Salve São Salvador

Todo mundo conhece Salvador pelo carnaval, pelo axé e pelo acarajé. Mas Salvador é muito mais do que isso, além de ser uma cidade muito importante na história do Brasil. E hoje, no dia dos seus 468 anos, homenageamos Salvador com uma singela postagem.

Em Salvador, amarre um fita de Senhor do Bonfim e faça um pedido.

Anos atrás, tive que fazer uma visita rápida a Salvador e pude conhecer um pouco a cidade.  O tempo foi mais curto do que gostaria e deixei de ver um monte de lugares famosos e turísticos.

Mas antes, um pouco sobre São Salvador.

Baiana andando pelo Pelourinho. Muito normal em Salvador.

Salvador foi a primeira cidade do Brasil a ser fundada. Inclusive foi uma das primeiras a ser fundada tanto por espanhóis quanto por portugueses no continente Americano.

A fundação da cidade se deu em 1549 por conta da necessidade dos portugueses de implantar o Governo Geral Português na nova colônia. Desse modo, São Salvador da Bahia de Todos os Santos foi a primeira capital do Brasil, ficando assim até 1763, quando a descoberta do ouro em Minas Gerais demandou uma capital mais próxima das minas, daí surgiu a Estrada Real – mas essa é história para outro momento.

Não dá para negar que Salvador tem origens coloniais.

Minha visita

Apesar do pouco tempo, pude conhecer alguns pontos turísticos de Salvador. O centro histórico, onde fica o famoso pelourinho – você sabe a origem desse nome? – Patrimônio Histórico da UNESCO. Achei muito familiar, o que era até de se esperar por causa do estilo. Mas foi quando cheguei na Baixa de Lisboa no ano seguinte que entendi essa familiaridade.

Os casarões do Pelourinho.

A região era muito estratégica, pois fica no alto, sendo uma fortaleza natural e ainda assim é perto do porto. Foi ali que a cidade de Salvador nasceu e cresceu. Até o início do século XX era uma região residencial nobre. E por isso você vai ver enormes casarões e sobrados que datam desde o período colonial e igrejas ricamente (ricas mesmo, porque é com ouro) ornadas.

Largo Terreiro de Jesus.

Nas ruas do Pelourinho você vai encontrar inúmeras lojas de lembrancinhas e de artigos de moda e decoração, capoeiristas, mulheres vestidas de baianas e o Olodum. É de verdade um bairro turístico.

Paguei R$ 1,00 nessa foto. Então ela tem que estar aqui!

Perto dali, o também muito famoso (acho que tudo que vou citar é famoso), elevador Lacerda. E como Salvador gosta de ser pioneira, ele é o primeiro elevador urbano do mundo. O elevador liga a parte alta à parte baixa da cidade. Tem uma vista linda, mas ele é, e foi feito para ser útil para a população.

Descendo, tem-se o panorama da baía de todos os santos.

O mercado modelo fica bem pertinho. A gente de A Bússola Quebrada adora mercados municipais. Como não gostar de um lugar que tem artesanato e comidas típicas? Provei o melhor licor de cacau da vida, e agora não consigo me lembrar de porquê não comprei.

Pode comprar em quantidade porque é baratinho!

Fitinhas do Senhor do Bonfim? Você compra pacotes cheios muito barato. Melhor lembrancinha para distribuir para todas as pessoas que você conhece. E ainda vão sobrar para dar para quem você vai conhecer depois.

Acarajé, comi. Mas preferi o bolinho de estudante. Farol da Barra, passei perto; Igreja de Nosso Senhor do Bonfim, vi de longe; Lagoa do Abaeté, só na música que passei uma tarde em Itapuã.  Tudo isso vai ter que ficar na próxima viagem.


Dicas de Viagem:

Quando eu fui em Salvador em 2013, todo mundo, do taxista à vendedora da loja, ficavam falando para a gente ter cuidado com furtos no Pelourinho. Eu particularmente não vi nada de suspeito, e olha que eu sou do Rio de Janeiro. Mas vale como dica em Salvador e em qualquer parte do mundo: não descuide das suas coisas.

Pode ser que você tenha que pagar para fotografar baianas e capoeiristas. Essas figuras, quase folclóricas da cidade, costumam estar nos pontos mais turísticos quase como artistas de rua.

Querendo ou não, você vai acabar comendo comida baiana.

Mini acarajé para você montar como quiser. Digo mais o quê?

Anúncios