Agenda Cultural 06-07-2018

Uma Agenda Cultural cheia de música para o feriado, para os jogos da Copa do mundo e para um final de semana cheia de arte e cultura. Bom feriado e viaje e curta aqui com a gente!

.

São Paulo/SP 

Grandes Sinfonias: Orquestra Experimental de Repertório apresenta Wagner e Mahler em Julho

Maestro Jamil Maluf rege a OER em 8 de  julho, às 16h30, na Sala de Espetáculos do Theatro Municipal de São Paulo

.

.

Importantes obras sinfônicas de compositores brasileiros e estrangeiros compõem a série  Grandes Sinfonias da Orquestra Experimental de Repertório (OER) que, em julho, chega ao seu sétimo concerto sob a regência do maestro Jamil Maluf no domingo, dia 8, às 16h30. Nesta apresentação, estão Prelúdio do Ato III, da ópera “Lohengrin”, de Richard Wagner e Sinfonia nº 1 em ré maior “Titan”, de Gustav Mahler.  

“A abertura do Ato III, da ópera “Lohengrin”, de Wagner é uma das mais tocadas como peça independente por orquestras em todo o mundo. Assim como em a Cavalgada das Valquírias, o compositor demonstra maestria na manipulação de grandes massas sonoras, sobretudo no tratamento que ele dá aos metais da orquestra que, junto com violoncelos e contrabaixos, executam um tema que está na memória de cada amante da música e da ópera”, explica o maestro Jamil Maluf, sobre a primeira obra a ser executada nesta apresentação da OER.

Em seguida, a orquestra executa a Sinfonia nº 1 em ré maior “Titan”, de Mahler, obra que Claudio Abbado a escolheu para seu concerto inaugural, assim que foi nomeado Regente Titular da Orquestra Filarmônica de Berlim. “Nessa obra Mahler vai dos grandes momentos de tutti orquestral, com uma sonoridade pesada e grandiosa, até os trechos em que predomina o lirismo literário, que fala tão próximo à alma das pessoas.”, conta Maluf.

Pouco antes do início do concerto – 20 minutos – o maestro Jamil Maluf  também faz uma palestra, na sala de espetáculos, sobre as obras que serão apresentadas.

.

.

Sopros da Experimental

Em 22 de julho, às 16h30, os músicos do naipe de sopro na OER sobem ao palco do Theatro Municipal, sob a batuta de Alexandre Travassos, para executar Canzon per sonar septimi toni a 8, Ch. 172 de Giovanni Gabrieli, com adaptação de Travassos; Ares Selvagens e Fanfarra, duas composições do regente deste concerto;  Pavane Opus 50, de  Gabriel Fauré, e Serenade nº 2 Opus 16, de Johannes Brahms. Além da regência, Travassos também assina a curadoria.

Programa:

Série Grandes Sinfonias VI – Wagner e Mahler
Prelúdio do Ato III, da ópera “Lohengrin” | R. Wagner
Sinfonia nº 1 em ré maior “Titan” | G. Mahler
Orquestra Experimental de Repertório

Jamil Maluf – regência
Local: Theatro Municipal de São Paulo –  Sala de Espetáculos
Data: Domingo, 8/7, 12h
Duração: aprox. 60 min.
Classificação indicativa: livre (recomendado para maiores de 7 anos)
Ingressos: Setor 3 – R$ 10 / Setor 2 – R$ 15 / Setor 1 – R$ 20 (meia-entrada para aposentados, maiores de 60 anos, professores da rede pública e estudantes)

.

O espetáculo Inútil Canto e Inútil Pranto Pelos Anjos Caídos, com textos do dramaturgo Plínio Marcos, chega ao Sesc Pompeia em curta temporada

Inútil Canto e Inútil Pranto Pelos Anjos Caídos é um conto escrito por Plínio Marcos, em 1977, sobre a morte de detentos que se rebelaram em uma cadeia de Osasco. A montagem, com direção de Rogério Tarifa, traz o conto inteiramente transformado em música e cantado em coro por 19 atrizes e atores em cena, acompanhados por quatro músicos violonistas.
 
Os textos Barrela, escrito em 1959, e Mancha Roxa, de 1989, ambos de Plínio, entraram na dramaturgia ajudando a debater temas específicos dos cárceres feminino e masculino. A encenação narra por meio do coro, cenas, relatos, solos de dança, personagens, trajetórias de mulheres e homens que vivem ou viveram no cárcere.
 
