Agenda Cultural 04-05-2018

Uma Agenda Cultural com muita comida, bebida, shows, dança, teatro, cultura e lazer para todos. E aproveitando que tem um evento sobre a Abolição da Escravatura para a semana que vem inteira. Fique atento e divirta-se!

.

Rio de Janeiro/RJ

Show do cantor Luis Fonsi no Rio de Janeiro

O fenômeno mundial Luis Fonsi, virá pela primeira vez ao Brasil em maio com a sua “Love and Dance Tour” e se apresentará nas capitais Curitiba (3), São Paulo (4) e Rio de Janeiro (6).  

O interprete do mega hit “Despacito”, que tem quase 5 bilhões de visualizações em seu vídeo no Youtube, foi um dos indicados do Grammy Latino 2018 na principal categoria da premiação: “Gravação do Ano”. 

.

.

Luis Fonsi lançou recentemente uma parceria com a cantora americana Demi Lovato na música  “Échame La Culpa”, que se tornou a  canção latina mais ouvida nos EUA, acumulado mais de 1 bilhão de visualizações no Youtube.

Serviços:

Luis Fonsi – Love and Dance Tour
06/05 – Rio de Janeiro

Vivo Rio – Av. Infante Dom Henrique, 85
Abertura: 18h – Início: 20h
Classificação: 18 Anos
Informações e vendas: http://www.eventim.com.br

.

São Paulo/SP 

Meu Primeiro Municipal leva o público a uma viagem para a ‘Estação Villa-Lobos’

Espetáculo passeia pela vida de um dos maiores compositores brasileiros de forma lúdica com texto de Jorge Emil e direção cênica de Cássio Scapin.

.

.

Tu-hu, apelido de infância de Heitor Villa-Lobos, conta sua história no Meu Primeiro Municipal ‘Estação Villa-Lobos’, nos sábados 5 de maio, 2 de junho e 4 de agosto, às 12h, no Theatro Municipal. As apresentações, com duração de 60 minutos, começam já no saguão do Theatro.

“Este programa, criado nesta gestão, tem como objetivo formar público fazendo com que as crianças tomem gosto pela música erudita”, ressalta o secretário municipal de Cultura, André Sturm. Assim, a plateia é convidada a adentrar um universo novo, viajando por momentos da vida de um dos maiores ícones da música erudita brasileira de maneira leve e divertida. Entre os temas abordados de forma lúdica estão o momento em que Villa-Lobos ganha seu primeiro violoncelo aos 6 anos de idade até seu reconhecimento internacional, passando por suas explorações de sons em viagens por todo o Brasil e sua contribuição para a Semana de Arte Moderna, com destaque para sua admiração pelo alemão Johann Sebastian Bach.

.

.

As palavras de Manuel Bandeira e Ferreira Gullar se aliam a canções folclóricas, cantigas de roda, temas sertanejos e cantos de macumba no decorrer da apresentação. Com texto de Jorge Emil, direção cênica de Cássio Scapin, direção musical de Gabriel Rhein-Schirato, o espetáculo é uma viagem guiada por música, poesia e descoberta.

“A apresentação é para que o público descubra quem foi Villa-Lobos, esse artista que se valeu de tantas referências da nossa cultura popular.”, conta Scapin. Gabriel Rhein-Schirato, diretor musical de ‘Estação Villa-Lobos’ diz que o recorte da obra ficou em torno de suas influências regionais, do artista nacionalista.  “Sempre de maneira lúdica, procuramos trazer músicas do Villa-Lobos e canções que ele pesquisou no folclore e colocou dentro da música erudita”, explica Rhein-Schirato.

“‘Estação Villa-Lobos’ está dentro do Meu Primeiro Municipal, série de apresentações que convida a todos, com ênfase em quem nunca esteve no Theatro, a assistir um espetáculo nesta joia da cultura paulistana. E, por isso, trata-se de um espetáculo acessível a crianças de todas as idades e à população que não costuma vir a concertos”, explica Rhein-Schirato. Scapin completa: “nossa ideia de ‘Primeiro Municipal’ é convidar as pessoas que nunca vieram ao Theatro a ocupar essa casa de espetáculos.”   

.

.

Meu Primeiro Municipal – Estação Villa-Lobos

Jorge Emil – Roteiro
Cássio Scapin – Direção Cênica
Gabriel Rhein-Schirato – Direção Musical
Chris Aizner – Cenografia
Elena Toscano – Figurino
André Grynwask – Projeção
Ópera Studio

Sábados, 5/5, 2/6 e 4/8, 12h.
Duração aproximada: 60 min.
Classificação indicativa livre.
Theatro Municipal de São Paulo – Sala de espetáculos
Praça Ramos de Azevedo, s/nº – São Paulo, SP

Telefone: 3053-2090
Ingressos na bilheteria do Theatro Municipal de São Paulo ou pelo site www.theatromunicipal.org.br

.

.

Montagem Inédita No Brasil Da Peça “A Procura De Emprego” Estreia No Sesc Santo Amaro.

