Agenda Exposições – Janeiro

vinheta

O ano de 2017 pode esta começando, mas tem muitas exposições incríveis acabando em Janeiro. Veja as dicas e aproveite esse início de ano para se encher de cultura. Feliz Ano Novo!

 

Belo Horizonte

Comciência

ComCiência, um neologismo que carrega sentido duplo, conectando consciente e ciência, propõe ao público um percurso narrativo entre esculturas, desenhos, fotografias e vídeos.

comciencia-patricia-piccinini-bebe-hibrido

Quando: Até 09 de janeiro.
Horário: De quarta a segunda. Das 09 às 21h.
Onde: CCBB BH – Praça da Liberdade, 450 – Funcionário.
Quanto: Entrada franca.
Mais informações: http://culturabancodobrasil.com.br/portal/comciencia/

 

Rio de Janeiro

verde1

Mondrian e o movimento De Stijl

A exposição Mondrian e o movimento De Stijl retrata a agitação provocada pela revista De Stijl (O Estilo), meio escolhido por designers, arquitetos e artistas, como o próprio Mondrian, para defender o neoplasticismo e a utopia da harmonia universal de todas as artes.

mondrian

Quando: Até 09 de janeiro.
Horário: De quarta a segunda. Das 09 às 21h.
Onde: CCBB RJ – Av. Primeiro de Março, 66 – Cenrto.
Quanto: Entrada franca.
Mais informações: http://culturabancodobrasil.com.br/portal/categoria/eventos/artes-visuais/?ccbb=RJ

verde2

The art of the brick

Só uma exposição de esculturas gigantes incríveis e réplicas de obras de artes famosas feitas com mais de um milhão de peças de Lego.

the-art-of-the-brick-agenda-cultural-a-bussola-quebrada

Quando: Até 15 de janeiro.
Horário: Terça a domingo. Das 10h às 17h.
Onde: Museu Histórico Nacional – Praça Marechal Âncora, s/n – Centro.
Quanto: R$ 20,00 (inteira)
Mais informações: http://expo-theartofthebrick.com.br/

verde3

Cidade Jacarandá

Cidade Jacarandá Pequenos Formatos: Dimensão e Escala é uma exposição que reúne obras de artistas renomados como Carlos Vergara, José Bechara, Daniel Senise, Antonio Dias, Maria Nepomuceno e Waltércio Caldas, entre outros. A mostra é resultado da parceria do complexo cultural com a ArtRio Carioca, versão compacta da já consolidada feira internacional ArtRio.

arjan

Quando: Até 29 de janeiro.
Horário: Terça a domingo. Das 10h às 18h.
Onde: Cidade das Artes – Av. das Américas, 5300 – Barra da Tijuca.
Quanto: Entrada franca.
Mais informações: http://www.cidadedasartes.org/programacao/interna/585

verde4

A cor do Brasil

A cor do Brasil, exposição que traça a trajetória da arte brasileira desde o período colonial até o século XXI, reúne mais de 300 peças, vindas da Argentina, do México e de outras 12 instituições espalhadas pelo Brasil, que cederam parte de seus acervos para a montagem da mais completa antologia da cor já apresentada na cidade do Rio de Janeiro.

acordobrasil

Quando: Até 15 de janeiro.
Horário: Terça a domingo, das 10h às 17h.
Onde: Museu de Arte do Rio – Praça Mauá, 5 – Centro.
Quanto: R$ 20,00 (inteira). Terça é de graça.
Mais informações: http://www.museudeartedorio.org.br/pt-br/exposicoes/atuais?exp=3989

verde5

Manguinhos Revelado

A exposição, com cerca de 120 fotos, é inédita e oportunidade única para o público conhecer parte desse grande acervo, considerado um repositório singular da memória visual da saúde pública nacional, tanto pelo valor histórico-documental quanto pelo valor artístico.

