Monumento Rodoviário da Serra das Araras

Farol da Dutra, Mirante da Dutra, Monumento Rodoviário da Serra das Araras. Muitos nomes e parte da história do Brasil, do crescimento econômico e da visão de uma época. Conheça o Monumento Rodoviário da Serra das Araras, um tesouro quase esquecido no eixo Rio-São Paulo.

Nem todos têm memória curta. A imprensa ainda é livre e se lembra das coisas que incomodam os incompetentes e os espertalhões.

Quando a gente fala em ruínas, logo vêm as imagens de cidades perdidas enormes, com estátuas de deuses pagãos, esquecidas no meio de uma enorme e inexplorada selva. É quase isso o que acontece com o Monumento Rodoviário da Serra das Araras, também conhecido como o Farol da Serra das Araras.

Quem passa pela Rodovia Presidente Dutra já deve ter visto que pouco antes de começar a descida pela Serra das Araras, para chegar à baixada e à cidade do Rio de Janeiro, há uma pista elevada seguindo paralela à Dutra.

Quem olhar com mais calma, poderá ver, lá no alto do morro, um obelisco alto, que muita gente diz que é o Mirante da Dutra. E até tem gente que para ali para ver a vista do vale abaixo e dos trechos mais difíceis da Serra das Araras.

Mas quem visita este lugar hoje, não entende como algo tão bonito pode ter se reduzido a um sítio arqueológico, ou, ruínas de algo que poderia ter sido muito bonito e elegante.

acesso-monumento-rodoviario-serra-das-araras-a-bussola-quebrada

O Começo da descida da Serra das Araras, no Rio de Janeiro. E a subida para o Monumento Rodoviário.

Apensa para dar uma ideia, o Monumento Rodoviário da Serra das Araras tinha mesmo um farol no topo do obelisco. Que iluminava bem longe. Os mais velhos dizem que podia ser visto de toda a baixada e de toda a Zona Sul da cidade do Rio de Janeiro.

Piraí
Quem passa pela Dutra deve saber pouco sobre o município de Piraí. Pelo mapa, o “Farol da Dutra” fica em território Piraiense, ou seja, pertence a Piraí, mas pelo acordo do Governo Brasileiro com a Concessionária Nova Dutra, é da empresa a obrigação de restaurar e conservar o Mirante da Dutra, como também é conhecido o local. Só para entender, é a Nova Dutra que explora o transporte da estrada, sendo responsável pela conservação e manutenção, e para isso, conta com quase uma dúzia de pedágios só no trecho entre Rio de Janeiro e São Paulo.

paisagem-monumento-rodoviario-serra-das-araras-a-bussola-quebrada

Imagens de 1928, época da inauguração do Monumento Rodoviário da Serra das Araras.

Monumento Rodoviário e Mirante da Dutra
Inaugurado em 1928 pelo então presidente Washington Luís, e por iniciativa do Touring Club do Brasil, o Monumento Rodoviário era um marco histórico para comemorar o crescimento econômico do Brasil na época, fato simbolizado pela construção da Rodovia Presidente Dutra. Afinal, o automóvel era símbolo de progresso, era status social, era um troféu para os bens sucedidos e muitos automóveis precisavam de muitas estradas. E era imprescindível ligar as duas localidades mais importantes do país. A Capital Federal da época, o Rio de Janeiro, e a capital econômica, que é São Paulo.

A área total do Monumento Rodoviário, contando jardim é de 54 mil metros quadrados, construído em uma mistura de art decó com modernismo, adornado por imensos painéis esculpidos em alto relevo, que resistem ao tempo e ao clima.

desenho-monumento-rodoviario-serra-das-araras-a-bussola-quebrada

Desenhos do Monumento Rodoviário da Serra das Araras.

E falando em tempo, estes painéis estão lá, sem cuidado ou manutenção desde 1978, quando o então governo militar desativou o local.

Além do Farol, no alto do Monumento Rodoviário, havia ainda um restaurante no piso térreo, que atendia aos mais endinheirados viajantes.

Acesso fácil, um enorme jardim, vista privilegiada e até a decoração sofisticada, que contava com 4 pinturas de Cândido Portinari, que visitamos recentemente no MASP.

1950-monumento-rodoviario-serra-das-araras-a-bussola-quebrada

Imagem dos anos 1950 para o Monumento Rodoviário da Serra das Araras.

Os quadros, em péssimo estado de conservação, foram levados anos depois para o Museu de Belas Artes do Rio de Janeiro, para serem restaurados, e lá permanecem guardados.

Os painéis em alto relevo, um dia serão vítimas da ação da natureza, bem como hoje o Monumento Rodoviário é vítima da ação da incompetência da administração pública com os bens do Brasil.

jardim-monumento-rodoviario-serra-das-araras-a-bussola-quebrada

Jardim e espelho d’água na entrada do Monumento Rodoviário da Serra das Araras.

Porém, nem tudo está perdido.

A Procuradoria do Estado de Rio de Janeiro já cobra ações de manutenção da Concessionária Nova Dutra. Quem sabe assim, com o uso da força da lei, o brasileiro volta a ter seus valores e bens?

Agora que sei mais sobre este lugar, o Monumento Rodoviário da Serra das Araras já está na lista de lugares a visitar e contar aqui no A Bússola Quebrada o que vi por lá.

Conhece bem o Monumento Rodoviário da Serra das Araras? Mande fotos pra gente! Conte sua história!

subida-monumento-rodoviario-serra-das-araras-a-bussola-quebrada

Acesso para o Monumento Rodoviário da Rodovia presidente Dutra, no KM 225.


Dicas de Viagem:

Veja aqui um pouco mais de informação sobre o Monumento Rodoviário da Serra das Ararashttps://pt.wikipedia.org/wiki/Monumento_Rodovi%C3%A1rio_da_Rodovia_Presidente_Dutra

Aqui você pode ler o parecer da Procuradoria da República no Estado do Rio de Janeiro exigindo ações de conservação por parte da Concessionária Nova Dutra sobre o Monumento Rodoviário da Serra das Araras – http://www.prrj.mpf.mp.br/frontpage/noticias/mpf-exige-protecao-e-restauracao-do-monumento-belvedere-na-serra-das-araras

Veja aqui onde foram parar os quadros de Portinari – http://www1.dnit.gov.br/historico/dutra.htm

Aqui tem um mapa para chegar ao Monumento Rodoviário da Rodovia Presidente Dutragoo.gl/Y2iTpO

E se você quiser cobrar as autoridades e o Consórcio Nova Dutra, este pessoal aqui está fazendo algum barulho para revitalizar o Monumento Rodoviáriohttps://www.facebook.com/monumentodutra/

     

Anúncios