A peça conta ainda com a cantora Ndu Siba, sul-africana e ex-detenta da Penitenciária Feminina da Capital, integrando o elenco como convidada especial.
 
O resultado é um ato-espetáculo-musical que denuncia as condições precárias e complexas dos cárceres brasileiros e a política de encarceramento em massa da população sem privilégios sociais. “O nosso canto é para que essa situação mude no Brasil e para que possamos debater e refletir sobre esse assunto quase sempre deixado de lado”, ressalta o diretor.

.

.
 
 
Sobre o processo de construção

Quando os seres humanos vão concretizar na sociedade conceitos tão caros como Liberdade, Igualdade, Justiça e Democracia? Foi sobre esse e outros questionamentos que as atrizes e atores do último ano da EAD/USP, Turma 66, se debruçaram para a criação do espetáculo Inútil Canto e Inútil Pranto Pelos Anjos Caídos, dirigido por Rogério Tarifa.
 
O diretor, já conhecido por seus trabalhos na Cia. do Tijolo e na Cia. São Jorge de Variedades, assina sua segunda direção com grupos da Escola. A primeira foi Canto para Rinocerontes e Homens, que ganhou o prêmio Aplauso Brasil, de melhor espetáculo de grupo, e fundou a Cia. Teatro do Osso.
 
Já há algum tempo, Tarifa queria trabalhar com a temática do encarceramento no país. “No início de 2017, quando explodiram os levantes nos presídios em vários estados, resolvi trazer um pequeno conto do Plínio, o Inútil Canto e Inútil Pranto Pelos Anjos Caídos, que narra uma rebelião ocorrida em Osasco nos anos 70 de presos que viviam em condições sub-humanas. No fim, os detentos que ainda esperavam julgamento, após se rebelarem por melhores condições botando fogo em colchões, acabam morrendo violentamente queimados”, revela o diretor.

Sobre o Coro Canto Butô

A montagem tem a direção musical de William Guedes e composições de Jonathan Silva, ambos parceiros de Tarifa na Cia. do Tijolo e vencedores do Prêmio Shell de Teatro. Um dos destaques foi a transformação integral do conto de Plínio sobre a rebelião em Osasco em música. A versão é cantada em coro pelos 19 atrizes e atores em cena.

 
Marilda Alface, mestre em butô, preparou corporalmente o elenco a partir das técnicas da dança japonesa, surgida no pós-guerra e que teve Kazuo Ohno como um de seus expoentes.

SERVIÇO:
Inútil Canto e Inútil Pranto Pelos Anjos Caídos
De 6 a 9 de julho de 2018, sexta e sábado, às 21h. Domingo e segunda, às 18h

Teatro
*O Teatro do Sesc Pompeia possui lugares marcados e galerias superiores não numeradas. Por motivo de segurança, não é permitida a permanência de menores de 12 anos nas galerias, mesmo que acompanhados dos pais ou responsáveis. Abertura da casa com 30 minutos de antecedência ao início do show.
Capacidade: 302 lugares
Duração: 2h10min
Ingressos: R$7,50 (credencial plena/trabalhador no comércio e serviços matriculado no Sesc e dependentes), R$12,50 (pessoas com +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino) e R$25 (inteira).
Venda online a partir de 26 de junho, terça-feira, às 12h.
Venda presencial nas unidades do Sesc SP a partir de 27 de junho, quarta-feira, às 17h30.
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 18 anos.
Sesc Pompeia Rua Clélia, 93.
Não temos estacionamento. Para informações sobre outras programações, acesse o portal sescsp.org.br/pompeia
.

África contemporânea em gigantesca exposição no CCBB São Paulo

Em cartaz até 16 de julho, com entrada gratuita, Ex Africa, maior mostra de arte contemporânea africana realizada no Brasil, reúne mais de 90 obras dos principais nomes das artes visuais do continente.

Até 16 de julho, passado e presente de um povo que ajudou a moldar a cultura brasileira são destaque no Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo (CCBB SP). Maior exposição de arte contemporânea africana realizada no país, a Ex Africa traz nomes que são destaque na cena artística atual, cujas obras revelam, como nenhuma outra, a história e o novo momento do continente que, ao mesmo tempo em que tenta se reconstruir da ferida causada por séculos de tráfico negreiro e de colonização, volta a expandir as suas cores e cultura para outras fronteiras.

.

.

