Basílica dos Arautos do Evangelho

Templos, locais de adoração, arte, fé e muitas maravilhas em nossa viagem a mais um local de turismo religioso. Nossa visita de hoje é na Basílica dos Arautos do Evangelho, na cidade de Cotia. Independente da fé de cada um, a arte sacra é motivo mais que suficiente para uma boa viagem. Vem com a gente conhecer a Basílica dos Arautos do Evangelho.

Basílica dos Arautos do Evangelho

Basílica dos Arautos do Evangelho

E então partimos à primeira luz para uma jornada sagrada. Subir para uma terra desconhecida para ver a Catedral de uma terra encantada.

Bem, não foi tão assim que aconteceu. Nossa jornada até que começou cedo. Às sete da manhã já estávamos em marcha. Metrô no domingo. Mal começo, mas remédio amargo para o caos de mobilidade de São Paulo. Caminho reto pela Linha Vermelha até a Barra Funda, onde a Hirlei, da Mix Aventuras iria pegar todo o pessoal para a ida aos locais sagrados de diferentes religiões.

Nosso trajeto sai de São Paulo, atravessa Jundiaí e segue para Cotia. Nada muito longe, mas as experiências que vamos ter durante o dia todo estão longe de ser comuns.

O Céu azul e suas estrelas douradas.

O Céu azul e suas estrelas douradas.

No mesmo dia, visitamos o Templo Zu Lai, seguimos para o Templo Odsal Ling e mais uma quarta escala, que prometo que conto logo mais. Hoje, nossa parada é na Basílica dos Arautos do Evangelho. Uma igreja inspirada no estilo gótico, construída em Cotia, Grande São Paulo, com cores explosivas, vitrais, arcos, mandalas, enormes peças de arte, murais e aparentando ser muito, muito antiga, pelo estilo arquitetônico, que mistura um tanto do gótico com algo do constantino, fazendo uma breve ligação entre o ocidente e o oriente médio.

O corredor central da Basílica dos Arautos do Evangelho.

O corredor central da Basílica dos Arautos do Evangelho.

Ao chegar, o piso espantoso em mármore, formado um mosaico em linhas e ângulos retos e ao centro, um grande círculo com um motivo floral, a flor de Lis, que vamos ver nas colunas dentro da Basílica dos Arautos do Evangelho em alguns instantes.

E o dia não poderia estar mais ensolarado. 

O símbolo do cristianismo suspenso no ar.

O símbolo do cristianismo suspenso no ar.

Tanto que nem dava vontade de entrar na igreja, afinal, quem viu uma igreja, viu todas. E a gente já sabe o que vai encontrar lá dentro, não é mesmo? Tudo sempre igual, tudo a mesma coisa, certo? Errado!

O balcão dos músicos e o vitral de mandala, comum na arquitetura gótica.

O balcão dos músicos e o vitral de mandala, comum na arquitetura gótica.

Do lado de fora da Basílica dos Arautos do Evangelho é possível ver o enorme prédio do seminário da ordem dos Marianos, com cursos para jovens desde a pré-adolescência até a formação universitária. Um dos padres me disse que os jovens saem de lá formados em direito.

O jardim em volta, o prédio dos seminaristas, o piso em mármore, liso, limpo e impecável reluzindo ao mais forte sol, apesar de ainda ser inverno e toda aquela estrutura externa da igreja, com suas torres e o vitral de mandala bem visível acima da entrada para a nave da igreja. Sim, o ambiente interno de uma igreja é chamado de nave.

Azul, dourado, vermelho e um pouco de verde. Cores vivas.

Azul, dourado, vermelho e um pouco de verde. Cores vivas.

Basílica dos Arautos do Evangelho tem suas particularidades. E o visitante vai se acostumando aos poucos à diferença de luz enquanto outras luzes lhe atingem os olhos. O dourado dos arcos acentuados segurando o teto. O Teto da igreja, que é uma abóboda enorme em um tom de azul celeste que imita muito bem o azul do infinito, as colunas que combinam o dourado das flores de Lis com o fundo azul, misturando com vermelho, amarelo e verde, em colunas em estilo coríntio, com seu inconfundível capitel em estilos florais, dourados, mas não como qualquer amarelo. Quase como tendo um brilho próprio.

