Conde – nome em homenagem a um antigo prefeito do Rio de Janeiro – é um passeio público de 3,5 km, que vai do Armazém 8 do Cais do Porto até a Praça da Misericórdia. Perto da Orla estão mais de 25 pontos turísticos e culturais do centro do Rio, que estão integrados pelo passeio público, exclusivo para pedestres e ciclistas, e pelo VLT, que liga a Rodoviária Novo Rio ao Aeroporto Santos Dumont.

orla-conde

Pontos culturais da Orla Conde.

Zona Portuária

A Orla Conde começa no Galpão Gamboa, um centro cultural e social que tem diversas atividades artísticas. Ali do lado tem a Cidade do Samba, onde tem os barracões das escolas de samba, mas que também tem eventos de samba (claro!) para o público durante todo o ano.

Porto Maravilha

Os principais atrativos do Porto Maravilha são os armazéns – Armazém da Utopia e Píer Mauá – que recebem eventos culturais e gastronômicos de todos os tipos.

mural-etnias-kobra-porto-maravilha-a-bussola-quebrada

Mural Etnias. Tão grande que nem cabe inteiro na foto.

Outra atração é o Mural Etnias, criado pelo famoso grafiteiro brasileiro Eduardo Kobra para as Olimpíadas, e que é considerado o maior do mudo. Bom, tem um aquário também, mas ainda está em construção.

Pequena África

Pequena África é como é conhecida a região em torno do Cais do Valongo. Trata-se de um circuito histórico-cultural de preservação das raízes africanas e tem muitos locais interessantes perto da Orla Conde, como o Instituto Pretos Novos, os jardins suspensos do Valongo, a Pedra do sal e o Centro Cultural José Bonifácio.

Sítio arqueológico do Cais do Valongo. E o prédio de tijolo, já bastante modificado, são as docas André Rebouças.

Sítio arqueológico do Cais do Valongo.

Praça Mauá

Nos finais de semana a Praça Mauá fica cheia. Crianças brincando, andando de skate; músicos de rua, barraquinhas de comida e food trucks; eventos de arte e moda; gente visitando museus ou apenas passeando na orla renovada.

Ainda na Praça Mauá, tem o Museu de Arte do Rio, meu museu preferido, o Museu do Amanhã, um museu bem diferente todo multimídia que propõe reflexão sobre o futuro, e um centro de informações turísticas.  

museu-do-amanha-lateral-a-bussola-quebrada

O futurístico Museu do Amanhã.

Ao lado da praça, fica o Morro de São Bento, onde se localiza o famoso Mosteiro de São Bento, fundado em 1590 – isso mesmo, você não leu errado.

Igreja da Candelária

Entre a Praça Mauá e a Praça XV, fica a Igreja da Candelária, uma das igrejas mais famosas do Brasil – infelizmente um dos motivos é bem trágico.

Em seu entorno, muitos centros culturais, a começar pelo Espaço Cultural da Marinha, com seus submarino-museu e navio-museu.

nau-espaco-cultural-da-marinha-rio-de-janeiro-a-bussola-quebrada

A nau réplica das usadas pelos portugueses faz parte do Espaço Cultural da Marinha.

Por ali ainda tem o Centro Cultural do Banco do Brasil, o Centro Cultural dos Correios e a Casa França-Brasil. Três centros culturais coladinhos com entrada gratuita e mostras e exposições maravilhosas.

Praça XV

A pesar de se chamar Praça 15 de Novembro, em homenagem à Proclamação da República, esta praça é bem mais antiga, ainda do tempo que o Brasil era colônia portuguesa. Em seus arredores, igrejas do mesmo período, como a Igreja do Carmo, o Arco do Teles (originalmente Arco dos Teles, por pertencer à família Teles de Menezes), atualmente conhecido pelos bares e o samba, ligação entre a Praça XV e a famosa Rua do Ouvidor, imortalizada pelos grandes escritores brasileiros do século XIX.

praca-XV-pca-festa-portuguesa-a-bussola-quebrada

Passado e presente juntos na Praça XV renovada.

Outro lugar importante na Praça XV é o Paço Imperial. Um edifício colonial que ganhou importância com a vinda da família real para o Brasil. Foi no Paço Imperial que D. Pedro I fez o pronunciamento do Dia do Fico, e a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea. Hoje é um centro cultural. E as recordações da família real estão em Petrópolis.

museu-do-paco-rio-de-janeiro-a-bussola-quebrada

Paço Imperial cheio de charme.

Museu Naval Oceanográfico

Segundo pela Orla Conde, atrás da Praça XV, a área militar começa com o Museu Naval Oceanográfico. Um museu bem bacana que a gente já foi e volta e meia comentamos sobre. Mas foi há tanto tempo atrás que A Bússola Quebrada ainda nem existia no mundo das ideias. Só lembro que tem barcos muito legais. E que era de graça.

Praça Marechal Âncora

A Praça em si não tem nada de mais. São as construções que estão nela que valem a pena ser visitadas. Primeiro, a Ladeira da Misericórdia. Apesar de não parecer grande coisa hoje, a Ladeira da Misericórdia é só a primeira via pública da cidade do Rio de Janeiro, tendo sido aberta em 1567 – novamente, você não leu errado. A rua era de tamanha importância, que abrigou a primeira alfândega, a primeira prisão e a primeira Assembleia Constituinte do Brasil. Hoje, tendo bem menos da sua extensão original, guarda só lembrança da sua história.

museu-historico-nacional-fachada-a-bussola-quebrada

O Forte que virou museu da história do Brasil.

Na praça também estão o Museu Histórico Nacional, onde você pode conhecer a história do Brasil desde a pré-história. O Centro Cultural do Ministério da Saúde e o Instituto Histórico Cultural da Aeronáutica, cujo principal atrativo é a biblioteca especializada em literatura aeronáutica.

OS: Não esqueci no Museu da Imagem e do Som, o primeiro do tipo no Brasil. Mas é que por conta da mudança para Copacabana, o MIS está, basicamente, aberto só para pesquisa.


Dicas de Viagem:

Sites dos locais citados no texto.

Galpão Gamboa: http://galpaogamboa.com.br/
Cidade do Samba: http://cidadedosambarj.globo.com/
Armazém da Utopia: http://www.armazemdautopia.com.br/
Instituto Pretos Novos: http://www.pretosnovos.com.br/
Museu de Arte do Rio: http://www.museudeartedorio.org.br/
Museu do Amanhã: https://museudoamanha.org.br/
Mosteiro de São Bento: http://www.osb.org.br/mosteiro/index.php
Espaço cultural da marinha: https://www1.mar.mil.br/dphdm/espaco-cultural-da-marinha
Centro Cultural do Banco do Brasil: http://culturabancodobrasil.com.br/portal/rio-de-janeiro
Centro Cultural dos Correios: https://www.correios.com.br/centro-cultural-rio-de-janeiro
Casa França-Brasil: http://www.casafrancabrasil.rj.gov.br/
Paço Imperial: http://pacoimperial.com.br/
Museu Naval oceanográfico: https://www1.mar.mil.br/dphdm/museus/museu-naval
Museu Histórico Nacional: http://museuhistoriconacional.com.br/
Museu da Imagem e do Som: http://www.mis.rj.gov.br/

Anúncios