Diferenças entre viajar solteira e com namorado

Viajar em casal é diferente de viajar solteiro. Ao menos para mim é. Será que mais alguém concorda comigo?

Dia dos namorados. Climão de amor no ar.

Dia dos namorados bem pertinho do feriadão, a gente organizando viagem e de repente me dei conta de como meus hábitos de viagem mudaram depois que eu comecei a namorar (e fiquei mais velha… não sei o que influenciou mais na mudança).

Cuidado que um dia você pode virar casal também.

Quando eu estava solteira as viagens eram com a galera. Geralmente com minhas amigas solteiras ou com as comprometidas que tinham deixado o namorado em casa. O lugar tem que ser animado, cheio de gente, de muita preferência gente solteira, e tem que ter festa à noite.

Como eu me sinto nas festinhas hoje em dia.

Para as comprometidas, era só uma saída para beber e dançar com as amigas. Para as solteiras, a chance de conhecer alguém novo legal.

E usar todas as armas de sedução.

Ai quando eu comecei a namorar, o lugar pode até ser bem animado, mas tem que ter espaço para ser romântico também. A galera também pode tá junto, mas você sabe que provavelmente vai se sentir meio deslocado se estiver com vários solteiros querendo pegação e sua galera vai acabar sendo outros casais.

Evite contato visual para não acharem que você é solteiro também.

Alias, é quando começa a namorar que você começa a ficar mais próximo dos amigos casados/namorando.

Os amigos solteiros também vão te deixando de lado. Então, sem julgamentos.

Comecei a trocar as festas até de manhã, por restaurante e happy hour. Prefiro ter tempo para dar uma namorada. Afinal, se você já se arrumou, então pode ir direto para a próxima fase.

Bem… não precisa sair gritando por ai também.

E falando em ter tempo para namorar, também é preciso pensar na privacidade. Quando eu era solteira (ou viajando sozinha) era tranquilo ficar em hostel, dormindo em beliche e dividindo o quarto com outras 20 pessoas – sim isso já aconteceu.

Sem dúvida, hostel lotado é uma festa à parte.

Mas namorando, a gente sempre procura por suítes, mesmo em hostel. Privacidade passa a ser algo muito fundamental, especialmente para mim, que tenho um namoro à distância.

Nada como uma caminha king size para você poder ficar de conchinha usando só um terço dela.

A gente já tinha falado antes sobre os desafios de viajar em casal. E acho que o principal deles para mim é ter que pensar em atividades que vão agradar os dois o tempo inteiro. Com as amigas, tem a opção de dividir a galera ou simplesmente não fazer alguma coisa. Já que tem mais gente, você não ir a algum lugar não vai deixar as outras sem companhia.

Nem vou dizer quem Juliana que sempre quer voltar para casa antes.

Já em casal, deixar o outro sozinho, até pode acontecer, mas não é legal. E é por isso que quando você vai fazer algo que o outro não gosta – tipo o Fabiano ir escalar ou entrar em cavernas – ai você vai com os amigos.

Quando o Fabiano me pergunta se quero ir numa caverna com ele: Tipo, eu queria poder, mas eu não quero.

Mas claro que tem vantagens, ficar juntinho e dividir experiências é sempre maravilhoso.

É sim!

 

 

Anúncios