Dirigida por Jean-Claude Bernardet e Rubens Rewald, o espetáculo traz à tona as relações e percepções sociais embaladas a partir de Maio de 1968.

No dia 4 de maio, “A Procura de Emprego” estreia no Sesc Santo Amaro. Escrita pelo dramaturgo francês Michel Vinaver, em 1970, é encenada pela vez primeira nos palcos brasileiros.  A temporada segue até o dia 10 de junho de 2018.

.

.

Dirigida e traduzida pelo crítico de cinema e ator Jean-Claude Bernardet, em parceria com o dramaturgo e diretor de teatro e cinema Rubens Rewald, a montagem da peça coloca em cena toda a densidade dramática e realista da linguagem que o texto impõe.

O espetáculo narra a história de Fage (Eucir de Souza), um diretor de vendas, desempregado há três meses, em busca de uma recolocação no mercado de trabalho. Porém, o declínio vivido pelo personagem se insere nas relações familiares, na confrontação da estrutura social e econômica e até mesmo em um colapso psicológico.

O desempregado é entrevistado por Wallace (Magali Biff), diretora de recrutamento, que o interroga de maneira estratégica para conhecer as suas qualidades e defeitos. Cada pergunta da recrutadora leva Fage a declarar suas opiniões e emoções sobre assuntos como aborto, traição de colegas e a rebeldia da filha – o pai é também interpelado por sua esposa Louise (Fernanda Viacava) devido à falta de firmeza com Nathalie (Bianca Lopresti), filha do casal com 16 anos, militante política.

“A Procura de Emprego” é uma peça de estrutura dramática inovadora, não há atos nem cenas; a peça é organizada em trinta partes aleatórias. É uma proposta dramatúrgica de um jogo de não espacialidade, inclusive com público sentado no palco do teatro, sem a delimitação espacial dos personagens; não há uma linha temporal; as falas e diálogos não seguem nenhuma cronologia ou lógica – a pontuação na escrita do texto foi eliminada.

Michel Vinaver realizou no seu texto um retrato de uma sociedade desencantada e expôs intrigas e opressões do mundo do trabalho. O autor, consciente das contestações que povoaram as ruas de todo o mundo, em 1968, traz à tona, com uma dramaturgia desafiadora, as transformações sociais.

SERVIÇO

A PROCURA DE EMPREGO, DE MICHEL VINAVER.

Quando: De 04/05 a 10/06
Horário: sextas e sábados, às 21h; domingos, às 18h.
Local: Teatro (1º andar). Capacidade de 221 lugares na plateia e no palco.
Duração: 100 minutos
Classificação: 12 anos
Ingressos: R$ 30,00 (inteira); R$ 15,00 (estudantes, +60 anos e aposentados, pessoas com deficiência e servidores da escola pública) e R$ 9,00 (Credencial Plena válida: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculados no Sesc e dependentes).
 
NA VIRADA CULTURAL 2018
Quando: 19/05 e 20/05
Horário: sábado, às 21h e às 23h30; domingo, às 18h.
Retirada de ingressos com antecedência.
Grátis
 
SESC SANTO AMARO
Bilheteria e horário da unidade: Terça a sexta, das 10h às 21h30. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h30.
Endereço: Rua Amador Bueno, 505.
Acessibilidade: universal.
Estacionamento da unidade: R$ 5,50 a primeira hora e R$ 2,00 por hora adicional (Credencial Plena); R$ 12,00 a primeira hora e R$ 3,00 por hora adicional (outros).
Preço único mediante apresentação de ingresso (a partir das 18h): R$ 7,50 (Credencial Plena) e R$ 15,00 (outros).
Disponibilidade: 158 vagas para carros e 36 para motos. A unidade possui bicicletário gratuito.

.

1º Festival de Waffles do Brasil será em 05 e 06 de maio no Memorial da América Latina

Evento conta com a companhia do Festival de Coxinhas e quatro apresentações musicais por dia.

.

.

Já pensou que maravilha um Festival dedicado aos waffles, delícias criadas na Bélgica, que podem ter coberturas e recheios doces e salgados? Essa evento inédito, com entrada gratuita,  que acontece simultaneamente ao Festival da Coxinha, oferece infraestrutura para que você possa se divertir com sua família, amigos e bichinhos de estimação sem se preocupar. Tem fraldário e área kids (atrações a partir de R$6,00); espaço quick massage; minishopping com artesanato, roupas, calçados, acessórios, brinquedos e objetos de decoração; bicicletário (portão 9); e muita música de qualidade com a galera que se apresenta no palco Talentos. O  Memorial fica ao lado do metrô Barra Funda, tem pontos de ônibus pertinho e vários estacionamentos. O convite está feito: é só chegar e aproveitar!!!

.

.

E para acompanhar tanta coisa gostosa, além de água, refrigerantes e sucos, diversas cervejarias artesanais estarão no evento com estilos variados como IPA’s (Red, Double, Session etc.), APA, Summer Ale, Pilsen, Black, Weiss, Stout, Witbier, Lager, Brown Poter, Dunkel, com adição de frutas e/ou especiarias, para agradar todos os paladares.