manguinhos-revelado

Quando: Até 29 de janeiro.
Horário: Terça a domingo. Das 10h às 17h.
Onde: Museu Histórico Nacional – Praça Marechal Âncora, s/n – Centro.
Quanto: R$ 10,00 (inteira).
Mais informaçõeshttp://www.coc.fiocruz.br/Manguinhos_revelado

 

Niterói

roxo 1

Como aprendi a sonhar em bits

Como aprendi a sonhar em bits é uma exposição de Danilo Ribeiro, e conta com 16 obras inspiradas no universo dos videogames. Nelas vê-se a influência de jogos famosos, como Castlevania e Resident Evil. Entre os trabalhos, encontram-se telas de grande formato, estudos preparatórios e trabalhos dípticos.

como-aprendi-a-sonhar-em-bits

Quando: Até 14 de janeiro.
Horário: De segunda a sábado. Das 11h às 18h.
Onde: Espaço Cultural dos Correios – Av. Visconde do Rio Branco, 481 – Centro.
Quanto: Entrada franca.
Mais informações: https://www.correios.com.br/espaco-cultural-niteroi

 

São Paulo

azul 2

O tempo de Amyr Klink

A exposição traz um olhar apurado sobre essa trajetória singular, por meio de fotos que integram o livro Não há tempo a perder e de outras inéditas que foram selecionadas especialmente para mostrar os longos caminhos já percorridos por Amyr Klink. Além de fotos da esposa e co-curadora, Marina Klink, a mostra cronológica conta com imagens feitas por pessoas próximas a Amyr, como seus pais, irmãos, grandes amigos e velejadores.

amyr_biografia_6

Quando: Até 15 de janeiro.
Horário: Terça a sexta, das 12h às 22h; Sábados, domingos e feriados, das 11h às 21h.
Onde: Museu da Imagem e do Som – Av. Europa, 158 – Jardim Europa.
Quanto: R$ 4,00 (inteira).
Mais informações: http://www.mis-sp.org.br/amirklink

azul2

Coleções em diálogo: Museu Paulista e Pinacoteca de São Paulo

A exposição ‘Coleções em diálogo: Museu Paulista e Pinacoteca de São Paulo’, que remete à origem comum de ambas as instituições e às características de suas coleções, já que a Pinacoteca nasce da transferência em 1905 de 20 obras reunidas pelo Estado de São Paulo na galeria artística do Museu Paulista, inaugurado em 1895 e conhecido também como Museu do Ipiranga.

pinacoteca-dialogo-museu-paulista  A mostra possibilita também ao público ver ou rever importantes peças do Museu Paulista, que atualmente, em função dos trabalhos de restauro e modernização do edifício-monumento, encontra-se fechado à visitação.

Quando: Até 30 de janeiro.
Horário: Quarta a segunda. Das 10h às 18h.
Onde: Pinacoteca do Estado de São Paulo – Praça da Luz, 2 – Luz.
Quanto: R$ 6,00 (inteira). Entrada grátis aos sábados.
Mais informações: http://www.pinacoteca.org.br/Museu-Paulista-e-Pinacoteca-de-Sao-Paulo

azul3

Portugal Portugueses

A mostra reúne alguns dos principais artistas portugueses da atualidade e pretende aproximá-los do universo cultural brasileiro, como parte de uma trilogia desenvolvida pelo Museu Afro Brasil. As influências interculturais de Portugal, África e Brasil, nascidas com o antigo império português e aprofundadas decisivamente pela escravidão, são redesenhadas na perspectiva contemporânea.

portual-portugueses

Quando: Até 8 de janeiro.
Horário: Terça a domingo. Das 10h às 17h.
Onde: Museu Afro Brasil – Av. Pedro Alvares Cabral, s/n – Parque do Ibirapuera.
Quanto: R$ 6,00 (inteira). Grátis aos sábados.
Mais informações: http://www.museuafrobrasil.org.br/Portugal+Portugueses

Anúncios