Arcos dourados. Os arcos marcar a arquitetura gótica.

Arcos dourados. Os arcos marcar a arquitetura gótica.

No alto, o azul do céu é um desafio para quem chega. Primeiro, a Basílica dos Arautos do Evangelho parece ter em seu interior apenas uma grande cúpula oval, como é comum nas construções de templos, mas o detalhe aqui é que no meio de um azul impecável, várias pequenas estrelas de seis pontas se misturam aos arcos de reforço do teto, em mais dourado e vermelho vivo.

As cores da Basílica dos Arautos do Evangelho são vibrantes, vivas. O vermelho é sanguíneo, o dourado brilha, o azul é sem fim, o rosa do mármore do altar ainda guarda mais tons do que costumamos ver.

O altar da Basílica dos Arautos do Evangelho. A sutileza dos tons de rosa no duro mármore.

O altar da Basílica dos Arautos do Evangelho. A sutileza dos tons de rosa no duro mármore.

E você que notou tudo isso está apenas começando a ver as maravilhas da Basílica dos Arautos do Evangelho

O olhar atento continua. Preciso fazer mais fotos, ver mais, os olhos são poucos. As pinturas. Sim, acima das portas laterais, na saída, há pinturas nas paredes retratando cenas dos quatro evangelhos. E há mais. Os vitrais, em esferas de mandala logo na entrada, que agora será minha saída, nas laterais, e principalmente, à minha frente, onde entre balcões e passagens, algumas dezenas de longos vitrais terminando em arcos iluminam o altar em mármore rosa e destacam, com a luz externa passando pelas cores vivas do vidro, uma cruz, um pouco maior do que o tamanho natural, parecendo mesmo flutuar no ar, como que suspensa por um poder além da compreensão.

Luzes e cores.

Luzes e cores.

Um coral e vários instrumentos musicais atrás de nós eram de leve iluminados por um vitral em mandala, aquele que vimos do lado de fora da Basílica dos Arautos do Evangelho. Ao redor dela, reproduções de quadros renascentistas com figuras angélicas, os discípulos, o trono e a representação da maior divindade do cristianismo. 

Aproximando da mandala vista da entrada.

Aproximando da mandala vista da entrada.

A intensidade das cores dentro da Basílica dos Arautos do Evangelho, a intensidade do sol do lado de fora, o brilho incansável do astro-rei e do dourado e do colorido dentro da igreja. Acho mesmo que me faltaram olhos para ver tanta beleza!

Assistimos à missa, minha primeira vez. Fizemos planos de voltar, de dia, para ver toda aquela beleza de novo em seu melhor momento. 

Amigos de viagem! Prazer em conhecer, gente! Vamos fazer de novo!

Amigos de viagem! Prazer em conhecer, gente! Vamos fazer de novo!

Algumas fotos na saída e vamos de volta para a van, nosso transporte usado pela Mix Aventuras, e de lá para outros pontos encantadores que visitamos neste dia incrível.

Faça planos de conhecer a Basílica dos Arautos do Evangelho. Fale com a Hirlei e boa viagem!

A van da Mix Aventuras. Muito confortável! Abraços ao Reginaldo, nosso motorista.

A van da Mix Aventuras. Muito confortável! Abraços ao Reginaldo, nosso motorista.

.


Dicas de Viagem:

Para visitar a Basílica dos Arautos do Evangelho, veja aqui os contatos da Hirlei Gonçalves, da Mix Aventuras e agende sua visita com o próximo grupo – www.facebook.com/mixaventuras

Quer saber mais sobre a Basílica dos Arautos do Evangelho? Veja aqui https://arautosgranjaviana.blog.arautos.org/sobre/

E tem contato no Facebook também – https://www.facebook.com/pages/Arautos-do-Evangelho-Granja-Viana/326890850675856

.

.

.

Anúncios