.

.

Apresentações musicais – E que tal apreciar essas gostosuras, fazer comprinhas e bater papo embalado por música de qualidade? Pois é o que a ArtShine oferece ao público que visitar o evento no final de semana. São oito shows – quatro em cada dia – de cantores/bandas de estilos variados no palco Talentos.  Confira a programação:

Sábado, 05/05
13h     –           Fernanda Luongo (pop rock)

15h     –           Cangalheira (forró)
17h     –           Batuque de Lara (samba)
19h     –           Douglas Dakombi (pop)

Domingo, 06/05
13h     –           Guga (pop rock)

15h     –           Step’n Soul (jazz/blues)
17h     –           Matuta (pop rock)
19h     –           Jota Pê, integrante do time Lulu Santos no The Voice 2017 (MPB)

.

.

Serviço – entrada gratuita
1º Festival de Waffles
https://www.facebook.com/events/526294161097924/
4º Festival da Coxinha – https://www.facebook.com/events/564856620553260/
Local: Memorial da América Latina (ao lado do metrô Barra Funda)
Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664
Horário: das 11h às 21h
Estacionamento (pago): portões 4 e 15
Bicicletário: portão 9

.

Trabalhos em Execução’ estreia na Sala Carlos Miranda

Espetáculo contemplado no Edital de Espetáculos de Artes Cênicas e Música/2018 reúne textos de Harold Pinter, George Melly e Marco Faustino

No dia 4 de maio, o espetáculo Trabalhos em Execução estreia na Sala Carlos Miranda do Complexo Cultural Funarte SP. Contemplada no Edital de Espetáculos de Artes Cênicas e Música/2018, a peça fica em cartaz até 27 de maio, sextas e sábados, às 21h, e domingos, às 20h.

.

.

Trabalhos em execução une sete textos curtos de autores de diferentes gerações: Harold Pinter, George Melly e Marco Faustino. O tema em comum são as relações de trabalho cotidianas, em que profissionais, autônomos ou não, submetem-se às exigências do mercado, de seus patrões ou de seus próprios desequilíbrios. Ao evidenciar essas distorções nas cenas apresentadas, o espetáculo revela o quanto manipulamos e somos manipulados, o que pode levar a situações indesejadas de opressão, estranhamento e frustração. A peça é um misto de comédia, drama e teatro de absurdo.

Sala Carlos Miranda – Complexo Cultural Funarte SP
(Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos, São Paulo, SP)

Espetáculo: Trabalhos em execução
De 4 a 27 de maio. Sextas e sábados, às 21h, e domingos, às 20h.

Ingressos: R$ 50 (meia-entrada: R$ 25) – Cartões não são aceitos
A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo.
Vendas pelo site: sampaingressos.com.br
Duração: 60 minutos. Classificação etária: 14 anos.

.

Espetáculo ‘Pança’ estreia no Teatro de Arena Eugênio Kusnet

Contemplada no Edital de Espetáculos de Artes Cênicas e Música 2018, peça aborda mercado, economia e relações humanas

A partir do dia 3 de maio, quinta, às 21h, o Teatro de Arena Eugênio Kusnet recebe o espetáculo Pança, contemplado no Edital de Espetáculos de Artes Cênicas e Música 2018. Com texto de Leo Lama, atuação de Beto Magnani e direção de Robert Coelho, a peça fica em cartaz até o dia 27 de maio, quartas e domingos, às 20h, de quintas a sábados, às 21h. Os ingressos têm preços populares.

O texto apresenta, com humor e ironia, questões relacionadas ao mercado, à economia mundial e às sociedades estabelecidas à margem do Estado. A dramaturgia se debruça sobre essa realidade com poesia e lirismo, trazendo à cena, entre outras referências históricas e artísticas, a clássica relação entre Dom Quixote de La Mancha e seu fiel escudeiro, Sancho Pança. Os personagens de Miguel de Cervantes somam-se às inspirações kafkianas e antropofágicas, que também compõem a narrativa.

.

.

Pança é o segundo homem mais importante da maior potência econômica do planeta, braço direito do todo poderoso Dom Quixote. Sua tarefa é explicar para os iniciantes, aspirantes ao poder, quais são as regras quando as regras são as regras da vida. O personagem corta grandes pedaços de carne diante de seus ouvintes, ao mesmo tempo que esmiúça, com humor e requintes de crueldade, o funcionamento da economia mundial, a decadência do estado de direito e a instabilidade das relações humanas em sua forma mais bruta. O boato de que ele costuma virar cachorro atrai ainda mais interessados em ouvir o que ele tem a dizer.

Teatro de Arena Eugênio Kusnet
(Rua Dr. Teodoro Baima, 94, Vila Buarque, São Paulo, SP)

Espetáculo: Pança

De 3 a 27 de maio. Quartas e domingos, às 20h, de quintas a sábados, às 21h.
Às quartas-feiras (dias 09, 16, 23 de maio), há bate-papo após o espetáculo, com mediação de um convidado.
Às quartas, quintas e sextas, às 15h, há apresentações para escolas.
Ingressos: R$ 30 (meia-entrada: R$ 15) – Cartões não são aceitos
A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo.

