O Grande Museu de Londres

Londres foi destruída pelo fogo! E veio a praga. Milhares de mortos empilhados nas ruas. E as prisões estão cheias. O Museu de Londres conta uma história de tratamentos desumanos.  Saiba mais sobre a história de Londres e entenda o que o passado pode nos ensinar. E em meio a tanta desolação, redescubra a esperança visitando com a gente o Museu de Londres.

museu-de-londres-entrada-a-bussola-quebrada

Esta é a entrada do Museu de Londres. E este é o Raphael, de Paris, ficando para sempre nas recordações de A Bússola Quebrada. Capricha na pose, Rapha!

Fogo! Fogo! Toda a Londres arde em chamas. A exposição “Fire! Fire!”, no Museu de Londres começou em 23 de julho de 2016 e vai até 17 de abril de 2017.

A exposição conta os fatos relacionado ao grande incêndio que consumiu quatro em cada cinco construções de Londres em 1666, que começou em Pudding Lane e rapidamente se espalhou por toda a cidade.

museu-de-londres-animais-chifres-a-bussola-quebrada

Muito do Museu de Londres é sobre história natural, ou seja, animais, pessoas, cabanas e casas, ferramentas e armas rudimentares.

É também aqui que o visitante poderá descobrir coisas bem interessantes como a origem do nome Pub, para os bares ingleses.

Acontece que PUB é o diminutivo de público. Ou seja, o PUB é uma “Casa Pública”, um lugar onde todos podem entrar e ficar o quanto quiserem. Basta que a casa esteja aberta.

museu-de-londres-incendio-a-bussola-quebrada

O Grande Incêndio de Londres em 1666.

A origem do nome Casa Pública vem do século 16, quando as grandes navegações começaram. Londres, à beira-mar, sempre foi um porto agitado na Europa. A cidade chegou a receber seis mil navios por dia. A carga e descarga de produtos acontecia freneticamente. E claro que faça calor ou frio, os estivadores e marinheiros precisavam comer e beber água. Mas a água de Londres era imprópria para o consumo. A água da região portuária estava contaminada pela falta de higiene da população da época, que despejava seus dejetos nas ruas da cidade, nas nascentes de rios, nas fontes e mananciais. O lixo acumulado trazia doenças, como a Peste.

Causada por ratos, a peste bubônica se espalhou pela Inglaterra e mais ainda por Londres entre os anos de 1665 e 1666 e estima-se que entre 75 mil a 100 mil pessoas tenham morrido. E os que sobreviveram, logo em seguida ficaram sem casas.

museu-de-londres-maquete-a-bussola-quebrada

Um casal de tempos medievais, ou antes ainda. Vilarejos e casas de madeira e feno.

Londres foi reconstruída, dessa vez, com tijolos de barro, que não queimam com facilidade, não propagam fogo e na época, era o que mais seguro havia para construções, uma vez que as casas antes eram todas de madeira.

Neste contexto, para viajantes e trabalhadores de tantos navios em Londres, não haviam casas, alojamentos, comida ou mesmo água. A solução foi fabricar cerveja, que podia ser consumida, refrescava, alimentava e ainda era saborosa. E os locais onde se vendiam as cervejas passaram a ser livres para todos, ou públicos, para receberem com tratamento igual, gente do mundo todo. Com o tempo, os Pubs, que começaram públicos e dependiam da administração pública, foram passando para o setor privado. Mas continuaram “Casas Públicas”.

museu-de-londres-navio-a-bussola-quebrada

Quadros, peças de navios, enfeites de proa, desenhos e mapas náuticos. Londres foi desde cedo um grande centro comercial.

Essa e outras histórias você vai encontrar no Museu de Londres, o Museum of London.

E também poderá entrar em uma cela de madeira verdadeira. Eu mesmo estive dentro de uma. O espaço, muito reduzido, podia caber até vinte homens. A cela era de madeira, com torar grossas e barras de ferro na porta, como convém aparecer em filmes medievais. Mas o espaço interno era de talvez dois metros por quatro. Então, eram oito metros quadrados e apenas um penico para todos usarem. E as refeições eram feitas ali mesmo, na frente dos demais.

museu-de-londres-cela-a-bussola-quebrada

A cela de oito metros quadrados onde o crime de dever menos de um salário mínimo dava prisão perpétua.

Mas que isso ainda, um sujeito poderia ir preso sem julgamento por dever uma quantia que, hoje, talvez não fosse maior que cinquenta reais. E ficaria preso a vida inteira, ou até pagar a quantia. Ou até morrer de fome, doença, frio, desespero.

museu-de-londres-cela-esperanca-a-bussola-quebrada

Mãos vazias e a sofrer. Mas tenho esperança no que o amanhã há de trazer. Em uma adaptação da ideia principal.

Mas como um homem paga uma dívida se não trabalha? Outro detalhe das antigas prisões de Londres era que para que um preso pudesse comer, alguém teria que levar comida a ele. O governo não dava alimento gratuito a ninguém!

Quem é capaz de viver assim por muito tempo? Mas na parede da cela, alguém foi mais forte que sua dura situação e escreveu, em inglês, uma rima sobre o sofrimento atual e as mãos vazias, mas que esperava que o futuro pudesse ser melhor.

museu-de-londres-armas-cranios-a-bussola-quebrada

Armas antigas, ferramentas e até crânios dos antigos habitantes.

Há coisas boas para os que esperam.

Londres se recuperou do incêndio, da Peste Negra, de ladrões, da falta de higiene, recuperou o Tio Tâmisa, tem baixa criminalidade e um excelente programa de saúde pública.

museu-de-londres-busto-a-bussola-quebrada

A mulher de Shepperton. O rosto um pouco masculino é a reconstrução de uma mulher que viveu entre 3640 e 3100 antes de Cristo (a.C.).

E o Museu de Londres oferece ao visitante histórias da antiguidade inglesa, como a influência romana na Inglaterra, como pudemos ver nas termas da cidade de Bath, e o estilo arquitetônico de vários prédios em Londres.

museu-de-londres-datas-a-bussola-quebrada

Londres cresce e se fortalece.

Também há histórias de navios, livros, arte e até de moradores pré-históricos.

Uma das partes que chama muito a atenção é a das armas de vários momentos históricos diferentes e utensílios de pessoas que viveram na região de Londres há milhares de anos.

E como não podia deixar de ser, uma grande sala pouco iluminada guarda a beleza dos trajes vitorianos na Inglaterra que começava a idade das luzes. Roupas elegantes, enormes vestidos, carruagens, perucas e acessórios para adornar uma época mais próspera que o sombrio século 17.

museu-de-londres-roupas-de-epoca-a-bussola-quebrada

As clássicas e vistosas roupas e acessórios dos nobres e dos cavalheiros e damas da era Vitoriana.

A cidade cresce, a prosperidade aos poucos chega. Talvez tarde demais para nosso amigo poeta da cela de madeira, mas ainda em tempo para trazer esperança ao mundo.

museu-de-londres-fotografia-a-bussola-quebrada

Exposição fotográfica na entrada/saída do Museu de Londres.


Dicas de Viagem:

Veja aqui o site do Museu de Londreshttp://www.museumoflondon.org.uk/museum-london

Endereço do Museu de Londres – 150 London Wall, London EC2Y 5HN, Reino Unido.

Para chegar ao Museu de Londres, a estação de trem Moorgate é próxima. E se você estiver de Tube, desça na Barbican ou na St. Paul’s.

Use o mapa para achar o Museu de Londresgoo.gl/xWcW1Z

 

Anúncios