De Roma a Amsterdã sem nem um centavo.

Brasileiros ficam em Top 5 de competição universitária inusitada na Europa. Estudantes mineiros usam criatividade e superam obstáculos para irem de Roma até Amsterdã sem nenhum centavo no bolso.

.

.

Já imaginou atravessar quatro países europeus com seus amigos, sem dinheiro no bolso, durante uma semana e realizando desafios? Após ensinarem danças típicas brasileiras, vencerem alemães no pebolim, pegarem carona em um carro esportivo e ainda servirem pratos para pessoas de culturas diferentes, os universitários da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) fizeram história ao País. Entre 200 times de todo o mundo, o trio terminou em quarto lugar na competição mais insana da vida deles, o ‘Red Bull Can You Make It?’. Outra representante, a equipe feminina, formada por universitárias de Sergipe, concluiu o torneio entre os 100 melhores.

Ao longo de uma semana, o Team Braza, formado pelo estudante de engenharia mecânica João Henrique e pelos futuros publicitários José Rodrigues e Lucas Guerra, teve de viajar a partir de Roma (ITA) até Amsterdã (HOL), sem nenhum centavo, cumprindo desafios e só com latas de Red Bull como moeda de troca. Carismáticos, organizados e corajosos, eles lideraram vários dias da competição, mas acabaram superados no final.

.

.

“Depois de todas as dificuldades, ficamos muito felizes e orgulhosos da nossa trajetória. Fizemos muitas coisas legais, passamos por várias cidades e conhecemos diversas pessoas”, conta José Rodrigues.

“Quando voltarmos ao Brasil, queremos encontrar nossos amigos, família e compartilhar os momentos. Vai ser ótimo. E também queremos uma alimentação bem brasileira (risos)”, completa João Henrique.

Eles passaram por quatro países (Itália, Áustria, Alemanha e Holanda), concluíram dez desafios, percorreram 3.076 km, trocaram 97 latinhas e ainda conquistaram 240 para terminar na quarta posição. O título ficou com os suecos do G I T, seguidos pelos portugueses do #Freeriders e dos alemães Naughty Boyz.

.

.

Já as meninas do Team Rose, composto pelas sergipanas estudantes de Publicidade e Propaganda Aline Nascimento, Fernanda Goulart e Yasmin Alves, encerraram a competição em 89º lugar, após quase desistirem no segundo dia. “Depois duas noites sem dormir e sendo constantemente expulsas dos trens, nós chegamos a ligar para avisar que iriamos desistir, mas o suporte dos amigos e família foi tanto que decidimos seguir em frente”, desabafou Fernanda, enquanto o estudante de Design Felipe Machado, do Rio Grande do Sul, entrou em uma equipe ‘coringa’.

.

.

Ao longo de uma semana, os participantes percorreram 459.399 km e visitaram 21 países. Entre os desafios, eles tiveram de trocar latas por aluguel de carros, aulas de paraquedismo, snowboard, parapente e até mesmo para serviços de lavanderia. Já as missões incluíam uma selfie com a torre de Pisa, caminhada nos Alpes e descascar milhares de camarões. Ao todo, 40 meios de transporte diferentes foram usados, como voos comerciais, helicópteros, bicicletas, lanchas, trem e os próprios pés.

.

.

Nesta segunda edição do evento, 200 times de estudantes, de 60 países diferentes, saíram das cidades de Madri (Espanha), Budapeste (Hungria), Manchester (Reino Unido), Estocolmo (Suécia) e Roma (Itália) em busca do título da competição. Durante todo o trajeto, os participantes não puderam usar nenhum centavo e tiveram apenas as latas de Red Bull para trocar por caronas, bebida, comida e abrigo.

.


Dicas de Viagem:

A Bússola Quebrada acompanhou todo o percurso da Red Bull e das equipes do Red Bull Can You Make It? pela Europa e se você quiser acompanhar melhor, veja mais informações nos links abaixo:

Cata-lata Red Bull

Viaje pela Europa trocando latinhas por quilômetros

.

.

.

Anúncios