Duração: 55 minutos. Classificação etária: 14 anos.

.

Funarte SP apresenta ‘Violão sem Fronteiras’

Contemplado no Edital de Espetáculos de Artes Cênicas e Música/2018, o violonista Diogo Oliveira toca obras do repertório brasileiro e latino-americano

No dia 4 de maio, sexta, às 20h, a Sala Guiomar Novaes recebe o violonista Diogo Oliveira, contemplado no Edital de Espetáculos de Artes Cênicas e Música/2018. O artista apresenta o projeto Violão sem Fronteiras, que reúne variados estilos de música e poesia. Os ingressos têm preços populares.

.

.

O programa conta com obras de gêneros brasileiros, como bossa nova, choro, baião e samba, além de estilos musicais de outros países latino-americanos, como o chamamé argentino e a guarânia paraguaia. No repertório, há músicas de compositores brasileiros, como Tom Jobim, Heitor Villa-Lobos, Yamandu Costa, Dilermando Reis, Baden Powell e Antônio Madureira. O violonista também recita poemas de Vinicius de Moraes, como Samba da Bênção, Pra viver um grande amor e Soneto de Fidelidade.

Diogo Oliveira é mestre em violão pela Universidade de Alicante na Espanha e bacharel em violão pela Unicamp. Apresentou-se em diversas cidades brasileiras nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Paraná. Também tocou na Argentina, no Paraguai e na Espanha. Foi premiado em diversos concursos nacionais e internacionais. Em seu trabalho solo, explora novos arranjos do repertório brasileiro e latino-americano em geral. Também toca com orquestra (concertos de Radamés Gnattali e Villa-Lobos), com o percussionista Denilson de Paula, com quem explora o repertório instrumental brasileiro, e no Duo Du Vent, com a cantora Ligia Kamada, que pesquisa o universo musical francês. Desde 2008, Diogo Oliveira trabalha com o flautista Cesar Pereira. O duo gravou, em 2016, seu primeiro CD, que foi custeado pelo Fundo Municipal de Cultura da cidade de São Roque – SP. O repertório do disco é formado por obras de compositores brasileiros (H. Villa-Lobos, Radamés Gnattali, Sérgio Assad e Liduino Pitombeira).

Sala Guiomar Novaes – Complexo Cultural Funarte SP
(Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos, São Paulo, SP)

Recital: Violão sem Fronteiras
Dia 4 de maio. Sábado, às 20h.

Ingressos: R$ 20 (meia-entrada: R$ 10) – Cartões não são aceitos
A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo.

.

Futebol feminino é tema do espetáculo teatral ´VOCÊS VÃO TER QUE ME ENGOLIR!´ que acontece em São Paulo

Apresentada pela CIA MAR, as difíceis trajetórias de três jogadoras de futebol são narradas com músicas e humor; apresentações acontecem no teatro ´A próxima Companhia´ nos próximos dias 5 e 6 de maio.

.

.

A CIA MAR, grupo de teatro e contação de histórias de São Paulo, irá apresentar nos próximos dias 5 e 6 de maio, às 16h no teatro A próxima Companhia, localizado na Rua Barão de Campinas, 529, Campos Elíseos, o espetáculo “VOCÊS VÃO TER QUE ME ENGOLIR!”, que de maneira lúdica e repleta de passagens cômicas e músicas, traz as histórias de Maria, Flor e Iara, três mulheres que sofreram preconceito para serem jogadoras.

A peça se passa em ambientes típicos das periferias dos centros urbanos brasileiros. Na apresentação, três garotas apaixonadas por futebol narram os caminhos tortuosos que Maria, que adorava o esporte, mas era instruída pela mãe para se preocupar com os afazeres domésticos, Iara, que cresceu ouvindo falar de futebol em meio a roda de samba do bar de sua avó Dona Lucinda e precisou chegar ao ponto de se vestir de menino para conseguir jogar na pelada do bairro e Flor que tinha de se esconder para assistir aos jogos do time Canarinhos da Vila, que seu pai dirigia, precisaram traçar para conquistarem espaço em um ambiente machista como o meio futebolístico.

O espetáculo VOCÊS VÃO TER QUE ME ENGOLIR!, que tem no nome uma referência a épica frase do técnico da seleção brasileira Mario Jorge Lobo Zagallo, pretende fomentar o debate sobre o preconceito que as mulheres sofrem no futebol. A apresentação tem 50 minutos e a classificação é livre.

CIA MAR  

A CIA MAR é uma companhia de teatro e contação de histórias que se formou dentro do setor educativo de um grande museu de São Paulo. Jéssica Policastri, atriz e bacharel em letras, Beatriz Barros, atriz e cientista social e Luana Oliveira, musicista, uniram suas diferentes áreas do conhecimento para formar o grupo que pretende discutir questões de grande impacto político e social. Além de projetos em teatro como o espetáculo “VOCÊS VÃO TER QUE ME ENGOLIR”, a companhia faz apresentações e cursos de contação de histórias.

