Cachaça: Conheça 11 mitos e verdades sobre a bebida brasileira

Produzida em várias partes do país, paixão nacional como o futebol e assunto em muita roda de botequim, a cachaça é nosso tema para este fim de semana. E o especialista da Cachaçaria Nacional desvenda afirmações comuns que vão fazer a população mudar de ideia sobre a cachaça, a mais brasileira de todas as bebidas.

Nós e a Milagre de Minas, cachaça mineira, no bar da FIEMIG em Ouro Preto/MG.

A cachaça é cheia de curiosidades e mitos no seu entorno. Por ser uma bebida genuinamente nacional, cheia de aromas e sabores, com o tempo, apareceram histórias acerca da cachaça, algo que demonstra a importância que ela tem para os brasileiros. Mas será que as “frases típicas” sobre a bebida feita de caldo de cana fermentado e destilado são realmente verdadeiras? Para ajudar, o especialista Rafael Araújo, da Cachaçaria Nacional, desvenda alguns mitos e verdades sobre a cachaça com o intuito de melhorar a experiência que cada gole de caninha proporciona.

Moagem da cana de açúcar e extração do caldo de cana.

Moagem da cana de açúcar e extração do caldo de cana.

Confira abaixo os mitos e verdades sobre a cachaça, caninha, branquinha, pura, com frutas, caipirinha, com açúcar ou adoçante e tire suas próprias conclusões:

1 – A cachaça boa é só a amarela.
Mito. A Cachaça branca, que não possui envelhecimento, é a cachaça pura em sua essência. É a base da amarela. Ideal que seja boa para produzir uma amarela.

2 – Quanto mais envelhecida, melhor é a cachaça.
Mito. O tempo de envelhecimento não determina se a cachaça é melhor ou pior. Geralmente com o maior tempo de envelhecimento a Cachaça fica mais complexa em suas notas sensoriais, as envelhecidas em bons barris podem ter muita complexidade, mas a melhor sempre será a gosto de cada apreciador.

Destilação da cachaça em grandes panelas de cobre.

Destilação da cachaça em grandes panelas de cobre.

3 – Cachaça artesanal é melhor do que a industrial.
Polêmico afirmar, porém a artesanal tem um cuidado maior em sua produção. O pequeno produtor acompanha todo o processo de destilação para separar a cabeça (primeira porção da destilagem) e a calda (última porção). Estes dois elementos possuem substâncias nocivas à saúde e atrapalham completamente o sabor da Cachaça. Já a Cachaça industrial de coluna, pelo grande volume produzido, geralmente não consegue extrair perfeitamente e fazer essa separação.

4 – Cachaça deve ser bebida em copos transparentes.
Verdade. O ideal é que se faça a degustação em copos transparentes para que se faça a análise visual da cachaça de forma que possamos ver a viscosidade, oleosidade e pureza.

5 – A cachaça de maior valor tem qualidade superior.
Mito. Cada produtor tem os seus custos de produção investindo em garrafas personalizadas e na apresentação como um todo. Isso altera o preço final. Mas a forma e o tempo de envelhecimento podem igualar a de marcas mais baratas. Existem excelentes cachaças com apresentação mais simples que competem com cachaças mais caras. Temos o exemplo de campeãs em concursos mundiais no valor de R$20 a R$35.

Primeira fermentação em alumínio, nas cachaçarias mais modernas.

Primeira fermentação em alumínio, nas cachaçarias mais modernas.

6 – A cachaça deve ser tomada em pequenos goles.
Verdade. Costuma-se dizer em micro goles, pois ela deve ser degustada devagar, rodando em toda a boca para que se possa sentir o seu sabor.

7 – Cachaça dá dor de cabeça.
Depende. Cachaças mal produzidas podem dar dor de cabeça. É justamente a que não separa a cabeça e calda, deixando apenas o coração da destilação. A cachaça bem produzida não dá dor de cabeça. O segredo é tomar com moderação acompanhada de um copo d’água.

8 – Cachaça abre o apetite.
Verdade. A cachaça aumenta apetite pela sua complexidade, pois “abre”as papilas gustativas e prepara para as refeições.

Barris de carvalho ou jaborandi são ótimos para fermentação artesanal. Uma arte que vem cedendo espaço aos tonéis de alumínio.

Barris de carvalho ou jaborandi são ótimos para fermentação artesanal. Uma arte que vem cedendo espaço aos tonéis de alumínio.

9 – A cachaça muito forte queima a garganta.
Verdade. Quanto maior o teor alcoólico, maior a queima. Mas depende bastante da forma como se degusta. O ideal é que antes de engolir, coloque uma pequena quantidade na língua e rode em toda boca, misturando com a saliva e depois engula. O primeiro gole pode sempre ser “mais forte’”, já os próximos serão mais agradáveis, permitindo apreciar todas as notas sensoriais. Para iniciantes, recomendamos as mais fracas, com teor alcoólico de 38% até 40%.

10 – Cachaça tem prazo de validade indeterminado.
Verdade. Cachaça possui prazo indeterminado de validade. Guardando em local seco, ao abrigo do sol e muito bem vedado, durará indeterminadamente. 

11 – Cachaça e aguardente são iguais.
Mito. Pela legislação, cachaças possuem o teor alcoólico de 38% a 48%. Acima deste grau, considera-se a bebida aguardente.

A Aguardente Nhaguarandi, um dos orgulhos de Iporanga e uma das muitas razões para visitar o PETAR.

A Aguardente Nhaguarandi, um dos orgulhos de Iporanga e uma das muitas razões para visitar o PETAR.

Sugestão de cachaça:

Quem acompanha A Bússola Quebrada sabe que falamos aqui do Dia da Cachaça Mineira estamos sempre comentando alguma experiência gastronômica e até sobre cervejas e cachaças e seus sabores. E podemos recomendar uma cachaça excelente lá de Iporanga, terra que visitamos muito por causa das muitas cavernas e do PETAR – Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira. É lá que é produzida, no sítio do ex-prefeito Jeremias, a aguardente artesanal Nhaguarandi. O nome parece indígena. A cachaça mais saborosa que já provei. Forte, cheia de notas e sabores, que dá fome por dois motivos: O cheiro aromático e o sabor. Para mim é fácil comprar, viajo sempre a Iporanga. Pena que a maioria dos apreciadores vai passar a vida sem conhecer esta delícia. Sorte minha, que ainda tenho garrafas da safra de 2003, que foi produzida 4 anos antes e envelhecida durante os quatro anos da receita e mais estes anos todos, catorze no total, para ficar ainda mais encorpada. É pra beber rezando em agradecimento!

O Show Room na varanda da casa do ex-prefeito Jeremias.

O Show Room na varanda da casa do ex-prefeito Jeremias.

Sobre a Cachaçaria Nacional:
A Cachaçaria Nacional é a maior loja de Cachaças Online do Mundo e oferece mais de 1000 rótulos de Cachaças artesanais de alambiques das principais regiões produtoras do Brasil, além de acessórios para degustação, barris/dornas, linha gourmet, dentre outros.

Agradecimentos: notícia Expressa Assessoria de Comunicação.

 

Anúncios