Vinte artistas assinam as mais de 90 obras que estarão expostas pelos andares do CCBB SP até 16 de julho. São esculturas, fotografias, instalações, performances, pinturas e vídeos que traçam um microcosmo da África de ontem e de hoje, por meio de quatro eixos distintos: Ecos da História, Corpos e Retratos, O Drama Urbano e Explosões Musicais.

“A interseção desses eixos mostra que o continente africano vive um contínuo e efervescente processo de renovação criativa e artística”, sublinha o curador da exposição, Alfons Hug, que foi diretor do Instituto Goethe em Lagos, na Nigéria, e possui um extenso trabalho de pesquisa sobre a arte desse continente.

Ex Africa

Até 16 de julho de 2018 | quarta a segunda-feira, 9h às 21h.
Entrada gratuita

Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo
Rua Álvares Penteado, 112 Centro. São Paulo-SP
(Acesso ao calçadão pelas estações Sé e São Bento do Metrô)
(11) 3113-3651/3652 | Quarta a segunda, das 9h às 21h

.

Indaiatuba – Interior de São Paulo

Teatro em Dança abre programação no palco externo do Passo de Arte

Peça musical retrata história de um grupo de pessoas reunidas em uma estação de trem

O espetáculo E toda vez que ele passa, vai levando qualquer coisa minha… , que participou de diversos festivais de artes cênicas no Brasil, recebendo importantes prêmios, como o Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo para circulação em 12 cidades no Estado de São Paulo, abre, neste sábado, 7, às 11h, a programação gratuita do palco externo do Festival Passo de Arte Internacional, que acontece em Indaiatuba (SP), até o próximo dia 15 de julho.

VÍDEO ENTREVISTA TV CURITIBA GRUPO DELIRIVM

FEIRA DE PRODUTOS
Durante todos os dias do Festival, das 9h às 21h, o Ciaei sediará também uma feira com as melhores marcas de produtos de dança com preços de fábrica, entre elas, Só Dança, Capezio, Evidence, Dança Maria, Danci’n, Nina Lãs, Ponta Firme e Nas Pontas.

FESTIVAL
O 26ª Passo de Arte Internacional acontece no Ciaei (Centro Integrado de Apoio à Educação de Indaiatuba), de 6 a 15 de julho, e engloba apresentações de variados estilos de dança, desde o ballet clássico ao hip hop, workshops com professores de renome nacional e internacional e um palco externo com uma programação com intuito de popularizar a arte da dança.

Durante 10 dias de evento passarão pelo palco 150 companhias, sendo cerca de 500 solistas que se apresentarão no período da tarde e 400 coreografias de grupos na programação noturna, totalizando cerca de 3,5 mil bailarinos brasileiros, paraguaios, argentinos e mexicanos.

.

.

WORKSHOPS
Paralelo à competição, o evento terá uma programação de workshop com 15 renomados profissionais do universo da dança. Entre as opções de aulas está a de Tap Intermediário, ministrada tanto pela coreógrafa, atriz e produtora Estela de Azevedo Antunes, como pela professora e coreógrafa Amalia Machado. Outros destaques são as Master Class Técnica Clássica com o diretor artístico da Princess Grace Academy of Classical Dance, em Mônaco, o italiano Luca Masala, que ofereceu, ano passado, uma bolsa de estudo integral para a estudante Barbara Mel de Santa Catarina, e com o diretor artístico do Ballet Nacional Argentino, Iñaki Urlegaza. A relação completa com nomes, conteúdo das aulas, horários e ficha de inscrição está disponível no site www.passodearte.com.br. As inscrições deverão ser realizadas na própria secretaria do evento, no dia do workshop, sujeito a disponibilidade de vagas já que serão 40 alunos por turma.

AGENDA
O 26º Passo de Arte Internacional acontece de 6 a 15 de julho, na Sala Acrísio de Camargo, no Ciaei, em Indaiatuba. Os ingressos serão vendidos exclusivamente na bilheteria do teatro, durante os dias de eventos, sempre a partir das 13h, e custarão R$50 inteira e R$25 meia entrada para estudantes com carteirinha, crianças de 6 a 11 anos e pessoas a partir de 60 anos de idade. Crianças até 5 anos não pagam ingressos. Quem fizer a doação de um pacote de leite em pó no momento da compra terá 50% de desconto no valor do ingresso inteiro.

LINK CANAL PASSO DE ARTE
Canal Youtube: https://www.youtube.com/user/passoarte

.