.

.

Serviço

CIA MAR apresenta VOCÊS VÃO TER QUE ME ENGOLIR!
Onde: A próxima Companhia

Data: 05/05 e 06/05
Horário: 16h
Ingressos: R$10,00 MEIA E R$20,00 INTEIRA
Endereço:
R. Barão de Campinas, 529 – Campos Elíseos

.

Serra Gaúcha/Rio Grande do Sul

Salton apresenta roteiro especial de Inverno em um dos melhores destinos do Brasil

Para aproveitar a estação mais fria do ano na Serra Gaúcha, a vinícola oferece um novo tour de vinhos merlot harmonizados com pratos típicos da estação

A Serra Gaúcha foi eleita, mais uma vez, o melhor destino do Brasil, segundo 68 mil viajantes e leitores do site Melhores Destinos. Gramado e Bento Gonçalves foram as cidades mais votadas. De acordo com dados divulgados pela Secretaria Municipal de Turismo, a Capital do Vinho atingiu a marca de 1,4 milhão de visitantes em 2017, e o Vale do Rio das Antas, no qual está localizada a Vinícola Salton, teve o maior crescimento: um aumento de 12,9% no número de visitantes, recebendo cerca de 83 mil pessoas no ano passado.

.

.

Sempre pensando em roteiros especiais para receber os turistas, principalmente nesta temporada com baixas temperaturas, quando a Serra fica ainda mais charmosa, a Salton programou um tour com vinhos merlot harmonizados com pratos típicos da estação. Tudo na imponente estrutura de sua sede em Bento Gonçalves, região referência quando o assunto é qualidade de vinhos e de espumantes.

O novo roteiro vai além do óbvio, expressando a enogastronomia em uma incrível experiência sensorial. Seis diferentes rótulos da vinícola conduzem o participante na harmonização: Classic Merlot, Paradoxo Merlot, Intenso Merlot & Tannat, com destaque aos premiados Salton Desejo e Salton Talento, ambos da safra de 2012. A culinária é variada desde elaboradas empanadas e cremes quentes às tradicionais brusquetas, polenta brustolada e embutidos.

Durante o passeio, que se inicia sempre às 10h, os visitantes poderão conhecer os vinhedos, o cuidadoso processo de elaboração dos produtos, a Galeria dos 100 anos, a Cave das Bordalesas e o labirinto da Cave da Evolução, entre outros espaços.

A programação acontecerá exclusivamente nos dias 5 e 19 de maio, 9 e 23 de junho, 7 e 21 de julho e 4 de agosto. O valor da visita, com a degustação harmonizada, é de R$ 50,00 por pessoa.  É necessário agendar o passeio, com duração estimada de duas horas, por meio do site https://www.salton.com.br/roteiro/especial-de-inverno-com-vinhos-merlot ou pelo e-mail varejo@salton.com.br. Mais informações pelo telefone (54) 2105-1016.

.

Curitiba/Paraná

Coolritiba mostra a variedade dos ritmos brasileiros

.

.

Palco Arnica promete ser uma ode ao cenário musical alternativo

Depois do Lollapalooza, o Festival Coolritiba é a próxima oportunidade de ouvir muita música e prestar a devida homenagem a produção paranaense e nacional. O evento que está em sua segunda edição, contará com 15 atrações, mais de 20 artistas e acontecerá no dia 5 de maio, na Pedreira Paulo Leminski. Com o lema atitudes que mudam o mundo, o espaço não oferecerá apenas música, mas também muita arte, dança, moda e compromisso sustentável e social.

.

.

Natália Pequeno, 20 anos, acredita que festivais como o Coolritiba “foge do mais do mesmo”. Segundo a designer, festivais maiores como RIR e Lollapalozza estão cada vez mais trazendo artistas já consolidados, que teoricamente, se tem mais fácil acesso. “É importante ter mais eventos com cenas alternativas, independentes. Isso gera mais repercussão, e aproxima o público dos artistas”.

Palco Arnica

Inspirado no movimento cultural criado pela banda Trombone de Fruta (que também se apresenta no festival) o Palco Arnica oferece uma programação extremamente eclética, que acaba atraindo públicos dos mais distintos gostos e jeitos. Que é um dos objetivos do festival: utilizar a música e a arte como linguagem universal, que une pessoas em todo o mundo.

.

.

O palco que promete trazer revolução e criar novos conceitos musicais terá atrações como, Francisco, El Hombre, primeira banda independente a concorrer ao Grammy Latino na categoria de “Melhor Canção em Português”. Após show explosivo no Lollapalloza onde fez a galera cantar, pular e dançar sua próxima parada é o Coolritiba.

Outra atração com presença confirmada é a Dingo Bells, com mais de dez anos de estrada o grupo já se apresentou no Japão, Festival Brasil Day 2013, e abriu shows internacionais, como dos nova-iorquinos Television, do ex-Beatle Ringo Starr e do Maroon 5. No Coolritiba vai lançar o novo disco da banda, intitulado Todo Mundo Vai Mudar (Independente/Natura Musical).

Com muitos timbres sessentistas, quem também marcará presença no Festival Coolritiba é o power-trio de São Paulo capital, O Terno. Com estética autoral, mesclado originalidade e influencias, a banda já foi indicada aos 15 melhores do ano na revista Rolling Stone com seu disco que leva o nome da banda.  Em abril de 2017, a canção “Ai, Ai Como Eu Me Iludo” passou a fazer parte da trilha sonora de Malhação, novela da Rede Globo. O ano também teve lançamento do clipe “Não Espero Mais”, que ficou durante dois dias entre os vídeos mais vistos do YouTube Brasil – chegou a ficar em terceiro lugar – e ganhou o Prêmio Multishow na categoria “Melhor Direção”.

O rap nacional também estará presente no Palco Arnica com Rincon Sapiência, grande destaque na atual cena do rap nacional independente. O cantor começou sua carreira em 2000, e adquiriu sucesso em 2009 com o lançamento do single “Elegância”. Seu show é garantia de muita resistência e força, com ritmos que vão desde a capoeira até o blues, passando pelo coco e pela tropicália, até o afrobeat, sempre permeadas pela sua veia rock and roll.

A banda Brasiliense Scalene trará ao Coolritiba muito Stoner Rock & Rock Alternativo. Formada em 2009, a banda participou da segunda temporada do reality show musical Superstar, da Rede Globo, onde terminou como vice-campeã. A banda já foi vencedora do Grammy Latino de Melhor Álbum de Rock em Língua Portuguesa 2015/2016 com o álbum Éter.

E quem não podia faltar era uma das bandas curitibanas mais promissoras de cenário paranaense, a Trombone de Frutas. Considerada dona de um rock de muita personalidade pela Rolling Stone Brasil a banda que antes era acostumada a tocar em praças e quintais, criando eventos exclusivos, resolveu investir em seu próprio espaço artístico. Localizada no bairro Bigorrilho, em Curitiba, a Arnica Cultural é um empreendimento que reúne local para shows, projeções, feiras, uma produtora de áudio, além de estúdio para gravação e ensaio. Além de dar nome ao palco mais diversificado do festival.

E como o clima boêmio já faz parte do circuito cultural curitibano, os tradicionais bares da Trajano Reis e Vicente Machado não poderiam faltar. As clássicas calçadas serão trocadas pelo maior palco ao ar livre da América Latina, a Pedreira Paulo Leminski e a diversão promete ser proporcional ao tamanho do evento.

Serviço Festival Coolritiba

Data: 05 de maio de 2018
Local: Pedreira Paulo Leminski
Ingressos: a partir de R$120,00 (meia-entrada).

A meia-entrada é válida para estudantes, pessoas acima de 60 anos, professores, doadores de sangue e portadores de necessidades especiais (PNE) e de câncer; Clientes Caixa Econômica Federal e Clube do assinante da Gazeta do Povo.  **Valores sujeitos a alterações sem aviso prévio. 

Os ingressos poderão ser adquiridos através da Blueticket pelo portal www.blueticket.com.br ou nas lojas Multisom (shopping Palladium e shopping São José).

Saiba mais sobre o evento:

www.coolritiba.art.br

facebook.com/festivalcoolritiba/

instagram.com/festivalcoolritiba/

twitter.com/festcoolritiba/

.

Santo André/Grande ABC de São Paulo

Bailarinas de Santo André participam de Festival de Dança

.

.
Neste domingo (6 de maio), as integrantes do Ballet Aramaçan, do Clube Atlético Aramaçan, participarão do Oca Festivais, promovido com o intuito de proporcionar mais espaços artísticos de desenvolvimento para artistas de vários segmentos através do intercâmbio entre as escolas.
A partir das 15 horas, as bailarinas apresentarão a coreografia Absolem (jazz conjunto), da coreógrafa Camila Dias, no Teatro Gamaro, localizado na rua Dr. Almeida Lima, 1176 – Mooca, São Paulo.
No ano passado, o grupo, sob a direção de Silvia Sitta, foi contemplado com algumas premiações. No Festival de Dança Vida ao Corpo, as coreografias Potência (jazz) da coreógrafa Camila Dias ficou em primeiro lugar e Força na Peruca (jazz), do coreógrafo João Vecker, levou o prêmio especial do festival. Anteriormente, a coreografia Força na Peruca também ganhou o primeiro lugar na modalidade jazz avançado e João Vecker levou o prêmio de coreógrafo revelação durante o festival de dança New Fast, em Campos do Jordão.
.

.

Semana que vem tem mais no Rio de Janeiro/RJ

130 Anos da Abolição da Escravatura

O Arquivo Nacional, em parceria com a Globo, realizará entre os dias 08 e 12 de maio um grande evento para marcar os 130 anos da Abolição da Escravatura no Brasil. Na ocasião, serão expostos os documentos originais da Lei Áurea e da Lei do Ventre livre. Será uma semana repleta de atrações que acontecerão na sede do Arquivo Nacional, no Rio de Janeiro.