.

SERVIÇO
26º Passo de Arte Internacional
Data: 6 a 15 de julho
Local: Ciaei – avenida Engenheiro Fábio Roberto Barnabé, 3655, Jardim Regina, Indaiatuba (SP)
Ingresso: R$50 (inteira) / R$25 (meia ou com doação de um pacote de leite em pó)
Palco Externo – Parque Temático
Datas: 7, 8 e 9 de julho – das 10h às 18h / 10, 11, 12 e 13 de julho – das 14h às 18h / 14 de julho – das 10h às 18h.
Ingresso: gratuito
Informações: (19) 3835-1495 / 2516-1311

.

São Caetano do Sul – Grande ABC de São Paulo

Grandes cantoras são homenageadas em projeto “Divina Dama” no Sesc São Caetano

Nas sextas  de julho,  o Sesc São Caetano  oferece “Divina Dama”  programação que homenageia grandes cantoras da noite carioca e paulistana, onde desfilam há décadas em bares e casas noturnas seu repertório sofisticado e suas interpretações personalíssimas de clássicos da mpb, jazz e samba.

.

.

6/7 às 19h30

Áurea Martins Apresenta – A Invisibilidade Visível – Show e lançamento de sua biografia
 

Dona de reconhecido talento e de uma voz excepcional, Áurea Martins integra o time das grandes intérpretes da música popular brasileira há algumas décadas. Seu repertório inclui Falando de Amor (Tom Jobim), Minhas Madrugadas (Candeia e Paulinho da Viola), Folha no Ar (Elton Medeiros e Hermínio Bello de Carvalho), Alvorecer (Ivone Lara e Délcio Carvalho), entre outras composições. No espetáculo, a cantora estará acompanhada do pianista Iuri Salvagnini e da compositora Socorro Lira, em participação especial. Após a apresentação, Áurea autografará sua autobiografia “Áurea Martins: a invisibilidade visível” (Editora Folha Seca).

 

13/7 às 20h
Alaíde Costa, a Dama da Canção

 

Aos 60 anos de carreira, a cantora e compositora que consolidou sua carreira com a bossa nova, continua se apresentando pelo Brasil cantando o melhor do gênero. No seu show ela é acompanhada pelo pianista Giba Estebez e interpreta sucessos que marcaram sua carreira como Morrer de Amor e Onde Está Você (Oscar Castro Neves e Luvercy Fiorini), parcerias com Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Geraldo Vandré e Johnny Alf, além de músicas de seu primeiro DVD, recém lançado, “A Dama da Canção”.

20/7 às 20h
Claudette Soares, a Dona da Bossa

Com o slogan de “A Dona da Bossa”, Claudette foi a responsável por trazer a Bossa Nova para São Paulo no início dos anos 60, a pedido de Ronaldo Bôscoli, um dos principais mentores do movimento. Aqui, contratada pela TV Record e sendo atração principal do João Sebastião Bar, principal templo da Bossa Nova na terra da garoa, sedimentou sua carreira. Gravou dezenas de discos importantes lançando arranjadores como César Camargo Mariano, Eumir Deodato e Antônio Adolfo. Seus discos foram lançados na Europa e no Japão e são considerados clássicos da Bossa Nova.

27/7 às 20h
Carmen Queiroz

Nesta apresentação, Carmen será acompanhada por um dos maiores violonistas de 7 cordas do Brasil, o criativo Zé Barbeiro. No repertório, bem intimista, obras de autores como Noel Rosa, João Pernambuco, Custódio Mesquita, Sinhô, Chiquinha Gonzaga, Nelson Cavaquinho, Luiz Melodia, Vinícius de Morais, Tom Jobim, Luiz Carlos da Vila, João Bosco, dentre outros.

.

SERVIÇO:
Sesc São Caetano
Rua Piauí -554 Santa Paula – São Caetano do Sul
Dias: 6, 13, 20, 27 de Julho
Duração: 60 minutos
Recomendação etária: Livre
Ingressos: Grátis. Retirada 1h de antecedência
Capacidade: 90 pessoas
Telefone para informações: (11) 4223-8800
Para informações sobre outras programações acesse o portal sescsp.org.br
Horário de atendimento/bilheteria do Sesc São Caetano – De segunda a sexta, 9:00 às 21:30, sábados e feriados, das 9h às 17h30 .

..

.

.

Anúncios