.

.

Está prevista uma série de shows de grupos afro-brasileiros, uma exposição com 40 itens do acervo do período da escravidão, uma mostra de cinema em homenagem a Nelson Pereira dos Santos, cujos originais dos filmes estão guardados no Arquivo Nacional, e um Seminário sobre Pós-Abolição com curadoria da pós-doutora Helena Theodoro.

Durante toda a semana, a partir das 18h30, serão realizados shows de grupos como o Cordão da Bola Preta, roda de choro com Silvério Pontes e Choro na Rua, Afoxé Filhos de Ghandi, Rio Maracatu, Bloco Afro Lemi Ayó, Duelo do Passinho, Jongo de Pinheiral e Companhia de Aruanda.

A programação culmina no sábado (12) com o evento da Globo, “Programão Carioca”, que prevê vários shows, dentre eles uma roda de samba com Marquinhos de Oswaldo Cruz, Tia Surica da Portela e Pretinho da Serrinha, oficinas sobre o tema e a realização de uma versão da Feira das Yabás de Madureira e da Feira Crespa.

No seminário estão previstas palestras como a do ex-ministro da cultura e músico de Cabo Verde, Mário Lúcio, com temas que discutirão as perspectivas políticas, econômicas e sociais das comunidades negras na contemporaneidade.

O evento faz parte do calendário de comemoração dos 180 anos do Arquivo Nacional.

Endereço: Praça da República, nº 173 – em frente ao Campo de Santana, Centro – Rio de Janeiro.

Programação completa:

Dia 08 (terça-feira):

10h: Abertura da mostra ”130 anos da Abolição da Escravatura”.
Com a exposição dos documentos originais da Lei Áurea e da Lei do Ventre Livre e de 40 documentos do período da escravidão.
11h:  Abertura do Seminário sobre Pós-Abolição: 130 anos depois da Lei Áurea.
Debate – Mesa de abertura: 130 anos da abolição da escravidão: memória e legado das resistências negras.

– Cais do Valongo: o chão da nossa história;
– Quilombos do Rio de Janeiro;
– Cemitério dos Pretos Novos.
Pós-doutor Jorge da Silva – autor do livro “120 anos de Abolição”;
Pós-doutora Lucimar Felisberto dos Santos (UFRJ) – especialista em escravidão urbana;
Doutor Carlos Eugenio Libano Soares (UFRR) – especialista em Valongo e escravidão urbana;
Doutorando Babalawo Ivanir dos Santos.

14h: Debate – Movimentos Negros – Ativismo Feminino.
Doutoranda Wania Santana (UFRJ) – Movimento de mulheres negras;
Lucia Xavier (Criola);
Neusa de Souza Pereira (Casa das Pretas);
Ruth Pinheiro (CADON).

15h30: Debate – Associativismo Negro no Pós-Abolição e Movimentos Negros.
Doutora Joselina da Silva;
Doutorando Robson Martins;
Doutor Petronio Domingues;
Nanci Rosa – Diretora cultural do Renascença Clube.

17h: Debate – 15 anos da Lei n° 10.639: desafios e perspectivas interdisciplinares para uma educação afro-brasileira no Brasil.
Mestre Ele Semog (UFRJ);
Doutora Iamara Viana (PUC);
Mestra Sandra Martins (UFRJ);
Doutor Renato Noguera (UFRRJ.)

Exposição das bonecas africanas “Ahosis” – Instituto Onikojá. Trabalho realizado pelas artesãs idosas assistidas pela Casa da Matriz Africana Humpame Kuban Bewa Lemin.

18h30: Show – Afoxé Filhos de Ghandi e Rio Maracatu

Dia 09 (quarta-feira)

14h: Debate – Os processos de resistência dos grupos religiosos de matrizes africanas no Brasil no combate à intolerância religiosa e promoção do diálogo inter-religioso.
Doutoranda Carolina Rocha Silva;
Pós- doutora Helena Theodoro;
Mestranda Lavini Beatriz Vieira de Castro (CEFET);
Doutorando Babalawo Ivanir dos Santos (UFRJ).

15h30: Debate – Perspectivas Políticas, Econômicas e Sociais das comunidades negras na contemporaneidade.
Doutora Maria Alice Rezende (UERJ);
Doutora Claudia Miranda (UNIRIO);
Doutor José Jorge Siqueira (UFRJ).

17h: Debate – Negros no Mercado de Trabalho: ainda existe a subalternidade e a invisibilidade?
Doutor Amauri Mendes Pereira – (UFRRJ);
Doutor Geraldo Rocha – (UNIGRANRIO);
Giovanni Harvey – responsável pela primeira incubadora afro-brasileira;
Doutoranda Lia Vieira – empresária e escritora.

18 e 30h: Show – Bloco Afro Lemi Ayó e Rio Maracatu.

Dia 10 ( quinta-feira)

14h às 18h – Mostra afro-brasileira de cinema (Tributo a Nelson Pereira dos Santos):
14h – Rio Zona Norte.
16h – Amuleto de Ogum.
18h30: Show – Grupo de Capoeira Angola Ypiranga de Pastinha.
19h: Show – Duelo do Passinho – organização: Cebolinha do Passinho;
19h30: Show – Bateria da Portela.

Dia 11 (sexta-feira)

14h às 18h: Mostra afro-brasileira de cinema (Tributo a Nelson Pereira dos Santos):

  • Artistas de “Orfeu no Carnaval” – TV Tupi;
  • Sonora com o artista Grande Otelo;
  • Íris de Mar com o artista Grande Otelo;
  • Candeia e seus parceiros reunidos falando sobre o Quilombo – TV Educativa;
  • Clementina de Jesus – entrevista;
  • Ivone Lara cantando na Concha Acústica da UERJ – 1977;
  • Zé Keti cantando no show Seis e Meia – 1977;
  • Partideiros – torneio – 1976;
  • Cartola – depoimentos e entrevista – 1978;
  • Paulo Moura – show e entrevista – Agência Nacional;
  • Comemoração 50 anos de carreira do flautista Copinha, Teatro João Caetano – 1975;
  • “Moreira da Silva”, de Ivan Cardoso;
  • “Heitor dos Prazeres”, de Antonio Carlos da Fontoura.

18h30: Aula magna com Mário Lúcio (cantor, compositor, escritor e ex-ministro da cultura de Cabo Verde).
19h30: Jongo de Pinheiral e Companhia de Aruanda.
20h: Show – Roda de choro com Silvério Pontes e Choro na Rua.

Dia 12 (sábado):  Programão Carioca – Realização: Globo

12h:  Show – Afoxé Filhos de Ghandi
12h30:  Show – Grupo de Capoeira Angola Ypiranga de Pastinha
13h45:  Homenagem aos Mestres da Cultura Afro-brasileira.
14h:  Banda Bumoko (Congo-Angola).
14h30:  Bloco Afro Lemi Ayó.
15h:  Companhia de Aruanda.
15h30:  Jongo de Pinheiral.
16h:  Oficina Afrofunk Rio.
17h:  Cordão da Bola Preta.
17h30:  Roda de samba Marquinhos de Oswaldo Cruz convida Tia Surica, com participação especial de Pretinho da Serrinha.

12 às 18h30:  Feira das Yabás/ Feira Crespa/ Editora Malê

A Lei Áurea

No dia 13 de maio de 1888, há exatamente 130 anos atrás, a Lei Áurea foi assinada. Foi o diploma legal que extinguiu a escravidão no Brasil. O documento original está guardado hoje no Arquivo Nacional.

O processo de abolição da escravatura no Brasil foi gradual e começou com a Lei Eusébio de Queirós de 1850, seguida pela Lei do Ventre Livre de 1871, a Lei dos Sexagenários de 1885 e finalizada pela Lei Áurea em 1888.

Foi assinada no Paço Imperial às três horas da tarde do dia 13 de maio de 1888, dia comemorativo do nascimento de D. João VI, por sua bisneta Princesa Isabel, estando o Imperador D. Pedro II em viagem ao exterior.

O Brasil foi o último país independente do continente americano a abolir completamente a escravatura.

Sinopse da mostra 130 anos da abolição

A mostra contará com 40 itens raros do acervo do Arquivo Nacional do período da escravidão e do movimento abolicionista que serão divididos em seis temas: comércio de escravos, trabalho, resistência, tráfico negreiro, vida cotidiana e abolição.

Dentre os itens destacam-se:

  • recibo de venda do escravo
  • gravura de Mercado de escravos em Recife e Mercado de escravos no Rio
  • lavagem de diamantes, Vale do Jequitinhonha
  • imagem de Engenho de açúcar
  • escravos enfileirados carregando enxadas e cestos para o trabalho no campo
  • petição do escravo a ser encaminhada ao imperador d. Pedro I
  • imagem sobre a capoeira – Rugendas
  • lista de senhores que pagavam à polícia para açoitar seus escravos
  • listas de africanos livres transportados pelo tráfico ilegal de escravos, constando nome, nação e marcas no corpo
  • diferentes nações negras – Debret,
  • compartimentos de um navio negreiro
  • carta de emancipação da escrava Júlia – 1845
  • mapa dos africanos apreendidos no tráfico ilegal de escravos – 1851
  • escrava ama de leite – Salvador – 1880
  • Festa de Nossa Senhora do Rosário – Rugendas – 1835
  • Decreto de 1866, concedendo liberdade aos escravos que ingressassem no Exército
  • foto de Aurélio Barreto Nabuco de Araújo, parlamentar e um dos principais líderes abolicionistas
  • carta de alforria de escravas em Recife
  • foto de ex-escravo e advogado Luiz Gonzaga Pinto da Gama, declarado patrono da abolição da escravidão.

.

.

.